ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Produção cafeeira em Minas Gerais deve ser a menor dos últimos dez anos

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 24/09/2021

2 MIN DE LEITURA

0
0

De acordo com o terceiro levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado na última terça-feira (21), produção de café em Minas Gerais deve ser a menor dos últimos 10 anos. Para a Emater-MG, o momento é delicado, já que as lavouras sofreram muito com os efeitos da seca e da geada.

Na região Sul e Centro-Oeste de Minas, a estimativa é de pouco mais de 11 milhões de sacas, o que corresponde a uma colheita 42,3% menor do que a temporada 2020. Segundo os dados levantados, a produção total estimada no estado é de 21,4 milhões de sacas de café beneficiado, uma redução de 38,1% em comparação ao volume colhido na safra anterior.

De forma geral, a expectativa, segundo o relatório, é que o Brasil produza um volume total de cerca de 46,9 milhões de sacas de café, o que corresponde a um resultado 25,7% menor quando comparado à safra passada.

O terceiro levantamento da Conab foi realizado entre agosto e setembro deste ano e, segundo a Companhia, 95% das áreas plantadas já estavam colhidas, o que aponta uma grande redução na produção mineira quando comparada à safra anterior, que bateu o recorde de 34,6 milhões de sacas.

Segundo o levantamento, as menores estimativas para esta safra se devem aos efeitos fisiológicos da bienalidade negativa, que afeta principalmente o café arábica. Além disso, fatores climáticos também influenciaram, como a chuva irregular em 2020, a seca que permanece em 2021 e as geadas que ocorreram em julho, esta última com menor interferência nesta safra. O relatório aponta que a seca acabou gerando grãos menores, chochos, além de certo grau de abortamento pós-florada. Com o longo período de escassez de chuva, o enchimento e a maturação dos grãos em algumas lavouras também foram limitados.

Ainda de acordo com o levantamento, o ciclo bienal é uma característica do setor cafeeiro e consiste na alternância de um ano com grande florada seguido por outro com florada menos intensa. O documento diz ainda que essa característica natural permite que a planta se recupere para produzir melhor na safra subsequente. Contudo, uma adversidade climática pode alterar o ciclo bienal.

As adversidades climáticas e o futuro das lavouras preocupam os produtores e aqueles que estão diretamente ligados ao trabalho de campo. "A safra de café é definida no ano anterior, então, nesse momento, o produtor tem que começar a se preocupar em melhorar a condição dessas lavouras, melhorar o armazenamento de água no solo, melhorar matéria orgânica e pensar em correções do sistema radicular cafeeiro para sofrer menos com esses problemas climáticos,” afirmou Kleso Silva Franco Júnior, coordenador técnico regional da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) em Alfenas.

Conforme o relatório da Conab, a área em produção de café também apresentou queda em relação à safra de 2020. Atualmente, a área está estimada em 1,8 milhão de hectares, 4,4% menor que a safra anterior. A região sul e centro-oeste de Minas também apresentou variação. Em 2020, a área em produção era de pouco mais de 538 mil hectares e, em 2021, essa área é de cerca de 483 mil hectares, o que significa uma queda de 10,3%.

As informações são do G1 Sul de Minas (por Tatiana Espósito).

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint