FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Abertura Oficial do Fórum Mundial de Produtores de Café 2019

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 10/07/2019

0
0

Por Natália Camoleze, de Campinas (SP)

A cidade de Campinas, em São Paulo, recebe até amanhã o II Fórum Mundial de Produtores de Café. Representantes de países produtores buscam debater sobre os baixos preços, sustentabilidade e novidades no setor. A primeira edição do Fórum foi na Colômbia, em 2017. 

A Reforma da Previdência, que está em votação desde ontem, foi um dos destaques na fala dos governantes presentes, que tiveram que reduzir suas considerações para voltar a Brasília e assim decidir sobre o caso. 

A diretora executiva da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), Vanusia Nogueira, que representa o Brasil no comitê internacional, afirmou que 1500 pessoas foram registradas no evento e mais de 60 instituições e empresas foram apoiadoras. “Um trabalho feito junto. Quero agradecer a todos pela confiança que estão depositando em nós. Começamos a pensar no projeto há quatro anos e o nível de representação aqui hoje mostra o quanto estamos seguindo o caminho certo”. 

O presidente executivo do Conselho Nacional do Café (CNC), Silas Brasileiro, agradeceu a presença do governo e a todos os membros que participaram da organização. “O evento fará história e será de base para as futuras gerações. Iremos acertar, discutir e programar as ações para melhorar o caminho dos nossos produtores, que não tem recebido um preço justo pela produção. Momento de lutar e mostrar a situação difícil que estamos passando. Sabemos das dificuldades dos produtores e estamos em busca do reconhecimento pelo que é feito", afirmou Silas no início do Fórum. “Se não houver produção, não teremos como atender o consumidor que busca sempre por uma boa xícara de café”, concluiu.


Silas Brasileiro no II Fórum Mundial de Produtores de Café. Foto: Mariana Proença/CaféPoint

Evair de Melo, Deputado Federal, afirma que o parlamento está determinado a fazer o que tiver que ser feito para organizar a economia do País, e com isso, investimentos necessários para que façamos as correções e trazer inovações para a produção cafeeira. “Brasil tem na sua essência o café e permitiu ter um setor sério e comprometido de exportação”, afirmou. Para ele, é necessário acreditar, apostar e investir no cooperativismo. “Sem ele, não daremos nem um passo. Vamos liderar uma política de sustentabilidade no mundo do café, com doçura e qualidade para encantar o mundo todo. Atitude e coragem para o preço justo do produtor, por isso, o consumidor precisa entender o processo que o grão passa e assim levar energia e alegria a massa de consumidores e produtores”, concluiu.

Emidinho Madeira, também Deputado Federal, acredita que o produtor com renda movimenta a economia do estado. “Assumi a frente parlamentar do café. Produtores podem contar comigo. Precisamos de renovação e força de vontade para atravessar as barreiras que os produtores tem enfrentado. Para a empresa e indústria estarem bem, nosso produtor tem que estar bem. Minha prioridade sempre vai ser o produtor, pois sei das dificuldades que eles passam”.     


Foto: Mariana Proença/CaféPoint

O ministro interino da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Marcos Montes, representou o presidente Jair Bolsonaro e a ministra Tereza Cristina. “Temos que ter cuidado e preocupação para mostrar ao mundo como o Brasil faz o seu produto. Precisamos unir forças, o País sozinho não resolverá a questão do café mundial. Países produtores, juntos, traremos a sustentabilidade com uma política cafeeira mundial, apresentando nossas potências, mudando patamares com responsabilidade. A eficiência dos nossos produtores resultará em um reconhecimento cada vez maior do café. Estaremos a disposição para apoio e sustentabilidade e assim a qualidade do café será de reconhecimento mundial”, afirmou o ministro.  

Bopanna Manvittara Beliappa, representante da Índia, acredita que este Fórum já caminhou muito. "Traremos a sustentabilidade através do consumo. Espero que nesses dois dias possamos chegar a uma solução que privilegie a todos".

"Quem quer fazer algo, encontra um meio. Quem não quer fazer nada, encontra uma desculpa. Todos queremos fazer algo, por isso estamos reunidos aqui. Que nunca nos falte fé, café e amor para continuarmos”, disse Alfredo Moises, representante do México.

Para Eugênio Velez Uribe, representante da Federação dos Cafeicultores da Colômbia, o problema está bem claro. "Produtores precisam de um preço mais justo, pois o que temos hoje não paga os custos de cada produtor. Necessitamos atuar com soluções estruturais, por isso, propostas concretas e estruturais para melhorar a situação de uma forma sustentável e segura para os produtores”. 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.