FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Produção variável entre cafeeiros dificulta produtividade no cafezal

POR JOSÉ BRAZ MATIELLO

FOLHA PROCAFÉ

EM 14/07/2020

1 MIN DE LEITURA

0
0

A observação em campo nas lavouras de café mostra, na mesma linha de plantas, a existência de diferentes níveis de produção entre elas. Podem ser vistos cafeeiros com muita carga e outros com pouca ou nenhuma carga de frutos. Assim, a produtividade da lavoura, como um todo, fica afetada.

A cafeicultura praticada a pleno sol, como acontece no Brasil, favorece a indução floral e a alta frutificação nas plantas. Além disso, as variedades de café atuais têm boa capacidade produtiva. Nessas condições, os cafeeiros produzem bem e se estressam após a carga alta, assim produzindo pouco na safra seguinte.

Nas safras iniciais da lavoura de café, a produção é bem uniforme entre plantas. No entanto, com o passar dos anos, vão ocorrer fatores diversos que afetam diferentemente as plantas. Começa pela variação na própria estrutura dos cafeeiros, nas suas raízes e na parte aérea, afetadas por diferenças nas mudas, na adubação de fundação, pelo local etc. Depois ocorrem diferenças no ataque de pragas e doenças, na nutrição, pulverizações, em outros tratos, na colheita e na própria condição microclimática, afetando diferentemente as plantas do talhão. Então, começa a aparecer variabilidade entre a produção das plantas, mesmo vizinhas, na mesma linha de cafeeiros.

A variação produtiva entre plantas no cafezal pode ser observada visualmente e comprovada, estatisticamente, nos ensaios experimentais. Nesses, mesmo juntando parcelas com mais plantas (5-10) e com 4-6 repetições, o coeficiente normal de variação produtiva tem sido, quase sempre, superior a 20%.

Levantado o problema, vamos às soluções. A poda de esqueletamento/desponte, retirando, por igual, a produção futura de todas as plantas do talhão e renovando a ramagem delas, é a forma indicada para uniformizar a produção entre plantas de café. De forma preventiva, para reduzir a variabilidade produtiva entre plantas, devem-se adotar práticas e tratos adequados e de forma mais uniforme possível, visando reduzir estresses diferenciais no pós-safra.


Planta da esquerda sem produção neste ano e as três da direita com carga alta. No ano próximo, vai haver inversão. Essa diferença acaba reduzindo a média produtiva do talhão / Planta da direita com boa carga de frutos e a vizinha, da esquerda, sem carga


Os técnicos mostram o contraste produtivo em plantas vizinhas. A da direita com boa carga de frutos e a da esquerda completamente sem carga

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint