ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Obatã Vermelho do IAC será usado por barista em mundial na Holanda

POR EQUIPE CAFÉPOINT

PRODUÇÃO

EM 11/04/2018

0
0

O Obatã Vermelho, desenvolvido pelo Instituto Agronômico (IAC), é o café que o barista Thiago Sabino usará no World Barista Championship, em Amsterdã, na Holanda, de 20 a 23 de junho de 2018. Sabino ganhou o 17º Campeonato Brasileiro de Barista usando o mesmo café. Na competição nacional, em janeiro de 2018, no Rio de Janeiro, foi disputada a vaga para o mundial.

Após o campeonato nacional, durante cupping, na cafeteria IL Barista, na capital paulista, onde o barista trabalha desde 2015, o Obatã Vermelho foi escolhido para o mundial. A degustação de cafés teve participação de grandes profissionais do setor. “Quero conhecer mais sobre a variedade e repassar esse conhecimento no campeonato mundial. A gente diz que o Obatã é um monstro”, conta o barista, sobre como eles resumem as qualidades sensoriais do café.

O Obatã Vermelho é cultivado na fazenda Califórnia, situada em Jacarezinho, no norte pioneiro do Paraná. Além dessa variedade, a fazenda também produz cafés das variedades Mundo Novo e Catuaí Amarelo, todas desenvolvidas pelo IAC. A produção de cafés especiais é destinada à exportação.

“É uma grandeza receber essa notícia de que a cultivar Obatã Vermelho, desenvolvida pelo IAC, estará no campeonato mundial de barista. O seu melhoramento foi iniciado na década de 60 e finalizado no início dos anos 2000, isto é, aproximadamente 40 anos de trabalhos no campo e laboratório, visando principalmente a resistência à ferrugem-da-folha”, diz Júlio César Mistro, pesquisador e diretor do Centro de Café do IAC.

No campeonato, enquanto preparam as bebidas, os baristas comentam as qualidades agronômicas das cultivares e o manejo adotado nas lavouras, explicando o processo de produção do café que será provado pelo júri. “Essas informações mostram o quanto o participante conhece sobre o café, a região produtora, o processo adotado. Isso aumenta a pontuação”, explica Sabino.

Na edição nacional, os 24 participantes prepararam, em cada etapa, quatro espressos, quatro bebidas com leite vaporizado e quatro bebidas originais de assinatura. Todos são avaliados por juízes sensoriais e técnicos. Os critérios avaliados são: sabor, qualidade e persistência da crema, no caso do espresso; harmonia entre café e leite, criatividade (na bebida de assinatura), e manipulação profissional dos ingredientes, do moinho e da máquina de espresso.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.