FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Espaçamento e uso dos nutrientes na plantação cafeeira

POR EQUIPE CAFÉPOINT

TÉCNICAS DE PRODUÇÃO

EM 30/07/2018

4
1

O espaçamento na hora de plantar o café depende de uma série de fatores: cultivar a ser plantada, equipamentos a serem utilizados, topografia da área e a fertilidade do solo. Segundo estudo realizado pela Embrapa Café, os aspectos a serem analisados para a definição do espaçamento na implantação do cafezal são:

Topografia
As características topográficas do terreno são o ponto de partida para a definição do espaçamento, uma vez que a possibilidade ou não de moto mecanização dos tratos culturais e principalmente da colheita, condicionará essa escolha, e, a partir daí, outros aspectos igualmente importantes passam a ser considerados.

Plantios em sistema motomecanizado:
Deve ser respeitado o mínimo de espaço exigido para o trânsito das máquinas que irão trabalhar na área. Assim, o espaçamento entre as linhas do cafeeiro poderá ser de 3,5 a 4,0 metros.

Plantios em sistema não mecanizado:
De modo geral, para as cultivares de pequeno porte, recomendam-se espaçamentos entre as linhas de 2,4 a 3,0 metros. Para cultivares de maior porte, que normalmente têm maior diâmetro, aumentar 0,5 m nos limites da faixa.

Espaçamentos menores que os das faixas citadas podem ser adotados, desde que sejam previamente planejadas as podas, pois haverá, naturalmente, fechamento das ruas.

Para o espaçamento entre as plantas na linha, independente do sistema de plantio, recomenda-se: 0,50 m a 0,70 m para cultivares de porte baixo e maior que 0,70 m para cultivares de porte alto.

Quando se planeja colher com derriçadoras manuais motorizadas, deve utilizar-se de espaçamentos nas entrelinhas que permitam o manuseio pleno da máquina.

Insolação
A radiação solar é fundamental para todas as plantas. Quando na intensidade adequada, tem efeitos sobre o cafeeiro que podem se traduzir em maior atividade fotossintética, floração abundante e maturação mais uniforme. Por isso, para evitar o autossombreamento, principalmente em maiores altitudes, recomenda-se adotar espaçamentos mais largos e, se a topografia local permitir, preferir o alinhamento das linhas de plantio paralelas ao deslocamento do sol.

Por outro lado, a insolação excessiva, especialmente em altitude menor, pode ser danosa ao cafeeiro, provocando redução na diferenciação floral, abortamento das flores e escaldadura das folhas. Nesse caso, recomenda-se planejar a arborização como forma de amenizar tais efeitos.

Nutrientes
Quando a questão envolve os nutrientes na plantação, o Agrônomo Consultor em Cafeicultura, Diego Baquião, afirma que a relação de absorção deles depende muito da extração pelos grãos para o crescimento das plantas: quanto maior a densidade de plantas por hectare, maior será a extração de nutrientes do solo.

Um artigo apresentado pela Fundação Procafé, intitulado “Nutrição do Cafeeiro, Macro e Micronutrientes, Recomendações e Racionalização”, afirma que o aspecto nutricional é um dos fatores que afeta significativamente o desenvolvimento das plantas, tanto em altura como em diâmetro de copa. A adubação deficiente retarda o crescimento e resulta em plantas com menor diâmetro de copa, as quais requerem menor distância entre si em relação às lavouras com adequada nutrição.

A Embrapa Café separou as definições de macro e micronutrientes para a plantação de café:

Macronutrientes

Nitrogênio - atua no crescimento da planta, no aumento da vegetação com maior ramificação dos ramos plagiotrópicos, formação de folhas verdes e brilhantes, expansão da área foliar, formação de botões florais, promovendo ainda maior atividade fotossintética pelo aumento da clorofila e maior produção de carboidratos necessários à frutificação.

Fósforo - contribui para maior desenvolvimento do sistema radicular e parte aérea da planta, formação do lenho e granação dos frutos, influindo também na síntese e armazenamento de energia.

Potássio - apresenta importância nas atividades de fotossíntese, respiração e circulação de seiva na planta, com efeito na formação de amido nas folhas e contribuição na fase de granação dos frutos, se translocando com facilidade das folhas adjacentes para os frutos.

Cálcio - possui influência no crescimento e desenvolvimento do sistema radicular e na estruturação da ramagem da planta, havendo retenção de folhas, desenvolvimento de gemas, maturação dos frutos e produção de proteínas.

Magnésio - tem participação na constituição da clorofila com efeito no processo fotossintético e contribuição no metabolismo energético relacionado ao transporte de fósforo e carboidratos na planta.

Enxofre - participa do processo de composição das proteínas, tem influência na síntese de clorofila e no desenvolvimento do sistema radicular.

Micronutrientes

Boro - interfere significativamente no crescimento do cafeeiro e no processo de fecundação das flores.

Zinco - promove catalisação na formação de hormônios responsáveis pelo crescimento da parte aérea do cafeeiro principalmente nas áreas mais novas da planta.

Cobre - atua como catalisador nos processos de respiração e oxidação do cafeeiro, tendo muita influência na formação de folhas novas de plantas jovens e na defesa de doenças.

Manganês - deve ser reposto em solos com pH alcalino, com calagens excessivas e alto teor de matéria orgânica, evitando problemas que afetam a folhagem do cafeeiro.

As informações são da Embrapa Café, Fundação Procafé e entrevista com o consultor do Rehagro. 

4

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

RONALDO SANDRI

ROLÂNDIA - PARANÁ

EM 03/12/2018

Alias em relaçao a posiçao dos nutrientes.esta dica é um grande diferencial para alavancar a produtividade do cafe..
RUBENS LOPES DA SILVA

JAGUAPITÃ - PARANÁ - PESQUISA/ENSINO

EM 08/08/2018

me ajudou muito,grato
CARLOS EVANDRO COREZOLA

CURITIBA - PARANÁ

EM 01/08/2018

Muito boa esta matéria, gostei muito.
EQUIPE CAFÉPOINT

SÃO PAULO - SÃO PAULO - MÍDIA ESPECIALIZADA/IMPRENSA

EM 01/08/2018

Ficamos felizes dela ter sido útil, Carlos! Abraços! :)