ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Matas de Minas: uma região produtora de café em movimento

POR JOSÉ LUIS DOS SANTOS RUFINO

TÉCNICAS DE PRODUÇÃO

EM 24/04/2015

18
0
Por José Luis Rufino, engenheiro agrônomo, consultor do Sebrae (MG) e superintendente do Centro de Excelência do Café das Matas de Minas


A Região das Matas de Minas, situada no leste do Estado de Minas Gerais, é composta por 63 municípios que, juntos, produzem cerca de 5 milhões de sacas de café anualmente, uma quarta parte do total produzido em Minas, o principal estado produtor brasileiro. São 240 mil hectares de lavoura de café, situados em 36 mil propriedades cafeeira, 35% do total de propriedades que produzem café no estado. Vide figuras a seguir:


 
 


Desde 1830, quando se acentuou a ocupação humana e econômica das Matas de Minas, a cafeicultura é a mais tradicional e a mais importante atividade econômica desenvolvida na Região. Atualmente, a produção de café representa cerca de 90% do valor total da produção agrícola regional e quase 20% do Produto Interno Bruto total, ou seja, de toda riqueza que é produzida nessa região. Portanto, um fundamental gerador de emprego, de renda e de bem estar para toda a sociedade local, estimada em 1 milhão de pessoas.

Em 2010, o Sebrae – MG, a Secretaria de Agricultura e a FAEMG, cientes da importância fundamental da atividade cafeeira nas Matas de Minas, entenderam oportuno mobilizar os cafeicultores e as instituições regionais na busca de encontrar soluções que promovessem os necessários avanços da cadeia produtiva regional do café. Duas variáveis fundamentavam esta preocupação. Olhando-se para dentro da região, verificava-se que, por suas características de relevo acidentado e pela predominância de pequenos produtores, essa atividade regional apresentava vulnerabilidades de produção e de mercado. Um olhar para o ambiente externo, mostrava a necessidade do enfrentamento de mercados cada vez mais globalizados e exigentes. Em conjunto, essas duas características, indicavam a crescente importância de preparar os pequenos empresários cafeeiros das Matas de Minas para, de maneira organizada, participarem dessa nova realidade comercial e de produção, para se apropriarem da devida parcela de benefícios que são conquistados nessa nova relação comercial.

Foto: Divulgação
 
José Luis Rufino, engenheiro agrônomo, consultor do Sebrae (MG), que também já atuou como pesquisador na Embrapa Café


Ao buscarem apoio da comunidade cafeeira regional, a resposta foi imediata. Logo os cafeicultores e as instituições públicas e privadas se mobilizaram e participaram com dedicação na busca de soluções inovadoras para o setor. Os trabalhos tiveram início com a implantação da metodologia participativa do “Foco Competitivo”. Com a colaboração de inúmeros cafeicultores e representantes institucionais, após diversos encontros e debates bem orientados, foram definidas e planejadas quatro linhas de ação, pilares que deveriam orientar todo o trabalho: Qualidade do café, Identidade da Região, Governança e Mercado.

As ações que buscavam identificar a qualidade dos cafés produzidos na Região das Matas de Minas tiverem início em 2011. Após a realização de levantamento da qualidade dos cafés comercializados no mercado atacadista da região, foram iniciadas atividades para apoiar e incentivar a melhoria da qualidade na forma de cursos e palestras com foco nas adequadas tecnologias de pós-colheita e na classificação física e análise sensorial do café em diversos municípios. Valorizando também os aspectos vinculados à produtividade da lavoura, foram ministrados cursos sobre adubação, controle de pragas e doenças e manejo da lavoura cafeeira aos técnicos que prestam assistência técnica à lavoura de café e aos cafeicultores, com o apoio da UFV, Epamig e Emater. Essas ações continuam sendo executadas até a presente data, com a proposta de proporcionar aos cafeicultores das Matas de Minas, um ponto de partida com base na adoção de inovações produtivas, gerenciais e organizacionais, compatíveis com as condições geográficas e naturais características dessa região e com as exigências contemporâneas de mercado.

As ações visando criar uma governança regional para a cadeia produtiva do café tiveram início em 2012, com reuniões mensais das lideranças da cafeicultura e de representante das principais instituições privadas a ela vinculadas. Como resultado dessa busca para identificar o melhor modelo de governança regional, em junho de 2013 foi criado o Conselho das Entidades do Café das Matas de Minas, que a partir de então tem liderado os trabalhos e criado novos horizontes para a cafeicultura regional.

As ações voltadas para o pilar de mercado, foram também iniciadas em 2012, quando técnicos do Sebrae – MG, de outras instituições e representantes dos cafeicultores participaram de feiras internacionais e de visita a diversos compradores do mercado mundial, com o intuito de verificar as exigências e as principais tendências que impactam o comércio do café no presente e no futuro. Dando sequência aos trabalhos com foco na ampliação das alternativas mercadológicas para a cafeicultura da região, em 2013 e 2014 foram realizadas “Rodadas de Negócio” durante o tradicional Simpósio de Cafeicultura de Montanha, realizado em Manhuaçu.

Dentre as ações que buscam melhorar a identidade dos cafés produzidos, destaca-se o mapeamento da qualidade do café das Matas de Minas, realizado em 2013, oportunidade em que foi identificada a qualidade sensorial do café produzido em diversas alternativas dos microclimas prevalecentes. Os resultados deste estudo mostraram que o relevo irregular das Montanhas das Matas de Minas proporciona microclimas especiais, onde os cafeicultores, usando tecnologias predominantemente manuais, são artesãos aliados da natureza favorável na produção de cafés de alta qualidade e identidade distinta, com a predominância de cafés com doçura acentuada, acidez equilibrada, encorpado, aroma floral e diversidade de sabores cítricos e achocolatados. Outra importante atividade iniciada em final de 2013 foi a construção da marca “Região das Matas de Minas”. Nessa, o Conselho das Entidades do Café das Matas de Minas liderou o esforço para identificar, de forma participativa, uma marca para representar a cafeicultura regional, expressando toda sua pujança e as qualidades intrínsecas de um produto aprimorado pela tradição centenária de convivência harmônica do homem com a natureza, proporcionando a produção de cafés de altíssima qualidade e diversidade de aromas e sabores inigualáveis. O resultado desse esforço coletivo é apresentado a seguir.

Este é, sem dúvida, um momento importante na caminhada por uma cafeicultura de sucesso. Contudo, os desafios não se encerram aqui. Novas conquistas serão necessárias. O Conselho, com o apoio do Sebrae e de diversas instituições públicas, está iniciando os trabalhos para reconhecimento da Indicação Geográfica – IG para as Matas de Minas, valorizando o cultivo do café arábica na região, para que ele continue a proporcionar emprego, renda e bem-estar para milhares de famílias que tradicionalmente se dedicam a ele de forma direta ou indireta. 

JOSÉ LUIS DOS SANTOS RUFINO

Consultor Témático do Projeto Educampo Café do Sebrae/MG. Engenheiro Agrõnomo, Mestre em Administração Rural e Doutor em Economia Rural. Gerente Técncio da Embrapa Café até 2005 e Pesquisador da Embrapa Café até 2009.

18

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JOSÉ LUIS RUFINO

VIÇOSA - MINAS GERAIS

EM 04/05/2015

Caro Fábio Lúcio,



Obrigado pela leitura e pelos comentários.

Na próxima semana, quando da reunião do Conselho das Entidades do Café das Matas de Minas, transmitirei seus cumprimentos aos conselheiros/cafeicultores presentes.

Sei que existem movimentos comunitários interessantes na cafeicultura da Região de Vitória da Conquista. Será interessante conhecê-los melhor. O Café Point é um ótimo veículo para gente ficar sabendo do que está rolando por aí.

Abraços.
FÁBIO LÚCIO MARTINS NETO

VITÓRIA DA CONQUISTA - BAHIA - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 02/05/2015

Dr. Rufino.



Muito interessante o texto, pois sumariza dados importantes sobre as Matas de Minas.



Aproveito para parabenizar todos os agentes da cafeicultura que têm movimentado a região e que, agora, perseguem a Indicação Geográfica!



Torço para as aprovações dos projetos que ajudarão a viabilizar esta etapa.



Abraço.
JOSÉ GERALDO DE ANDRADE

LAVRAS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 29/04/2015

Tantos assuntos sobre café quanto reminiscências de felizes tempos! Penso que uma semana será muito pouco!!!!!!!!!!!!!!!!! Apareça> Um grande abraço.  J Geraldo
JOSÉ LUIS RUFINO

VIÇOSA - MINAS GERAIS

EM 28/04/2015

Caríssimos Gustavo Sousa, Pamela França, Leandro Almeida, Sérgio Lima, Carlos Pinheiro e Marcos Teixeira,



Obrigado pela leitura e pelos depoimentos incentivadores. Tenho convicção de que, com a efetiva participação de jovens como vocês nas discussões, deliberações e realizações da cafeicultura brasileira, as expectativas para o nosso agronegócio café são mais favoráveis.

Atenciosamente,
JOSÉ LUIS RUFINO

VIÇOSA - MINAS GERAIS

EM 28/04/2015

Meu Caro Orientador e Professor José Geraldo,



Fiquei muito feliz ao receber seus comentários. A saudade sempre bate quando lembro dos bons tempos de estudante na nossa querida ESAL, nas Lavras do Funil. Precisamos nos encontrar para falarmos da atualidade cafeeira e fazermos algumas reminiscências.

Um grande abraço.

Rufino
MARCOS ANTONIO DOS REIS TEIXEIRA

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE CAFÉ

EM 28/04/2015

Caro Prof. Rufino e demais entidades participantes do processo de desenvolvimento do agronegócio café da Região das Matas de Minas, parabéns pelo trabalho, a região merece, e ao meu ver vai potencializar sua qualidade artesanal e sua sustentabilidade natural.
CARLOS ALEXANDRE PINHEIRO

ALEGRE - ESPÍRITO SANTO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 28/04/2015

Parabéns Prof Rufino;



Sou graduado em café pela escola Instituto Federal do Espírito Santo, apaixonado pelo café das Matas de Minas,  Sou viçosense e é uma satisfação imensa ver o café da minha região crescer dessa forma. Obrigado pelos esforços.
JOSÉ LUIS RUFINO

VIÇOSA - MINAS GERAIS

EM 28/04/2015

Caro Jackson,

Obrigado pela leitura. Que bom receber um abraço dos amigos da Chapada de Minas,  uma Região que também tem muito para contar. Quem sabe, em breve, a gente relata novas conquistas dessa importante região produtora de café de ótima qualidade.

Retribuo os abraços, seu e dos demais amigos.

Rufino
SERGIO RODRIGUES DE LIMA

CONCEIÇÃO DA APARECIDA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 28/04/2015

Parabéns Prof. Ruffino, como sempre dedicado a eficiente, abraço aos amigos do EDUCAMPO, ótimo comentário Rodrigo.
LEANDRO DA SILVA ALMEIDA

VIÇOSA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 27/04/2015

Parabéns Prof. Rufino, excelente matéria é sempre importante ver iniciativas que buscam o sucesso da cafeicultura em nosso estado.
GUSTAVO SOUSA

VIÇOSA - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE CAFÉ

EM 27/04/2015

Parabéns professor Rufino.

Ótimo texto que inlustra seu trabalho e o dos demais responsáveis pela divulgação e fortalecimento da região das Matas de Minas. Grande abraço!

Gustavo
PAMELA FRANÇA BARISTA

PIRACICABA - SÃO PAULO - CAFETERIAS E PONTOS DE VENDA DE PRODUTOS DE CAFÉ

EM 27/04/2015

Parabéns pelo belo artigo!
JOSÉ GERALDO DE ANDRADE

LAVRAS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 27/04/2015

Meu Querido Rufino:



Parabéns, você  confirma o ditado popular - "o bom aluno supera o mestre! Um grande abraço, J. Geraldo
JACKSON SOUZA DA SILVA

CAPELINHA - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE CAFÉ

EM 27/04/2015

Parabens Prof. Rufino pela boa materia das matas de minas , e todos governantes da regiao chapadas de minas mandam um abraçao pra vc agradecemos sua ajuda  Abçs !!!
JOSÉ LUIS RUFINO

VIÇOSA - MINAS GERAIS

EM 27/04/2015

Caro Nilson,



Muito obrigado por sua participação.

Concordo com você. O cafeicultor é sempre o protagonista das realizações no âmbito agronegócio café.

Atenciosamente,

Rufino
JOSÉ LUIS RUFINO

VIÇOSA - MINAS GERAIS

EM 27/04/2015

Caro Rodrigo,



Obrigado pelo depoimento. Estou precisando rever a turma do Educampo Café. Os técnicos e cafeicultores do Programa sempre me ensinam muito sobre a gestão de custos na cafeicultura.

Um abraço.

Rufino
NILSON ABRAO PORTO

MONTE CARMELO - MINAS GERAIS

EM 27/04/2015

Muito importante a união entre pesquisa de laboratório feita pelos técnicos e respeito pelo conhecimento do homem do campo.
RODRIGO JOSÉ MUNIZ

CABO VERDE - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 25/04/2015

Parabéns pelo artigo Prof. Rufino. Muito bom termos pessoas como você que lutam pelo melhoria contínua da cafeicultura em nosso país e principalmente em nosso estado. Sucesso !