ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Cafeicultura do Cerrado Mineiro aposta em estratégias de agricultura climaticamente inteligente

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 07/06/2022

3 MIN DE LEITURA

0
0

O Consórcio Cerrado das Águas, plataforma colaborativa para resiliência às mudanças climáticas na agricultura, celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente com a divulgação de seus avanços no último ano.

Os dados mostram o impacto positivo gerado entre a parceria de empresas do setor cafeeiro (Nestlé, Nespresso, Lavazza, Cooxupé, Expocaccer, Cofco, Volcafe, Stockler e Daterra), cafeicultores, poder público e sociedade civil para a implantação de estratégias de agricultura climaticamente inteligente, com objetivo principal de tornar a cafeicultura resiliente às mudanças climáticas.

Por meio do Programa de Investimento no Produtor Consciente (PIPC), o Consórcio Cerrado das Águas implanta sua metodologia de forma personalizada para as propriedades rurais, alinhada à capacidade de execução dos produtores. Com as estratégias traçadas desde 2019 no projeto-piloto na bacia do Córrego Feio, em Patrocínio, e desde 2021 na bacia do Ribeirão Grande, em Serra do Salitre, somando 77 propriedades rurais, a plataforma alcançou 477 hectares de vegetação nativa e de água produtiva.

Anteriormente ao início do programa, o impacto da agricultura ao meio ambiente representava 25,65% e, hoje, frente às novas práticas, está em 9,44%, demonstrando o aumento da preservação ambiental, mas também a preocupação dos produtores na adoção de práticas que garantam a produção e o cuidado com os recursos naturais, com foco em sua perenidade.

“Para que os produtores se tornem mais resilientes às mudanças climáticas, nós propomos estratégias para combater os riscos identificados durante o diagnóstico. Então, a equipe vai a campo e percebe, por exemplo, se a propriedade de determinado produtor está com solo muito compactado e nós, então, propomos estratégias para melhorar essa condição e perguntamos se ele aceita essas estratégias e, se sim, iniciamos de acordo com o produtor”, afirma Fabiane Sebaio, secretária executiva do Consórcio Cerrado das Águas.

Para a produtora Vera Pazotto, da Serra do Salitre, município que recebeu a expansão da metodologia do Consórcio em 2021, as estratégias trazem um novo significado para a cafeicultura, tornando-se mais um aliado na conservação e preservação dos recursos necessários para a produção de forma consciente.

“O Consórcio fornece variedades de mudas de árvores com o objetivo de crescerem, sombrearem e protegerem o solo. Sempre tive e tenho muita preocupação, cuidado e respeito pelo meio ambiente. Sou muito grata pela oportunidade de atuar na cafeicultura, protegendo, recuperando e preservando os recursos disponíveis. Espero que a proposta estabelecida atinja seu objetivo para que a agricultura em geral recupere nascentes, solos, clima, fauna e flora, e quero contribuir para isso, implantando as estratégias”, avalia a cafeicultora.

Resultados

Em 2021 foram 43 hectares de área de vegetação nativa plantada em APPs e áreas de conservação, mediante as estratégias traçadas com cada produtor integrante da plataforma e o plantio de 48 mil mudas nas áreas de restauração da vegetação nativa.

Com 396 hectares de área de produção manejada com estratégias de agricultura climaticamente inteligentes, o Consórcio contabilizou o sequestro de 367.334 toneladas de carbono, contribuindo para o impacto positivo e potencializando os resultados de suas estratégias.

“Para 2023, as metas são aumentar para 30 mil os hectares com estratégias climaticamente inteligente e plantar 200 mil mudas nas áreas correspondentes às 184 propriedades que a plataforma deseja atuar, tanto nos municípios que já recebem sua metodologia, quanto para os demais que já existem em seu plano de ação, conclui Fabiane.

Sobre o Consórcio Cerrado das Águas

Tem como objetivo conscientizar produtores da região sobre a importância de seus ativos ambientais, por meio do diagnóstico e investimento nos mesmos, garantindo sua preservação a longo prazo.

A iniciativa possui como membros associados as seguintes empresas: Nescafé, Expocaccer, Nespresso, Lavazza, Cooxupé, CofCo, Volcafé, Stockler, além das instituições apoiadoras como Federação dos Cafeicultores do Cerrado, CerVivo, Daterra, Imaflora e Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB).

Em 2019, o projeto piloto recebeu do Fundo de Parcerias para Ecossistemas Críticos (CEPF) o valor de US$ 400 mil para implementar o programa, que irá promover, inicialmente, o investimento e a proteção dos ecossistemas naturais encontrados em mais de 100 propriedades ao longo da bacia do Córrego Feio. A quantia é o maior subsídio já concedido pelo CEPF, que conta com exigentes doadores como a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), União Europeia, Fundo Mundial para o Ambiente (GEF), Governo do Japão e Banco Mundial.

Mais informações: https://cerradodasaguas.org.br

As informações são da Assessoria de Imprensa CCA.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint Logo MilkPoint Ventures