ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

CLIMATEGATE, o maior escândalo climático, ou melhor, o maior escândalo científico do século 21.

POR HELIO CABRAL JUNIOR

ESPAÇO ABERTO

EM 08/12/2009

9 MIN DE LEITURA

50
0
Na quinta-feira, dia 19/11/2009, o banco de dados de East Anglia, especificamente do CRU (Climate Research Unit) foi invadido por hackers, de onde foram retirados milhares de e-mails de comunicação pessoal e documentos outros dos principais figurões apologistas e defensores do assim chamado "Aquecimento global antrópico".

Já no dia 20/11/2009 estes dados (agora se tem quase certeza de que não a totalidade deles...), cerca de 1.073 e-mails e centenas de documentos, entre os quais a "jóia da coroa" - que é o código fonte de um modelador climático (mais à frente explicarei o porque) - foram liberados na internet através de um servidor público na Rússia.

A principio não havia certeza da veracidade dos documentos, mas no calor dos eventos a Univ. de East Anglia assumiu que teve o banco de dados invadido e que dados foram roubados e os principais cientistas envolvidos, quando ouvidos num primeiro momento, disseram "simplesmente" que as questões que estavam sendo levantadas não tinham razão de ser, pois o que era citado eram apenas "frases isoladas tiradas fora de contexto" ou que não se recordavam do que queriam dizer, pois haviam sido escritos há alguns anos ou ainda que não iriam comentar material "originado de crime de roubo", ou seja, reconheceram a autenticidade dos documentos.

Mas o que haveria de tão dramático no conteúdo de e-mails trocados em nível privado entre cientistas e pesquisadores considerados os mais influentes do chamado Aquecimento Global Antrópico?

O que nós, os chamados "céticos do aquecimento global antrópico" já sabíamos e denunciávamos há anos: que o aquecimento causado pelo CO2 é balela, que as causas são naturais e conhecidas há décadas, que os dados estavam sendo forjados e manipulados em prol de uma elite de cientistas que estavam usando de censura, perseguição e difamação contra aqueles que ousavam discordar, e muito mais.

Deve-se levar em conta que o que foi colocado em prática não foi o simples boicote à publicação de trabalhos que de alguma forma discordassem do AGA (aquecimento global antrópico), foi isto sim uma conspiração fundamentada em:
- Evitar a publicação de trabalhos que questionassem o AGA
- Destituir de cargos com poder decisório (como editorias, revisorias, etc), cientistas e profissionais que não partilhassem irrestritamente da teoria do AGA
- Desacreditar publicamente na mídia aqueles cientistas contrários ao AGA
- Retirar fundos de pesquisa quando o tema fosse ou pudesse ser contrário ao AGA
- Forjar dados de modo que os modelos refletissem de forma artificial o AGA
- Destruíram dados climatológicos originais, ficando apenas com os dados "revisados", de modo que fosse impossível questionar as conclusões a que alegaram ter chegado
- Deliberadamente mentiram e ocultaram informações que deveriam ser de acesso público ou no mínimo de acesso a outros pesquisadores para não terem o inconveniente de terem suas conclusões contestadas com base nos mesmos dados que os levaram a estas conclusões (agora se sabe que "fabricadas"...)

Quando me referi ao código fonte como "jóia da corôa", foi porque, há anos, vários cientistas entre eles os M&M (não, não são a famosa marca de chocolate, mas as iniciais de 2 proeminentes pesquisadores céticos, Steven McIntyre e Ross McKitrick) vinham solicitando ao Dr. Michael Mann a liberação do mesmo para que tentassem replicar o modelo que levou à elaboração do "famoso" (infame) "hockey stick" que simplesmente anulou tudo o que se sabe sobre paleoclimatologia para criar uma nova escala de temperaturas que "se adequasse e comprovasse" o aquecimento global antrópico.

Pois bem, o infame e tosco (especialistas em informática já afirmaram que o mesmo é deplorável...) código fonte para modelagem, em sua forma original, inclusive com as notas do programador (aqui estão as "pérolas") está entre o material "hackeado" e nele fica patente as manipulações, forjamentos e engodos empregados na farsa climática!

Por que tudo isso é importante?

Porque países como o Reino Unido, França, EUA aprovaram taxações pela emissão de carbono aos seus cidadãos e empresas baseados na premissa de que o CO2 é o vilão da história e que agora, às portas do encontro de Copenhague sobre "as mudanças climáticas globais" (atentem que o termo aquecimento está sendo deixado de lado por motivos que os e-mails deixam claro...), o tratado que foi preparado para que os países sejam signatários (aqui há outra monstruosidade escabrosa, pois o texto completo vazou e fala em "governo mundial" e centralização de decisões tirando a autonomia dos países...).

Bilhões e bilhões de dólares foram gastos para se diminuir as emissões de carbono! Uns poucos ganharam muitíssimo dinheiro com isto, mas a quase totalidade da população mundial perdeu, já que teve que bancar formas alternativas de energia, sabidamente mais dispendiosas que a da matriz energética já implantada no mundo e diminuir seus padrões de vida para assim emitirem menos CO2.

E em nome de que tudo isso foi engendrado?

Em benefício próprio da "Máquina do AGA" (cientistas, pesquisadores, políticos, jornalistas, empresários, ambientalistas, etc), para que os envolvidos permanecessem como os "senhores" da ciência e da governança mundial, conseguindo com isso enormes somas para financiamento de pesquisas e poder para direcionar decisões que influiriam em todo o Planeta.

Criaram um clima de terror mundial, gerando pânico nos cidadãos comuns, que diante da "catástrofe" climática iminente, não impuseram nenhuma objeção aos políticos oportunistas de plantão que viram aí uma excelente oportunidade de criarem taxas sobre "emissões de CO2" e engordar os caixas de seus governos e os próprios bolsos, de posarem de defensores do meio ambiente e zelosos com o futuro do Planeta e ainda propuseram leis que visavam controlar de forma mais incisiva o modo de vida de seus cidadãos.

Os bilhões gerados por esta indústria do medo tinham uma fatia repassada aos cientistas alardeadores do AGA que por sua vez retroalimentavam toda a "Máquina"!

As pessoas desconhecem, por exemplo, que Al Gore é sócio de uma das maiores empresas de comercialização de créditos de Carbono do mundo. As pessoas desconhecem que, ainda semana passada em entrevista à prestigiosa revista NewsWeek, Al Gore assumiu pela primeira vez que estava "um pouco errado", e que o CO2 representa apenas 40% no Aquecimento Global (na verdade as estimativas são de que o vapor d´água representa de 60% a 80% do "efeito estufa" no Planeta Terra, e esta é só uma das inúmeras mentiras e distorções que ele propaga no seu "Verdade Inconveniente") e que com isso, ele achava que ficava um pouco mais difícil de conseguir aprovar novas legislações impondo novas taxas às emissões deste gás, bem como a sua limitação.

Mas não comemorem ainda, pois o "guru" do aquecimento global, Al Gore, acha que devemos taxar a produção agropecuária por esta ser responsável pela emissão de outros gases que também afetam o efeito estufa, como o metano e o óxido nitroso (será que vamos acreditar nesta mesma mentira contada de novo, apenas com nova roupagem?).

O Brasil, por exemplo, fala em reduzir em pouco mais de 38% a emissão de gases estufa; ora, isso se dará de forma muito pequena na indústria, comércio e residências, então como grosso das emissões no país são de origem de queimadas e da agricultura, onde os senhores acham que serão impostas severas restrições e penalizações? Isso mesmo, no setor agropecuário! Isso sem sombra de dúvidas irá encarecer nossos produtos agropecuários e com isso o reflexo se dará no bolso tanto de nossos produtores rurais, que terão suas já reduzidas margens ainda mais estreitadas, quanto no bolso de nossos cidadãos como um todo, que pagarão mais caro pelos alimentos.

Falar em redução de emissões de gases estufa é o mesmo que falar em diminuição no consumo energético ou substituição por outras matrizes muito mais caras, o que para países em desenvolvimento como o Brasil significa a condenação perpétua ao estágio de subdesenvolvimento em relação aos países do Norte.

A população deve tomar conhecimento de tais fatos e cobrar de nossos políticos, megalomaníacos ou não, posturas cautelosas e aguardar no mínimo que se façam investigações rigorosas sobre estes novos fatos surgidos antes de assumirem quaisquer compromissos aos quais estarão irrevogavelmente vinculados.

Cordialmente,
Helio Cabral Jr

PS: eu recebi por e-mail, de um "amigo" pesquisador brasileiro em climatologia (Prof. Dr. PHD...) todos os arquivos "hackeados" originalmente liberados na rede.

"Primeiramente, o código é um lixo, como nós programadores costumamos dizer. Uma vergonha para qualquer programador e o qual não deveria NUNCA ter parado em mãos de terceiros. Felizmente para a humanidade foi exatamente o que aconteceu.

Ao longo do código o(s) programadore(s) lamentam a falta de dados precisos, o precário estado do banco de dados do centro, e como foi preciso ajustar diversos algoritmos para que mostrasse os resultados "corretos".

Muitas pessoas dizem que os trechos dos emails foram tirados fora de contexto anos após terem sido escritos. Comentários de código, por sua vez, têm o objetivo de documentá-lo de forma que possa ser mantido anos após ter sido escrito.

Seguem abaixo alguns trechos do código:

; Isso funciona com REMTS SENDO UM ARRAY bi-dimensional (Nseries, ntime) de múltiplas TimeSeries
, Cuja influência será removida. Infelizmente, o IDL5.4 p_correlate
; Falha com SÉRIES > 1 mantida constante, por isso tenho de remover a sua
; INFLUÊNCIA DE AMBOS INDTS E Depts Usando Regressão Linear Múltipla e entao usar a funcao correlata nos resíduos.
;
pro maps12, yrstart, doinfill = doinfill
;
; Plota 24 mapas anuais de reconstruções MXD calibradas (PCR-infilled ou não)
; de temperaturas crescentes. Usa MXD "corrigido" - mas geralmente não deve
; plotar antes de 1960, porque estes últimos serão artificialmente ajustados para parecer mais perto de temperaturas reais

; Calcula regressões em passa-alta e passa-baixa séries Esper et al. (2002)
; ,anomalias contra temperaturas NH completa e outras séries.
; CALIBRA CONTRA TEMPERATURAS DE TERRA AO NORTE DA LATITUDE 20N
; Especificar o período acima do qual se de deseja calcular as regressões
;(parar em 1960 para evitar O declínio)

https://www.anenglishmanscastle.com/HARRY_READ_ME.txt

Estou ficando seriamente cansado com o estado dos dados da australia. tantas novas estações foram introduzidas, tantas referências falsas .. tantas mudanças que não são documentadas. Cada vez que uma nuvem se forma eu sou apresentado com uma seleção assombrosa de sites semelhantes de sondagem, alguns com referências, alguns com os códigos da OMM (Organizacao metereológica mundial), e alguns com ambos.

28. Com grande relutância, eu mergulhei na ´anomdtb "- e já estou com aquela sensação familiar de Twilight Zone.

eu sou a primeira pessoa a tentar por os dados CRU (Climate Research Unit) em ordem?!

Bem, dtr2cld não é o programa mais complicado do mundo. Considerando cloudreg, que é, e eu imediatamente encontrei um erro! A leitura para a frente a 1951 foi feito com um loop que, por razões completamente insondáveis, não incluem meses! Assim, lemos 50 grids ao invés de 600!

...Por isso que isto não foi codificado em Fortran não sei - por pressões de tempo talvez? Foi muito esforço dispendido na homogeneização, que não houve tempo suficiente para escrever um procedimento de gridding? Naturalmente, é tarde demais para eu corrigi-lo também. Meh.

Aqui, o esperado período 1990-2003 está FALTANDO- assim as correlações não são tão quentes! No entanto, os códigos da OMM e os nomes das estações / posições são idênticos (ou quase). Que diabos devia acontecer aqui? Ah, sim - nao devia acontecer, entao eu posso inventar. E então foi o que eu fiz :-)

Como podemos ver, até eu estou fazendo bobagem! Embora possa recuperar. DTR, TMN e TMX precisa ser escrito como (i7.7). / Code>


AHH DANE-SE. É noite de domingo, eu trabalhei todos os fins de semana, e só quando eu pensei que havia acabado eu recebo ainda outro problema que é baseado no estado desesperador de nossos bancos de dados. Não há integridade de dados uniforme, é apenas um catálogo de problemas que continua a crescer a medida que eles são encontrados.

;mknormal,yyy,timey,refperiod=[1881,1940]
;
; Aplicar uma correção MUITO ARTIFICIAL para declínio!
yrloc=[1400,findgen(19)*5.+1904]
valadj=[0.,0.,0.,0.,0.,-0.1,-0.25,-0.3,0.,-0.1,0.3,0.8,1.2,1.7,2.5,2.6,2.6,$
2.6,2.6,2.6]*0.75 ; fator lorota

FOIA\documents\osborn-tree6\summer_modes\pl_decline.pro
; *** Deve alterar FUNCT_DECLINE.PRO PARA IGUALAR COM AS COORDENADAS DO INÍCIO DO DECLÍNIO. ALTERAR ISTO CADA VEZ QUE VOCE MUDAR QUALQUER COISA ***"



Nota AgriPoint: decidimos por publicar esse texto considerando que o assunto foi apresentado em alguns veículos importantes da mídia, como o Jornal Nacional, entre outros.

50

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

HUMBERTO DE FREITAS TAVARES

RIBEIRÃO PRETO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 25/02/2010

Registro com pesar o falecimento do José Carlos de Azevedo, que mencionei em meu comentário do dia 17/12.

https://www.linearclipping.com.br/CNTE/m_stca_detalhe_noticia.asp?cd_sistema=93&cd_noticia=1052292

Uma homenagem interessante,

https://saiddib.blogspot.com/2010/02/jose-carlos-de-almeida-azevedo-uma.html

Como lembrança de sua inteligência e combatividade, vale reler aquele que talvez tenha sido seu último artigo

https://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2009/12/17/fraude-e-falsidade
HELIO CABRAL JUNIOR

GOVERNADOR VALADARES - MINAS GERAIS

EM 04/02/2010

Caro Luiz Carlos,

Obrigado pela gentileza e eu parabenizo por se mostrar uma pessoa cordata e que avaliando os vários aspectos de uma situação toma suas próprias e acertadas conclusões.

Tudo o que você disse é a mais pura realidade.

O fenômeno das "ilhas de calor urbano" são realidades incontestes. Nossas cidades apresentam um albedo muito baixo, devido ao concreto e asfalto, ou seja, tem baixa capacidade de reflectância da radiação luminosa incidente.

Como você bem colocou, os prédios contribuem também fazendo com que o calor acumulado tenha sua dissipação dificultada pelo cisalhamento das correntes de ar, que por vezes chega a ser interrompida.

O fator da termoaclimatação também é importante e esteja certo que não é levado em consideração por nenhum modelo, pesquisador, etc.

No tocante às enchentes mais uma vez você lanceta precisamente o ponto nevrálgico: a impermeabilização dos solos, somada à irresponsabilidade e ganância de nossos administradores que permitem construções em áreas de várzeas ( leito maior ) e até mesmo do leito menor, e ainda se furtam ( ou deveria dizer que nos furtam?... ) de realizarem obras de drenagem e contingenciamento no caso de chuvas acima do normal ( galerias subterrâneas de "armazenamento" como em Tokyo ou París ).

Estes políticos preferem culpar "são Pedro" quando dados à religião ou a "imprevisibilidade" da natureza pela sua inação frente aos fenômenos metereológicos.

São Paulo é o exemplo típico: o recorde de chuvas no mês de janeiro era de 1947 com 483mm e foi batido por pouco este mês passado, mas em 1947 não havia AGA.

Outra coisa: os moradores de cidades banhadas por cursos d'água do sistema Cantareira estão inundados. Culpa da natureza ou da inação e descaso político/administrativo, já que no mês de outubro passado o INPE havia feito comunicados de que as precipitações seriam acima da média histórica para o período de janeiro a março e que por isso recomendava aumentar já naquele momento a vazão das represas do sistema para poderem fazer frente às chuvas que estavam por vir, sob risco de enchentes catastróficas.

Agora a ANA e a SABESP dizem de nada saber, que não foram informadas, etc. Demitam todos os gestores destas agências pois elas existem é para correr atrás de informação e não para serem pura e simplesmente "alimentadas" com dados no conforto de seus gabinetes refrigerados.

Resumo da ópera: pecaram por omissão ou por incompetência! Se fosse um pais sério, as cabeças destes diretores já teriam "rolado" ( lembram-se do episódio do apagão no Chile onde a ex presidente Michelle Bachelet demitiu sumariamente o amigo ministro responsável pela área de energia )!

Cordialmente,

Helio Cabral Jr
LUIZ CARLOS SANTOS CAETANO

CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - ESPÍRITO SANTO - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 03/02/2010

Parabéns ao Dr. Hélio por abordar com tanta clareza este tema. Sempre questionei o aquecimento global da forma como foi difundida pela imprensa. Gostaria de colocar algumas conclusões que cheguei ao ouvir de pessoas comuns que a cidade está cada vez mais quente:
a) Desde criança me lembro de verões com temperaturas quase insuportáveis. Na verdade há 40 anos as cidades eram menores, sem ou com poucas ruas com asfalto que pela cor absorve grandemente a radiação produzindo calor; nenhum ou poucos prédios para bloquear a circulação dos ventos. Outro ponto: a população rural era maior e as pessoas estavam mais acostumadas ao sol. Hoje quem trabalha no ar condicionado e sai ao sol às 2 horas da tarde fatalmente vai reclamar do calor.
b) Com relação a enchentes: as cidades estão impermebilizadas pelas construções (de cimento ou asfalto), então toda a chuva que cai vai para os cursos ´d´água que vão transbordar e inundar as áreas vizinhas. E isto tem um efeito cascata em todas as cidades ao longo de um rio, por exemplo.
De modo que precisamos ter cuidado com os modismos que despejam em nossos ouvidos de tempos em tempos.
HELIO CABRAL JUNIOR

GOVERNADOR VALADARES - MINAS GERAIS

EM 02/02/2010

Caro Richard,

Desde fins do ano passado que remeti um artigo intitulado "Arquitetando o Crime do Século Contra a Pecuária Nacional" que versa exatamente sobre estes pontos que você levantou. Por um motivo ou por outro os editores dos sites AGRIPOINT entenderam que não seria material publicável; hoje mesmo já o reenviei ao sr. André Camargo para reapreciação em vista de sua colocação.

De suma importância sua contribuição aqui nos sites AGRIPOINT assim como em sua luta em seu blog e outros meios contra este total absurdo do Aquecimento Global Antrópico, bem como da "criminalização" do gás da vida que é o CO2.

Seus aportes são perfeitos e como à perfeição não cabe retoques, me resta agradercer-lhe pela magnifica exposição e particularmente por sua luta contra o AGA.

Cordialmente,

Helio Cabral Jr
HELIO CABRAL JUNIOR

GOVERNADOR VALADARES - MINAS GERAIS

EM 02/02/2010

Caro Richard,

De suma importância sua contribuição aqui nos sites AGRIPOINT assim como em sua luta em seu blog e outros meios contra este total absurdo do Aquecimento Global Antrópico, bem como da "criminalização" do gás da vida que é o CO2.

Seus aportes são perfeitos e como à perfeição não cabe retoques, me resta agradercer-lhe pela magnifica exposição e particularmente por sua luta contra o AGA.

Cordialmente,

Helio Cabral Jr
HELIO CABRAL JUNIOR

GOVERNADOR VALADARES - MINAS GERAIS

EM 28/01/2010

Caro Dalton,

Vamos dar alguns retoques às suas assertivas:

Pesquisas em algumas áreas só se dão com fundos governamentais, pois seriam consideradas "potencialmente viciadas" se os financiamentos viessem de setores que potencialmente poderiam ser afetadas de uma forma ou de outra pelas mesmas. E todos sabemos que os cofres públicos são pródigos quando há uma determinação politica para algo.

Todos estes gigantescos fundos "queimados" nesta histeria anti-carbônica seriam muito mais bem aplicados e com resultados não só palpáveis como plenamente justificáveis se fossem usados no financiamento de novas tecnologias de produção de alimentos e conservação de água, bem como de subsidio de alimentos à populações carentes, saneamento básico e educação! E com estes tipos de investimento é certo e notório que se faz bem às pessoas e ao meio ambiente!

CO2 poluente? Mas é o gás que permite a vida no planeta!

Controlar a emissão de vapor d´água... essa chega a ser hilária.

E com razão modelar o clima do planeta é tarefa hercúlea mesmo para os supercomputadores, entretanto desde sua calculadora de bolso até estas super máquinas só trabalham com aquilo que é inserido nelas como dados; os resultados são tão bons ou tão ruins quanto os dados que foram inseridos.

Só para exemplificar, a metodologia recomendada pelo IPCC para modelagem de clima no tocante à pecuária não leva em conta o C imobilizado/sequestrado pelos restos radiculares e de demais partes das forrageiras no solo... ou ainda praticamente não atribui mensurações às nuvens como fatores de arrefecimento, etc, etc, etc.

Com relação aos dados ( que acho que você não teve acesso aos originais e deve ser pouco familiarizado com questões de segurança, web e informação digital ) foram postados em um servidor russo sim, mas por questões de anonimato ( servidores públicos de uploads de arquivos ) e pela variedade, sequenciamento e complexidade dos dados expostos hoje especialistas em segurança da informação dão como certo que não tenha sido um trabalho de hackers, mas sim um vazamento interno de alguém com acesso aos dados e insatisfeito com a forma como as coisas estavam sendo conduzidas...

Com relação à Russia se beneficiar, e o Canadá, e os paises nórdicos, e a própria Grã-Bretanha, e a Africa do Sul, Argentina, etc?

O ótimo climático do holoceno que durou cerca de 5.000 anos ( 8.000 a 3.000 ac ), o ótimo climático medieval que durou cerca 300/400 anos ( 800 a 1.200 )também não são linhas históricas ou significativos? E olha que são sequências bem maiores que 10 anos...

E finalmente utilizando o principio da precaução, espero que você jamais seja picado por uma cobra venenosa em seu pé, pois caso siga à risca sua filosofia talvez se veja compelido a amputar a própria perna ou se você for um humanista que não lhe confiram o gerenciamento da região amazônica, pois talvez erradique a floresta para prevenir a malária e outras afecções...

Cordialmente,

Helio Cabral Jr
RICHARD JAKUBASZKO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - MÍDIA ESPECIALIZADA/IMPRENSA

EM 28/01/2010

Caros participantes,
faz tempo que venho brigando contra esse porco-boi que colocaram em nossa sala com o nome de "aquecimento global", e que agora muda de nome para "mudanças climáticas".
Escrevi e publiquei em meu blog, e foi replicado em mais de 30 sites e blogs, inclusive Observatório da Imprensa, Peabirus, Agrolink, o artigo "CO2: a unanimidade da mídia é burra": https://richardjakubaszko.blogspot.com/2009/10/co2-unanimidade-da-midia-e-burra.html onde há provas de que os solos degradados é que geram calor, nunca o CO2 ou outros gases.
Nesse artigo tive a parceria do Odo Primavesi, agrônomo aposentado da Embrapa, e um dos signatários do IPCC, mas que é contra a ideia de que a causa do aquecimento sejam os gases de efeito estufa, apesar dele acreditar nas mudanças...
Escrevi muitos outros artigos, uns estão aqui no BeefPoint (IPCC: e se os cientistas estiverem enganados?) que é de 2007, publicado logo depois que eles informaram o início do fim do mundo...
Enfim, se derem uma espiada no meu blog, os interessados em maiores informações vão encontrar, em dezembro último, o artigo "Inconsistências da ciência em tempos de COP-15", que debate um número "default" do IPCC sobre a urina bovina, sobre a emissão de óxido nitroso (N2O), que seria de uma desproporção abissal, eis que o IPCC informa que a urina bovina emite 2.0% de N2O, mas a Embrapa registra 0.4%, número confirmado pelo Instituto de Zootecnia, de Nova Odessa, SP. Essa "fórmula", na calculadora dos ambientalistas, vira o "samba do crioulo doido". O artigo está nesse link: https://richardjakubaszko.blogspot.com/2009/12/indefinicoes-da-ciencia-em-tempos-de.html
Vou escrever um artigo (em breve) propondo ao Al Gore para que devolva a estatueta do Oscar e o diploma do Nobel, antes que as academias façam isso...
HELIO CABRAL JUNIOR

GOVERNADOR VALADARES - MINAS GERAIS

EM 26/01/2010

Caro Michel,

Devo enfatizar que desacreditar do "aquecimento global antrópico" não quer dizer que sejamos contra o meio ambiente, muito pelo contrário!

Óbvio que devemos preservar e limpar nossas águas, solos e ar; claro que devemos otimizar nossos gastos; por certo que devemos evitar o desperdício e assim por diante.

Mas alguns pequenos detalhes de seu comentário eu gostaria de contra-indagar-lhe: "Sera que queimar tanto hidrocarboneto é realmente necessario?" - Em nosso pais infelizmente é, já que nossos governos jamais focaram em meios de transporte de massa como ferrovias e hidrovias, tendo pelo contrário privilegiado as rodovias e sem o menor cuidado com os transportes coletivos. Mas mesmo que substituissemos a matriz de transporte rodoviaria fundamentada em petróleo, ainda assim não poderíamos abrir mão deste precioso composto, pois o modo de vida como o conhecemos hoje depende em grande parte dele ( polimeros, e uma infinidade de outros compostos orgânicos, etc )

No caso de outros paises que tem suas matrizes energéticas baseadas em carvão, petróleo e gás o que você sugeriria às populações menos abastadas destas localidades como alternativas à estas fontes energéticas baratas para por exemplo aquecê-las nos invernos rigorosos?

Com relação à destruição de recursos naturais como os florestais por exemplo, concordo com você, entretanto não acho que devam ser mantidos intocados e sim explorados racionalmente como por exemplo é feito nos remanescentes de florestar nativas de paises do Norte ( note bem que usei o termo remanescentes... ).

Concordo também com você quando diz que em breve o que irá nos aterrorizar serão as ações dos seres humanos, mas não se esqueça também da fome mundial provocada por estas ações, pois se você tiver a curiosidade de lêr o Atlas da Utilização de Terras no Brasil, da EMBRAPA, verá que só temos efetivamente cerca de 24% de nosso território já ocupado e potencialmente ocupável pela agropecuária devido à restrição de nossas leis...

Existem dois meios extremamente eficazes de se diminuir o impacto ambiental provocado pelo homem: restrição demográfica, ou seja, populacional, e aqui você pode propor os meios que achar mais apropriados, e estagnação econômica, desde que você indique quem ( quais paises ) irão sofrer as consequências da mesma ( desemprego, doenças, fome, desestruturação social, etc ).

Pelo andar da carruagem parece que os paises do Norte, justamente os mais perdulários em termos ambientais já decidiram que nós do Sul ( paises em desenvolvimento e subdesenvolvidos ) é que deveremos pagar o pato para que eles mantenham seu "status quo".

E com tudo isso nós ainda continuaremos com discursos, politicas e ações ( ainda que eivados de boas intenções... ) que de certa forma endossam este neocolonialismo e pena perpétua (sem direito a condicional ) de subdesenvolvimento e melhoria de qualidade de vida???

Cordialmente,

Helio Cabral Jr

ps: continuo sem máquina e sem internet.
DALTON FRANCISCO CATTO

CAMPO GRANDE - MATO GROSSO DO SUL - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 26/01/2010

Esta historia esta parecendo a Briga do Cigarro, se faz mal ou não. Financiamento por financiamento acredito que a industria do petroleo e carvão pode financiar mais. Segundo, modelar o planeta terra num computador é dificil mesmo, com certeza ninguem sabe o que vai acontecer, mas todos sabemos que algo vai acontecer, e pelo principio da precaução devemos agir onde podemos, não podemos agir nos ciclos naturais, mas podemos impedir a poluição, o CO2, e até o Vapor de Agua. Outra coisa interessante é que esta noticia tenha vazado na Russia, unico pais que irá se beneficiar com o aquecimento global, não dava para requear na Alemanha ou mesmo Brasil, cade nossos tão propalados racker´s, tinha que ser na Rússia. Outra coisa lista de anos mais quentes não siguinifica nada, mas a tendencia e alinha historica sim, 10 anos em 300 não é uma boa medida.
CARLOS OTÁVIO MADER FERNANDES

CONCÓRDIA - SANTA CATARINA - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 26/01/2010

Caro Dr. Helio Cabral.
Parabens pela coragem de expor um tema tao controversio, e de unaminidade dubia, com varios interesses como o sr. tem demostrado. A questao a ser discutida e trabalhada nao e se devemos aceitar uma ou outra vertente, mas sim discutir o modelo de desenvolvimento que nos queremos para o futuro do Brasil ou do Mundo, nao simplesmente acharmos que com uma vertente ou nao seremos prejudicados. Este modelo de uso irracional dos recursos naturais esta falido, somente se sustenta em condicoes de subsidios pela sociedade ou por exploraçao de outros povos. Como estamos falando num site voltado para o setor agropecuario, como sustentar a longo prazo sistemas produtivos que usam largamente recursos naturais nao renovaveis, com alto uso de agrotoxicos e adubos quimicos. Se no pais de maior expressao neste modelo e com teoricamente as maiores produtividades, os produtores necessitam de subsidios para se manterem na produçao. Como nossos tecnicos e pesquizadores querem transferir este modelo para paises com menor capacidade economica. em funçao disto nossos produtores passam a vida toda discutindo preço do leite e dos insumos. O neocolonialismo esta em querer adotar a mesma matriz tecnologica, os mesmos conceitos, e nao refletir sobre as perspectivas futuras, com o uso de tecnologias limpas, ambientalmente corretas e socialmente justas.
Normalmente argumentos, como: fome, miseria, desemprego sao utilizados como argumentos por uma ou outra vertente ideologica ou cientifica, sendo utilizada como terrorismo ideologico.
A questao e, como produzir mais, com menor uso de insumos nao renovaveis, com uma matriz energetica sustentavel, e que seja socialmente justa. Talvez se 50% dos recurso da pesquiza estivessem voltados para atender os anseios da sociedade, e nao de empresas, ou grupos, muitas destas tecnologias limpas ja estariam a disponiveis para o conjunto da sociedade.
Cordialmente,
Carlos
HELIO CABRAL JUNIOR

GOVERNADOR VALADARES - MINAS GERAIS

EM 26/01/2010

Caro Carlos,

Pesquisa e conhecimento assim como extensão são tudo para a agropecuária ( além é claro da competência e determinação de nossos produtores ).

Concordo com você, deveríamos além de exigir dos governos ( nas 3 instâncias, federal, estadual e municipal ) maiores investimentos em pesquisa e extensão, também deveríamos conscientizar nossos produtores a destinarem uma parte ínfima da comercialização de seus produtos à esta mesma pesquisa e extensão e teríamos aí a famosa relação ganha + ganha, pois todos os setores sairiam lucrando: o produtor produzindo mais a um custo menor, os profissionais da pesquisa e extensão sendo valorizados e capacitados, os consumidores tendo acesso a mais alimentos e produtos com maior qualidade e preços justos e assim por diante.

Racionalizaríamos todas as cadeias com ganhos para a humanidade e o meio ambiente. Mas volto a insistir: meio ambiente só tem significado quando se insere o ser humano no mesmo.

Frases de efeito do tipo: "A Terra existe sem o homem mas o homem não existe sem a Terra" são de uma idiotice inominável ( não na essência do conceito, que é inequivocamente verdadeiro, mas na conotação que lhe é atribuída ). Como espécie dominante temos sim o direito de dispor ( racionalmente ) dos recursos que o planeta nos oferece.

Mas somos bombardeados com idéias esdrúxulas do tipo: se extinguirmos tal ou qual espécie haverá uma lacuna na cadeia natural, etc. Somente quem desconhece profundamente a vida e o sistema evolucionário pode afirmar tamanha bobagem; a natureza não permite nichos desocupados, pois sempre alguém tirará proveito de uma oportunidade.

Lembrem-se que a regra no planeta Terra é a extinção, já que 99,9 por cento de todas as espécies que já passaram pelo planeta estão extintas e o mesmo destino nos aguarda ( ou conseguiremos tecnologicamente nos esquivarmos das armadilhas cósmicas e outras mais? ).

Sou a favor sim da conservação, mas em vista do exposto à cima não vejo nenhuma tragédia na extinção de algumas espécies ( para satisfazer os xiitas ambientais posso até usar o termo "várias" espécies ) para que o Homem prevaleça.

Em essência não há diferença em se extinguir por ação do Homem ( o que deve se procurar evitar ao máximo na medida do possível ) ou se extinguir por uma catástrofe natural ou cósmica!

Tenham em mente que a mega-fauna do pleistoceno ( era a principal fonte de proteína animal à nossos ancestrais neanderthais e sapiens fossilis e até sapiens sapiens ) foi extinta por completo e nós, os humanos prevalecemos e até que nos demos bem ( a julgar por hoje... ), então esta conversa fiada de que o futuro do Homem está diretamente e inexoravelmente ligado a toda e qualquer espécie com a qual convivemos hoje é balela e non sense e não se sustenta historicamente.

Devemos conservar e cuidar sempre que possível da biodiversidade, mas o Homem em primeiro lugar!

Fugi um pouco ao tema...

Cordialmente,

Helio Cabral Jr


ps: ainda desconectado.
MICHEL KAZANOWSKI

QUEDAS DO IGUAÇU - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 22/01/2010

Caros Amigos que participam deste debate. Vamos levar a questão ambiental por um lado prático.
Se pegarmos os 100 ultimos anos de história, mais consideravelmente o periodo pós-guerra, veremos um boom de crescimento da população humana e uma ocupação desordenada de todos os territorios do planeta. O que se pode observar é uma alteração drastica em todo o meio que existia a um século.
Também sou contra a muitas das asneras que o ministério do meio ambiente quer impor a agricultura. Mas o mais interessante ponto que surgiu com as discussões sobre aquecimento global, comprovado ou não, foi uma mudança na mentalidade da população, embora que em minoria, mas que vem crescendo aos poucos, de que o modo de vida que levamos é insustentavel.

Se derrubarmos a Amazonia, como fizemos com a Mata Atlantica, isso vai influenciar no Clima Global? Talvez não. Mas será que isso é mesmo necessario? O lucro proveniente da venda da madeira de uma floresta que levou milhões de anos para chegar ao seu climax compensa a sua completa destruição? Não temos area o suficiente de terras agricultaveis em estado de degradação ou com indices de produtividade irrisorios que poderiam ser melhor exploradas e produzir muito mais? Queimadas são um modo eficiente de limpar o solo e renovar as pastagens?
Só acho que a nossa geração ja modificou o planeta até demais do que deveria e precisamos repensar em como levamos a nossa vida. Sera que queimar tanto hidrocarboneto é realmente necessario? Entupir lixões com nossas porcarias, destruir nascentes dágua por falta de preservação de suas margens, acabar com toda uma diversidade de fauna e flora local para extração de umas poucas espécies...

Destruir é muito facil, reconstruir é que é dificil. Ha 50 anos o Paraná era coberto por mata Atlantica, mais especificamente a minha cidade, tinha a maior concentração de Araucarias do Continente. Hoje se vê alguns poucos exemplares perdidos em alguma pequena faixa de floresta. A extração começou em 1977 e no fim da decada de 80 ja estava do jeito que está.

Pois continuamos a consumir os recursos naturais desenfreadamente, como estamos fazendo, e em breve não vão ser as mudanças climaticas que vão nos aterrorizar, mas as próprias ações dos seres humanos!

Um abraço a todos.
HELIO CABRAL JUNIOR

GOVERNADOR VALADARES - MINAS GERAIS

EM 11/01/2010

Caro Artenis,

Muito obrigado pelas gentís palavras e parabéns por já como estudante se comprometer com a verdade acima de tudo!

E em nome da verdade devo admitir que os dados comparativos de instrumentos em solo e satélites da NASA mostram um aquecimento de 0,7 graus célsius de 1.970 até 2.007.

Por ser um dos chamados "céticos" não posso omitir tal fato, pois é o que é, um fato!

Ah, em tempo: estes dados são do planeta vermelho Marte ( não confundir com o planeta azul Terra ), e lá não tem seres humanos emitindo CO2; então será que a grande bola de fogo que domina nossos céus diurnos não seria a responsável em boa parte por estes aquecimentos???

Cordialmente,

Helio Cabral Jr

ps: continuo sem máquina e sem internet.
ARTENIS JARDEL DE SOUSA CRUZ

JANAÚBA - MINAS GERAIS - ESTUDANTE

EM 09/01/2010

Caro Helio Cabral,
Informação é a melhor arma para uma pessoa. Sem duvida o "aquecimento global" é uma ferramente de interesse de alguns poderosos que querem nada mais nada menos que poder e fortunas. Fico admirado de ver uma pessoa tão bem informada como o senhor, pois sendo dentista (nada contra a profissão, mas por estar fora da área da ciência agrária), esta mais informado que muitos formadores de opnião (professores, mestres e doutores) de nossa área. Acompanhei uma entrevista dada pelo Dr. Luiz Carlos Molion (ou Morion, desculpe, mas não peguei o nome na entrevista) a uma rede de TV (pena que não de maior audiência) que levantou muito bem os pontos que o senhor colocou aqui em relação aos erros e manipulações dos defensores do AGA. Mas o que mais me admira é quando o senhor coloca as "penalidades" sofridas por aqueles pesquisadores sérios que querem buscar e divulgar apenas as verdades. Como futuro pesquisador, que pretendo ser, tenho medo de ser considerado louco, usuario de toxicos, defensor do holocausto, dentre outros adjetivos dados aos que buscam a verdade do AGA. Mas gostaria de parabeniza-lo pela coragem e a cima de tudo a consciência de levantar fatos e questionar, com informação, o que juram ser verdade absoluta, alem de nos presentear com seu conhecimento.

Att.:

Artenis Jardel
LEVINO DIAS PARMEJIANI

CACOAL - RONDÔNIA - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 07/01/2010

Acorda brasil!!!
nossas leis ambientais nos foram impostas pelos eua e europa.
querem nos obrigar a reflorestar para nos impedir de ser o maior produtor mundial de alimentos.
se conseguirem quebrar o agronegócio brasileiro, quebram toda nossa economia.
querem nos manter eternamente na miséria.
vamos lutar (não é por direitos) pelos nossos interesses acabando com o instrumento jurídico chamado "reserva legal", pois este só existe na legislação brasileira.
CARLITO W. BICA

OUTRO - RIO GRANDE DO SUL - EMPRESÁRIO

EM 07/01/2010

Quando menino, ouvi um advogado responder a um questionamento de meu pai, de como ele citava diversas frases de efeito, atribuidas a algum personagem da historia mundial em seus discursos de improviso. Citava nomes, datas, pesoas envolvidas etc, demonstrando uma memória prodigiosa. Ao ser inquerido, respondeu simplesmente: Cito nomes, situações, dou datas, nomes e outros dados, pq ninguem vai conferir o que falo. Tenho credibilidade e todos acatam como verdade. Assim estamos nós, acatando mentiras e não nos preocupando em conferir as coisas.
Como pecuarista deveria saber uns dados que pergunto a Vc por ser mais comodo: Quantos bovinos existem no mundo? Quantos motores de combustão interna(carros/motos/navios/lanchas etc) existem no mundo funcionando no mundo em média "X" horas por dia? Poderemos com certeza contestar o absurdo de que nosos "bois" poluem mais que todos os motores do mundo...
Parabéns pela matéria.
HELIO CABRAL JUNIOR

GOVERNADOR VALADARES - MINAS GERAIS

EM 07/01/2010

Caros João, Rodrigo e Levino,

Estou sem máquina e sem internet, por isso vou me restringir a agradecer a contribuição de vocês ao tema.

Cordialmente,

Helio Cabral Jr
RODRIGO THOMÉ

CARANGOLA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 05/01/2010

prezado Hélio,continuo acompanhando os dados valiosos e divulgando,trabalhando para esclarecer os desinformados,parabéns
JOÃO FRANCISCO S. VAZ

PELOTAS - RIO GRANDE DO SUL - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 18/12/2009


Barbaridade, mas como é difícil se fazer entender neste País!
O que o Dr Hélio quer dizer, e tem provas substanciais para isso, é que o alarme sobre o aquecimento global está servindo à um grupo de pessoas influentes e que estão nitidamente se beneficiando ao manipular dados!
O próprio comércio internacional dos tais "créditos de carbono" são um exemplo vivo disso.
É lógico que devemos estimular o uso de energias alternativas(eólica e solar principalmente), bem como temos que zelar pela biodiversidade, preservando ao máximo as florestas, e etc.
Todos querem um Planeta melhor, mais limpo, mais agradável e mais humano.
Mas que tem muita "picaretagem" nesta história, ah...isto tem!
HUMBERTO DE FREITAS TAVARES

RIBEIRÃO PRETO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 17/12/2009

Excelente artigo na Follha de S. Paulo, do JOSÉ CARLOS DE ALMEIDA AZEVEDO, meu colega engenheiro naval e físico renomado:

Fraude e falsidade
https://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2009/12/17/fraude-e-falsidade

Vale copiar o fecho:

"A maior ameaça à humanidade não é o aquecimento antropogênico. Afinal, a Terra está esfriando e se aproxima de um novo período glacial -isso é comprovado por vários fatores, incluindo a inexistência de manchas solares, que desapareceram há quase um ano.

O que a ameaça a humanidade é a intromissão, na vida das pessoas e das nações, de órgãos sem mandato eletivo e de grupos econômicos, além da ONU.

Eles querem nos governar e determinar às nações o que podem fazer, quanto podem crescer e consumir e se podem ser livres e independentes."
CaféPoint AgriPoint