ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Por que melhorar a produtividade nos cafezais?

POR JOSÉ BRAZ MATIELLO

FOLHA PROCAFÉ

EM 04/06/2021

2 MIN DE LEITURA

0
0

Desde a década de 1970 até os dias atuais foram obtidos grandes avanços na produtividade dos cafezais no Brasil, passando de cerca de 6-7 sacas por ha, na época passada, para 28-30 scs/ha atualmente. Porém, é preciso adotar cuidados para manter e ampliar ainda mais esses níveis produtivos.

A manutenção de bons níveis de produtividade nos cafezais é necessária para reduzir os custos de produção do café, com isso, melhorando a rentabilidade do produtor e a competitividade do café em relação a outros produtos agrícolas e, também, para manter o café brasileiro competitivo em relação ao de outros países produtores no mundo.

A relação entre a produtividade e os custos de produção é bastante evidente, pois os gastos ou custos fixos, as despesas dispendidas com a administração, com capinas, com a infraestrutura e com a própria operação de colheita, são praticamente as mesmas, independentemente da lavoura estar muito ou pouco produtiva. Por sua vez, os gastos variáveis, com fertilizantes, defensivos e outros insumos, e as práticas como a irrigação, influenciam bastante na produtividade e, por isso, não podem ser descuidados.

A figura 1 apresenta uma média de despesas totais por hectare e os custos de produção por saca de café, levantados pelo SEBRAE-Educampo em 262 propriedades cafeeiras do estado de Minas Gerais, conforme a produtividade das lavouras. Verifica-se, claramente, que embora as despesas totais cresçam nas propriedades mais produtivas, o custo por saca produzida vai caindo com o aumento da produtividade.

Figura 1 - Despesas por hectare e custos de produção por saca em lavouras de café com 5 níveis de produtividade no estado de Minas Gerais. Fonte: Sebrae Minas/Educampo, Amostra: 262 fazendas, em diferentes regiões do estado MG. Período: Biênio 17/19.

A produtividade das lavouras de café pode ser considerada por planta ou por área. Atualmente, o que se busca é uma interação favorável, que resulte, mesmo com menor produção por planta, uma boa produção por área.

Nas propriedades cafeeiras normalmente existem lavouras em vários estágios e com diferentes padrões de produtividade. São talhões de idade ou variedades diversas, de espaçamentos variados, em tipos de solos diferentes, etc, além de áreas livres, sem café. Deve-se fazer uma análise das características dos talhões, seguindo-se a seleção deles em três categorias: os que se encontram bem produtivos e devem continuar a ter tratos normais; os que estão pouco produtivos, mas que apresentam condições para ter tratos especiais de recuperação; e os que estão em péssimas condições, não compensando os tratos, onde a solução é a substituição.

O estabelecimento de metas de produtividade é importante, embora os níveis adequados possam variar com a região produtora e o tipo de exploração. De forma geral, é possível verificar que nas propriedades de exploração familiar, com menores custos fixos, as metas produtivas podem ser adequadas mesmo em menores níveis, como na faixa de 20-30 sacas/ha. Já em propriedades maiores, de exploração empresarial, devem ser buscadas produtividades acima de 30-40 sacas/ha.


Boa produtividade nas lavouras de café representam menores custos de produção e garantem melhor renda ao cafeicultor

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint