FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Produtores se preocupam com falta de chuvas para próxima safra

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 14/09/2020

2 MIN DE LEITURA

0
0

Produtores do Cerrado Mineiro estão preocupados com as condições das lavouras. Após uma colheita volumosa e de muita qualidade, a nova safra já começa com potencial de perda de produtividade, consequência da falta de chuvas e das altas temperaturas.

“A situação é de calamidade e o setor ainda não entendeu a gravidade do problema", afirma Marcelo Barbosa, produtor de café em Campos Altos (MG). Segundo ele, não chove de maneira expressiva na região desde março e a última precipitação na sua lavoura foi há duas semanas, mas com acumulado de apenas 7 mm.

"Posso te dizer com toda certeza que nossa produção vai ser muito inferior que em 2019", comenta. Marcelo conta que na safra passada a colheita não ultrapassou 10 sacas por hectare. Os números chamam atenção, tendo em vista que para a safra 2020, o produtor atingiu uma média de 60 sacas por hactare.

A última chuva, em agosto, não aliviou as condições do solo, mas foi suficiente para abertura de florada em diversas regiões do estado mineiro. De acordo com José Donizeti Alves, professor e pesquisador da Universidade Federal de Lavras (Ufla), a florada abriu entre 20% e 30% da área de produção de café de Minas Gerais. Deste montante, devido às condições climáticas, pelo menos 50% não deve ter um pegamento de florada satisfatório para a próxima produção.

"O inverno foi muito seco e com temperatura muito elevada. Tivemos essa chuva que abriu a florada e a dúvida agora é saber se vai ter o pegamento ideal. As previsões nos indicam chuvas apenas no dia 30 de setembro e pode ser muito tarde", comenta José.

Segundo o pesquisador, as condições são graves tanto para as lavouras com irrigação e para os produtores que ainda produzem em sequeiro. "Depois que a flor abriu, durante os próximos 15-20 dias nós precisamos de umidade e temperaturas mais amenas, o que não está acontecendo", complementa.

Para os produtores que não trabalham com irrigação, a preocupação é dupla, tendo em vista que não há formas para lidar nem com a umidade do solo e nem com o calor excessivo. "Infelizmente não há nada o que o produtor possa fazer para minimizar esses problemas agora. Claro que as lavouras bem nutridas e que tiveram os tratos no pós-colheita vão sentir menos o impacto. Mas também me preocupa lá na frente, quando o fruto começar a crescer e, quando chegar em outubro e novembro, não haverá enchimento de grão", explica José.

As informações são do Notícias Agrícolas.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint