ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Aquecimento global pode impactar negativamente o cultivo de café nos próximos anos

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 13/01/2022

2 MIN DE LEITURA

0
0

Embora possamos reconhecer o quão importante o café pode ser para nós, as pessoas que são diretamente afetadas por este consumo e, por sua vez, seu amor por ele, são as pessoas que o cultivam. O plantio de café na verdade sustenta os meios de subsistência de cerca de 100 milhões de agricultores em todo o mundo, de acordo com a InsideClimateNews.

Um estudo recente mostrou que cerca de 60% das espécies de café selvagem estão atualmente em risco de extinção. Aaron P. Davis, líder sênior de pesquisa do Royal Botanic Gardens da Inglaterra e autor dos estudos, disse que o aumento das temperaturas globais está apresentando um risco para os cafeicultores.

“Devemos nos preocupar com a perda de qualquer espécie, por vários motivos, mas especificamente para o café. Acho que devemos lembrar que a xícara à nossa frente veio originalmente de uma fonte selvagem”, disse Davis.

Mudanças climáticas

Prevê-se que o clima ameno onde os frutos prosperam fique mais seco e mais quente, o que pode significar que, em apenas 50 anos, os grãos de café como os conhecemos agora poderão ser um produto impossível de crescer.

Muitas colheitas já estão perto de baixas recordes, e Porto Rico, país que cultiva café, deverá ficar mais quente em quase o dobro da taxa média global. “A projeção para cenários de altas emissões, que é o caminho em que estamos, é um cenário muito sério para Porto Rico”, disse Josh Fain, autor do estudo. Essas emissões não são apenas a ameaça mais significativa ao fornecimento de café, mas também à qualidade.

Hanna Neuschwander, que trabalha com a World Coffee Research – um grupo formado para enfrentar os desafios impostos pelas mudanças climáticas – disse que não apenas é mais difícil para as plantas funcionarem em temperaturas mais quentes, mas também vemos um aumento de doenças e pragas. “Acreditamos que cerca de metade de todas as terras adequadas não serão mais adequadas [para café] até 2050. Ao mesmo tempo, espera-se que a demanda dobre”, disse.

Trabalhando à frente

Países como Brasil e Colômbia têm trabalhado para desenvolver plantas mais tolerantes às mudanças climáticas, cruzando genes de um fruto robusta diferente e mais forte com o arábica amplamente cultivado. Neuschwander disse que é mais complicado de cultivar, mas é uma xícara de café superior. “Estamos trabalhando no desenvolvimento de mais variedades tolerantes a temperaturas mais altas ou mais baixas, porque os produtores podem ter que se deslocar mais para o norte ou para o sul”, destacou.

William Gould, cientista florestal do Instituto Internacional de Florestas Tropicais do Serviço Florestal dos EUA, disse que, à medida que o clima se torna mais quente e seco, os ambientes mais frios e úmidos aumentam de altitude. Isso pode significar que os agricultores tenham que expandir para fora do cinturão do café. “Estamos reduzindo nosso risco planejando com antecedência. O café é uma cultura única. Existem apenas algumas variedades que são cultivadas globalmente, e todo mundo precisa tomar sua xícara de café pela manhã”, disse Gould.

As informações são do Local10.com / Tradução Juliana Santin

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint