FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Deficiência de micronutrientes por efeito de cinzas de queima de madeira de cafezal erradicado

POR JOSÉ BRAZ MATIELLO

FOLHA PROCAFÉ

EM 19/05/2020

2 MIN DE LEITURA

0
0

A renovação de cafezais, com a substituição de lavouras velhas e improdutivas por lavouras novas, com melhores espaçamentos e variedades mais produtivas, é uma prática importante nas fazendas de café.

A erradicação dos cafeeiros da lavoura velha, visando liberação da área para o novo plantio, pode ser feita por diversos processos, em todos eles sendo indicado preservar ao máximo o material fino, folhas e ramos, que repõem nutrientes ao solo.

Um dos sistemas em uso, para eliminação dos cafeeiros consiste no seu arranquio por trator ou pá carregadeira, seguido da amontoa ou enleiramento do material mais grosso e sua queima, para deixar a área limpa, para facilitar, em seguida, o preparo do solo. Nesse processo, a cinza proveniente da queima da madeira dos cafeeiros erradicados pode ficar acumulada, em certas áreas de terreno, onde coincidiram os montes ou leiras.

Numa dessas áreas de café, renovada em 2019/20, na região Sul de Minas, verificou-se, três meses após o plantio, que algumas plantas novas passaram a apresentar folhas amareladas, mostrando sintomas típicos de deficiência de ferro e manganês. A observação detalhada no local constatou que essas plantas deficientes coincidiam naquelas áreas onde foi feita a amontoa e queima da madeira, portanto, ali havia acúmulo de cinzas.

Diante do conhecimento disponível, sobre a composição e poder corretivo de pH, oferecidos por cinzas de madeira, as quais são ricas em bases, e, sabendo da grande redução da disponibilidade da maioria dos micro-nutrientes, por efeito da elevação do pH do solo, foi possível correlacionar a presença da cinza acumulada com as deficiências constatadas.

Para melhor comprovação foi efetuada amostragem e análise do solo nas duas condições, onde havia plantas deficientes sobre área com cinza acumulada e onde não havia. Verificou-se que o pH da área normal era de 5,5 a 5,7 e, na área com cinza, na faixa de 7,2. Como se conhece que as cinzas são ricas em micronutrientes, verifica-se que o efeito depressivo da elevação do pH, na disponibilização desses nutrientes, superou o seu próprio fornecimento.

Deste modo, indica-se que devem ser adotados cuidados onde houve amontoa ou enleiramento e queima da madeira de cafeeiros, recomendando-se o espalhamento da cinza depositada, antes do plantio.

Nas plantas com deficiências são indicadas pulverizações com sais dos micronutrientes deficientes, como sulfato de ferro e manganês. Na medida em que forem sendo feitas adubações NK, o pH vai sendo reduzido e as deficiências tendem a desaparecer.


Nas áreas com acúmulo de cinzas (pode-se ver marcas negras e cinza de resto de carvão/cinza da queima), as plantas novas amareleceram por efeito de correção excessiva de pH pelas cinzas (vista geral e detalhe de deficiência de Fe e Mn)


Vista geral e detalhe de plantas jovens de café, plantadas na mesma área, porém sobre locais sem acúmulo de cinzas, podendo-se observar a coloração verde normal da folhagem

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.