carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Notícias > Mercado

Brasil exporta 8,7% menos sacas de café em janeiro de 2017

Por Equipe CaféPoint (CaféPoint)
postado em 10/02/2017

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Da redação

O Cecafé – Conselho dos Exportadores de Café do Brasil divulgou seu balanço das exportações de café brasileiro no primeiro mês de 2017, nesta quinta-feira (9/2). Foram exportadas em janeiro 2.563.939 sacas, um decréscimo de 8,7% em comparação com o mesmo período de 2016. A receita cambial foi de US$ 449,5 milhões e o preço médio por saca US$ 175,34, aumentos de 8,3% e de 18,6% em comparação com janeiro do ano anterior, respectivamente.

No total de janeiro, os cafés verdes somaram 2.386.005 sacas (2.363.887 sacas de arábica e 22.118 sacas de robusta). Já os cafés industrializados tiveram 177.934 sacas embarcadas (sendo 174.743 sacas de café solúvel e 3.191 sacas de café torrado e moído).

“Com a análise dos resultados, percebemos a confirmação das previsões de exportações que havíamos realizado no final de 2016, mantendo os embarques em 2,5 milhões de sacas” comenta Nelson Carvalhaes, presidente do Cecafé.

Principais destinos
No mês de janeiro de 2017, a Alemanha foi o principal país que mais recebeu café exportado do Brasil, com 543.859 sacas, representando 21,2% dos embarques no período, seguido pelos Estados Unidos, com 441.885 sacas e 17,2% das exportações. Destaque também para a Itália com 9,9% (253.806 sacas), Japão com 7,5% (192.581 sacas) e Bélgica com 7,4% (188.831).

“O principal motivo para os Estados Unidos terem perdido espaço nas importações em comparação com a Alemanha é o cenário nacional desafiador de produção do café conilon (atingido por fatores climáticos), além da redução de compras do café solúvel, que caiu de 38,2 mil em janeiro de 2016 para 22,2 mil em 2017, um decréscimo de 42%. No entanto, é importante destacar que o Brasil continua sendo o principal fornecedor de café para os norte-americanos segundo as estatísticas anuais do Cecafé”, esclarece Nelson Carvalhaes.

Cafés diferenciados
No primeiro mês do ano, as exportações de cafés diferenciados (aqueles que têm qualidade superior ou algum tipo de certificado de práticas sustentáveis) corresponderam a 381.635 sacas, representando 14,9% do total de café embarcado no período. A receita cambial dessa modalidade foi de US$ 80,8 milhões em janeiro, correspondendo a 18% do total gerado com os valores de exportação. O preço médio dos cafés diferenciados foi de US$ 211,78.

Com relação aos destinos, os Estados Unidos foram o país que mais recebeu cafés diferenciados do Brasil em janeiro, com 76.620 sacas exportadas, sendo 20% do total de cafés com essa característica. Alemanha passa para a segunda posição, com 16% (59.341 sacas), seguida por Japão, com 13% (51.258 sacas), Bélgica, com 12% (46.536 sacas), e Itália com 11% (40.314 sacas).

Portos
Em janeiro, o Porto de Santos seguiu como principal via de escoamento da safra para outros países, com 86,6% (2.220.027 sacas embarcadas) de participação. Os portos do Rio de Janeiro seguem em segundo lugar, com 10% (257.544 sacas embarcadas) de participação no mês.

Saiba mais sobre o autor desse conteúdo

Equipe CaféPoint    São Paulo - São Paulo

Mídia especializada/imprensa

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade