ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Epamig e Fundação Procafé lançam cultivar de café adaptada às condições de clima e solo de MG

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 30/07/2021

1 MIN DE LEITURA

0
0

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), apoia os Dias de Campo on-line sobre cafeicultura, que serão realizados pela Fundação Procafé nos dias 3, 4 e 5 de agosto, das 18h30 às 21h. Durante os três dias de evento, o público poderá participar de lives, visitar estantes virtuais e concorrer a prêmios. As inscrições gratuitas estão abertas no site.

De acordo com a organização do evento, os participantes receberão um e-book com temas de interesse do setor cafeeiro, além de certificados de participação. Além disso, será oferecido gratuitamente um curso de Sistemas Produtivos, ministrado pelo professor Alysson Fagundes. Os Dias de Campo ainda contarão com espaços virtuais onde os inscritos poderão interagir com os expositores do evento.

A Epamig e a Fundação Procafé lançarão, em breve, mais uma cultivar de café adaptada às condições de clima e solo de Minas Gerais. A cultivar MGS Catuaí Pioneira possui frutos de coloração vermelha e é resistente à ferrugem do cafeeiro, doença que provoca queda precoce das folhas e seca os ramos das plantas.

A cultivar foi inicialmente testada nos municípios mineiros de Três Pontas e São Sebastião do Paraíso, na região Sul. Segundo o pesquisador da Epamig, César Botelho, os cafeeiros de MGS Catuaí Pioneira apresentam, aos sete anos de idade, porte baixo, com altura média de 2 metros, diâmetro médio do caule de 5.7 centímetros e diâmetro médio de 1.7 metro para a copa das plantas.

“Uma cultivar resistente à ferrugem propicia redução no custo de produção e menos impactos no meio ambiente, por permitir reduzir a utilização de produtos fitossanitários no manejo da cultura. Além disso, representa uma opção para a produção de café no sistema orgânico, em razão de ser resistente à ferrugem alaranjada do cafeeiro, que constitui a principal doença da cultura. O porte baixo da cultivar facilita a colheita manual e mecânica dos cafeeiros, além de propiciar maior densidade de plantio”, destaca o pesquisador.

Essa é a primeira vez que duas instituições de pesquisa serão detentoras de uma cultivar de café em Minas Gerais.

As informações são da Ascom/Epamig.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint