carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Notícias > Mercado

Exportador de café do ES é condenado por sonegar R$ 21,5 milhões

postado em 31/05/2017

4 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Da redação

O Ministério Público Federal no Espírito Santo (MPF/ES) determinou pena de quatro anos, cinco meses e dez dias em regime semiaberto ao empresário Marcos Alexandrino Martins Astolpho, administrador da Exportadora de Café Astolpho S.A por sonegação fiscal.

Foto: Alexia Santiagencia Ophelia/ Café Editora                  Foto: Alexia Santiagencia Ophelia/ Café Editora 

Segundo a sentença, Astolpho suprimiu R$ 21.511.900,16 de Contribuição para o Programa de Integração Social (PIS) e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins). O condenado também deverá pagar multa no valor de R$ 32.770,00, atualizados monetariamente desde outubro de 2013.

Segundo apuração da fiscalização, a Exportadora de Café Astolpho S.A utilizava empresas laranjas como intermediadoras fictícias na compra do café dos produtores, tendo como única finalidade a venda de notas fiscais, garantindo, assim, a obtenção ilícita de créditos tributários.

A fraude diminuiu a carga tributária da empresa na comercialização do mercado interno. E mais: "nas vendas ao mercado externo, cujas operações estão isentas da incidência do PIS/Cofins, o esquema gerou créditos ilícitos de 9,25% sobre o valor das compras, o que representa um ganho financeiro extraordinário", diz a sentença que condenou o empresário.



Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Gladston Machareth

Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Técnico em Pecuária / Assessoria
postado em 05/06/2017

A justiça brasileira foi rápida e, digamos, eficiente nesse caso, mas como ela se comporta com as fraudes políticas que estão estampadas na mídia ? Acredito que, nesse caso, esse produtor/empresário tenha se esquecido da contribuição devida aos corruptos!

Gladston Machareth

Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Técnico em Pecuária / Assessoria
postado em 05/06/2017

Não quero dizer, com o meu comentário acima, que aprove o comportamento do produtor/empresário, mas que reprove, terminantemente, a imparcialidade e ineficiência da justiça brasileira!

André Barbosa

Macaé - Rio de Janeiro - Consultoria/extensão rural
postado em 08/06/2017

Se esquecer de recolher mais de R$20 milhões é um tanto quanto dificil de acreditar, pra dizer o mínimo.
Sinceramente, está cada dia mais claro que o grande empresariado é umbilicalmente ligado a políticos e judiciários corruptos.

Gladston Machareth

Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Técnico em Pecuária / Assessoria
postado em 12/06/2017

André, concordo plenamente com você, mas o "esquecimento" que referi em meu comentário era com relação à parcela dos corruptos ... não pagou, foi indiciado!

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade