ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Padrões socioambientais: confiança ou controle?

Recentemente, pesquisadores vinculados ao Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) anunciaram que o desmatamento na Amazônia pode ser maior que o estimado. Utilizando dados coletados pela Agência Espacial Europeia, o Instituto foi capaz de superar uma importante limitação no estudo dos padrões de desmatamento em florestas: a considerável cobertura das nuvens. Utilizada para o monitoramento da atividade de vulcões, a tecnologia detida pela Agência Espacial Europeia produz imagens mais precisas da Amazônia.

Esta é apenas uma entre as novidades na área. Novas tecnologias também permitiram ao Imazon identificar o desmatamento em pequenas propriedades na Amazônia – algo muito difícil até um passado recente, dada a limitada definição das imagens disponíveis. Outro exemplo de avanço em nosso conhecimento sobre os padrões de desmatamento é encontrado em ferramentas como o Global Forest Watch, lançado pelo World Resources Institute. De forma interessante, não apenas conhecemos melhor o estado de nossas florestas, como também compartilhamos tais informações com um número crescente de indivíduos.

De fato, foi-se o tempo em que a posse de dados sobre questões complexas era restrita a um reduzido número de pessoas. Com um celular e uma conexão confiável de Internet, bilhões de pessoas podem comparar estatísticas sobre uma infinidade de variáveis. Que não o façam, é outra história. Até mesmo ferramentas destinadas a facilitar o exercício já existem – conforme ilustram casos como o da página do Banco Mundial. É provável, as facilidades para tal busca por informação apenas aumentem nos próximos anos. Logo, precisamos discutir as consequências desse processo. Por exemplo, pensemos sobre o futuro da organização das cadeias agroindustriais.

Muito se fala sobre a importância crescente dos indicadores socioambientais para o êxito em mercados cada vez mais exigentes. Entretanto, as boas intenções não raramente esbarram na ausência de métricas capazes de viabilizar o alinhamento de incentivos entre os diversos elos da cadeia. Preferências diversas chocam com a dificuldade de mensuração da aderência de empresas e produtores rurais aos padrões estabelecidos. Como consequência, parcela considerável dos avanços observados se deve à construção de laços de confiança entre os múltiplos integrantes de cada cadeia.

Mais especificamente, diversas iniciativas têm buscado reduzir o desmatamento causado pela expansão da produção de commodities desde a virada do século XXI. Da mesma forma, programas pioneiros procuram melhorar as condições de produtores em áreas do mundo em desenvolvimento, caracterizadas pelos limitados direitos trabalhistas. Trata-se de um período de fortalecimento do diálogo entre grupos de interesse pertencentes aos muitos setores ligados à questão – ambientalistas, agências de financiamento, consumidores, governos, produtores rurais e universidades.

Por trás de tais esforços, existe não apenas a busca por conhecer as preferências alheias. Fundamentalmente, há o reconhecimento de que a informação disponível é imperfeita. Incapazes de estimar com exatidão o grau de cumprimento das promessas de cada um, as partes envolvidas em um problema complexo precisam construir canais de comunicação e consolidar a confiança mútua. Caso contrário, iniciativas ambiciosas podem terminar em acusações de incumprimento de acordos. Quanto maior a dificuldade de mensurar um resultado, maior a importância da palavra daquele que o promete.

A literatura acadêmica é repleta de exemplos em que as dificuldades de mensuração abrem espaço para a construção de laços de confiança entre as partes em uma transação. Resta saber, porém, o que ocorre quando tais limitações desaparecem. Evidências mostram que uma maior capacidade de monitoramento do desempenho de provedores pode levar à redução da importância da confiança como um mecanismo facilitador da governança do relacionamento. Ora, o tempo e os recursos utilizados na construção de laços de confiança entre as partes em um negócio são valiosos. Por que investir em tais iniciativas se uma nova tecnologia verifica o cumprimento de uma promessa?

Por isso – e para ficar em apenas um exemplo –, é possível que os avanços tecnológicos no acompanhamento dos padrões de desmatamento em florestas contribuam para a emergência de um novo padrão de relacionamento em diversas cadeias agroindustriais. Em outras palavras,  uma melhor capacidade de monitoramento contribuiria para a diminuição da frequência do diálogo e da busca pela construção de laços de confiança. Cada vez mais, aumentaria a cobrança por meio de indicadores objetivos, com o possível oferecimento de incentivos financeiros mais precisos. Ao menos, tal tendência se materializará naqueles casos em que o diálogo seja motivado apenas por razões de curto prazo. 

Chegará o momento em que uma consulta ao celular bastará para verificar o cumprimento de um padrão socioambiental? Como responderão consumidores e empresas a esse cenário? Perderá força a necessidade de diálogo e construção da confiança, dando lugar a relacionamentos baseados no monitoramento constante e a eventual punição em caso de descumprimento das promessas realizadas? São questões que merecem discussão. O ideal seria a emergência de um cenário em que confiança e controle se complementassem. Afinal, a resolução efetiva de problemas complexos depende da construção de um marco mental comum entre as partes envolvidas.

BRUNO VARELLA MIRANDA

Doutor em Economia Aplicada pela Universidade de Missouri - Columbia.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.