carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Notícias > Produção

Mais de 10 tecnologias para incrementar a cafeicultura no Espírito Santo

postado em 06/02/2017

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Da redação

O estado brasileiro mais relevante para a produção de café robusta, o Coffea canephora, produziu também diversas tecnologias dedicados à cafeicultura. A severa crise hídrica ocorrida no Estado do Espírito Santo por três anos consecutivos, desde 2014, nas épocas de florescimento e desenvolvimento dos frutos do cafeeiro reduziu drasticamente a produção de café conilon nos últimos dois anos. Ainda assim, o estado segue como o maior produtor de café conilon, responsável por 63% da produção brasileira que foi de 7,987 milhões de sacas neste ano.

Foto: Incaper/ Divulgação
Poda programada no café arábica / Foto: Incaper/ Divulgação


Para pontuar essas técnicas que podem contribuir para mitigar os efeitos adversos da seca nas lavouras de café conilon, além de permitir incrementar a produção de café arábica, o Consórcio Pesquisa Café listou o que foi desenvolvido pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). Confira, abaixo:

- Café conilon: adubação e calagem - tem como objetivo fornecer informações aos técnicos para que possam orientar os cafeicultores no tocante à recomendação para aplicação de calcário, de gesso e de adubo (nas fases de formação e produção) na cultura do café conilon no Estado do Espírito Santo.

- Cultivares de café arábica para a região das montanhas do Estado do Espírito Santo - aborda tópicos sobre a importância do café arábica no Estado, o histórico das primeiras cultivares no Brasil, a genealogia das principais cultivares recomendadas para o Espírito Santo e, também, sobre o programa de melhoramento genético de café arábica do Incaper.

- Café conilon: técnicas de produção com variedades melhoradas - Essa publicação abrange todas as etapas da cultura do café nos seguintes tópicos: variedades melhoradas, mudas e condução de viveiros, escolha e preparo da área, espaçamento e densidade de plantio, plantio em linha, calagem e adubação, poda de produção e desbrota, conservação do solo, controle de ervas daninhas, irrigação, pragas e doenças, colheita, secagem, processamento e armazenamento.

- Técnicas de produção de café arábica: renovação e revigoramento das lavouras no Estado do Espírito Santo - descreve as principais tecnologias para renovação, revigoramento e produção de café arábica com sustentabilidade no Estado, abordando aspectos como o plantio, tratos culturais, colheita, pós-colheita, cafeicultura orgânica e sustentável e produção de sementes.

- Arábica - produza seu café com excelência e qualidade - resume em “dez mandamentos” as boas práticas que os cafeicultores devem observar para a produção de cafés de qualidade, com ênfase nas fases de colheita e pós-colheita.

- Cafés do Estado do Espírito Santo: Conilon e Arábica - apresenta a qualidade dos cafés conilon e arábica produzidos nas principais regiões do Estado e destaca atributos positivos da cafeicultura capixaba nos aspectos econômicos, sociais e ambientais.

- Calcário correto: programa de incentivo à utilização de calcário para a cultura do café na Região Sul do Estado do Espírito Santo – Incentiva a utilização de calcário em propriedades de agricultores familiares para renovação e/ou revigoramento da cafeicultura, com forma de ampliar a produtividade das lavouras, exercendo efeitos demonstrativos dos diversos benefícios combinados dessa prática sobre os demais cafeicultores dessa Região.

- Diamante ES8112 – Esta cultivar de café conilon desenvolvida pelo Incaper tem maturação precoce e é colhida no mês de maio. É formada pelo agrupamento de nove clones de maturação precoce. Apresenta produtividade média de 80,73 sacas beneficiadas por hectare, superior em 39,19% e 14,73% às cultivares testemunhas Emcapa 8111 e Vitória Incaper 8142, lançadas em 1993 e 2004, respectivamente.

- ES8122 ‘Jequitibá’ –
Cultivar de café conilon com maturação intermediária e cuja colheita concentra-se no mês de junho. É formada pelo agrupamento de nove clones de maturação intermediária. Apresenta produtividade média de 88,75 sacas beneficiadas por hectare, superior em 47,92% e 26,07% à média das cultivares testemunhas Emcapa 8121 (maturação intermediária) e Vitória Incaper 8142, lançadas em 1993 e 2004, respectivamente.

- Centenária ES8132 – Esta cultivar de conilon tem maturação tardia e é colhida no mês de julho. É formada pelo agrupamento de nove clones de maturação tardia. A produtividade média é de 82,36 sacas beneficiadas por hectare, superior em 37,27% e 16,99% à média das cultivares testemunhas Emcapa 8131 (maturação tardia) e Vitória Incaper 8142, lançadas em 1993 e 2004, respectivamente pelo Incaper.

- Manejo da broca-do-café - Descreve a broca-do-café, os prejuízos causados por esse inseto na produtividade e qualidade do café, além de apresentar orientações para manejo ecológico e monitoramento dessa praga.

- Poda programada de ciclo em arábica: PPCA - explicações sobre a condução e vantagens dessa modalidade de poda para o café arábica que tem por objetivo recuperar o vigor das lavouras que proporcione maior longevidade do cafeeiro com manutenção de seu potencial produtivo. (LEIA também: Poda programada de ciclo se estende para arábica e proporciona corte nos custos)


- Poda programada de ciclo do café conilon - explicações sobre a condução e vantagens dessa modalidade de poda para o café conilon para, assim como no caso no café arábica, recuperar o vigor produtivo das lavouras. As principais vantagens da poda programada de ciclo do café conilon são: redução média de 32% de mão-de-obra no período de 10 colheitas, facilidade de entendimento e execução, padronização do manejo da poda, maior facilidade para realização da desbrota e dos tratos culturais, maior uniformidade das floradas e da maturação dos frutos, melhoria no manejo de pragas e doenças, aumento superior a 20% na produtividade média da lavoura, maior estabilidade de produção por ciclo e melhor qualidade final do produto. 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade