ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Cafés arábica e canéfora recuam 1% nas cotações internacionais nesta segunda-feira (24)

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 24/01/2022

2 MIN DE LEITURA

0
0

A segunda-feira (24) está sendo marcada pela desvalorização dos principais contratos do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Future US). O dia já iniciou com forte queda, refletindo ainda os números de comercialização divulgados pela consultoria Safras & Mercado na última sessão, indicando que os produtores brasileiros de café venderam 32% de sua safra de café 2022/2023 em 14 de janeiro

Por volta das 11h53 (horário de Brasília), março/2022 estava em queda de 310 pontos, negociado por 234,80 cents/lbp; maio/2022 tinha baixa de 310 pontos, valendo 235 cents/lbp; julho/2022 tinha desvalorização de 295 pontos, cotado por 234,10 cents/lbp; e setembro/2022 recuava 235 pontos, negociado por 233,90 cents/lbp.

Na Bolsa de Londres, o café canéfora (conilon) também mantém o cenário de desvalorização. Março/2022 com queda de US$ 21 por tonelada, valendo US$ 2192; maio/2022 operava com queda de US$ 19 por tonelada, cotado por US$ 2160; julho/2022 tinha queda de US$ 18 por tonelada, negociado por US$ 2152; e setembro/2022 tinha desvalorização de US$ 15 por tonelada, cotado por US$ 2152. 

O dólar registrava alta de 0,74% frente ao real e era negociado por R$ 5,50 na venda. "O dólar subia frente ao real nesta segunda-feira, com receios sobre possível ataque russo à Ucrânia afastando investidores de todo o mundo do risco, em início de semana marcada pela primeira reunião de política monetária de 2022 do Federal Reserve", destacou a agência de notícias Reuters.

No Brasil, apesar da volatilidade observada, analistas mantém a projeção de preços firmes para o café até pelo menos início da colheita da safra brasileira. A maior preocupação é com a queda na produção mundial de café e com os entraves logísticos mundiais, que tornam o quadro ainda mais complicado. A irregularidade do clima, os estoques baixos no Brasil e no mundo, e a forte alta dos insumos assustam os cafeicultores, que continuam arredios em vender o que resta de lotes da atual safra 2021/2022 nas bases de preços oferecidas atualmente”, destacou a última análise do Escritório Carvalhaes.

Mercado interno

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve queda de 2,61% em Guaxupé (MG), negociado por R$ 1.490; Poços de Caldas (MG) teve queda de 0,68%, cotado por R$ 1.470; Araguarí (MG) teve queda de 0,67%, negociado por R$ 1.480; Varginha (MG) teve baixa de 1,31%, cotado por R$ 1.510; Campos Gerais (MG) teve queda de 2,59%, negociado por R$ 1.502; e Franca (SP) teve queda de 1,31%, negociado por R$ 1.510.

O tipo cereja descascado teve queda de 2,47% em Guaxupé (MG), negociado por R$ 1.580; Poços de Caldas (MG) teve baixa de 0,64%, valendo R$ 1.550; Varginha (MG) teve queda de 0,62%, negociado por R$ 1.600; e Campos Gerais (MG) teve queda de 2,50%, valendo R$ 1.562.

As informações são do Notícias Agrícolas.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint