FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Diferenças entre via úmida e seca

POR EQUIPE CAFÉPOINT

TÉCNICAS DE PRODUÇÃO

EM 23/07/2018

4
1

Na hora de secar o café temos dois sistemas válidos para o café arábica e robusta: a via seca e úmida.

A via seca é a mais comum no Brasil. O café é colocado em terreiros para secar, resultando em um café natural, com a casca. Os terreiros costumam ser de cimento ou asfalto, assim os grãos não adquirem gosto de terra. É recomendável um lugar com boa incidência de luz. Os grãos são espalhados nos pátios em camadas finas, que serão revolvidas várias vezes ao dia para que a secagem seja mais rápida e uniforme. Durante a noite, são reunidos e cobertos com lonas para proteção contra o orvalho. O processo deve ser refeito até que a umidade seja reduzida para aproximadamente 40%. Ao atingir o teor de umidade adequado, os frutos são transferidos para os secadores, sendo monitorados até que a umidade chegue a 11,5% ou 12%. Antes de ser deixado no terreiro, o café deve ser passado pelo lavador, onde os grãos são separados por densidade: o café boia, que já perdeu umidade no pé, tem densidade menor e por isso flutua; cafés cereja e verde são pesados e afundam, uma forma de controlar a qualidade do café.

O processo por via úmida resulta nos cafés descascados (cereja descascado) e despolpados (ou lavados), após a colheita e limpeza os grãos cereja e verde seguem para o lavador. O despolpamento se faz em máquinas, os despolpadores. Os grãos são submetidos a uma pressão ao passar entre um cilindro com furos. Nesse processo a casca sai de um lado, os grãos verdes do outro e o café despolpado passa pelos furos. A água é uma auxiliadora na separação da casca. Separada a casca, o café pode ser levado ao terreiro para a secagem, obtendo assim, um café cereja descascado. O processo de secagem deve ser cuidadoso, o café é distribuído em camadas de 2 a 3 cm de altura e mexido com frequência. O terreiro de chão batido favorece a ocorrência de sujeiras e fermentações. Já o terreiro de piso revestido traz um produto de qualidade superior, já que oferece uma secagem mais eficiente e uniforme, além de reduzir a ocorrência de contaminação por impurezas e fermentações.

A pesquisa foi realizada no livro Guia do Barista - da Origem do café ao espresso perfeito – Edgard Bressani

4

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

VICENTE CASTRO

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 24/07/2018

E qual dos sistemas - via seca ou via úmida, é mais eficiente e produz um café de melhor qualidade?
Obrigado e bom dia.
EQUIPE CAFÉPOINT

SÃO PAULO - SÃO PAULO - MÍDIA ESPECIALIZADA/IMPRENSA

EM 24/07/2018

Olá Vicente! Por via seca, você elimina apenas a casca, resultando no café natural. Já por via úmida, você elimina a casca e a mucilagem, resultando no café despolpado. No Brasil, é mais comum o sistema de via seca. :)
EM RESPOSTA A EQUIPE CAFÉPOINT
LEANDRO TOMÉ

TRÊS PONTAS - MINAS GERAIS

EM 11/10/2019

Qual dá um café melhor?
EM RESPOSTA A LEANDRO TOMÉ
EQUIPE CAFÉPOINT

SÃO PAULO - SÃO PAULO - MÍDIA ESPECIALIZADA/IMPRENSA

EM 11/10/2019

Oi Leandro! Ambas as formas dão excelentes resultados, mas isso depende muito da matéria prima e, principalmente, da atenção e do cuidado do produtor.