FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Cotações do café na Bolsa de Nova York sobem devido à preocupação com o clima

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 22/10/2020

2 MIN DE LEITURA

0
0

Após várias sessões de baixas, o mercado futuro do café arábica encerrou o pregão desta quinta-feira (22) com valorização acima dos 200 pontos. O dia começou com variações técnicas, mas as condições do clima no Brasil voltaram a dar suporte de alta no exterior. 

Dezembro/20 teve alta de 255 pontos, valendo 106,70 cents/lbp; março/21 subiu 240 pontos, negociado por 109,40 cents/lbp; maio/21 teve alta de 245 pontos, valendo 111,10 cents/lbp; e julho/21 teve alta de 250 pontos, valendo 112,65 cents/lbp. 

"Os preços do café subiram na quinta-feira, com o conilon em uma nova alta de duas semanas. As previsões de chuvas limitadas no Brasil geraram escassez de café arábica", destacou o site internacional Barchart em sua análise diária. 

Produtores de arábica no Brasil seguem aguardando o retorno das chuvas, que, segundo a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), deve acontecer nos próximos dias. O País enfrenta o maior déficit hídrico dos últimos anos e já começa a safra 21 com grande potencial de baixa. Vale lembrar que o próximo ano já é de ciclo baixo para a produção brasileira. 

O mercado físico interno acompanhou o exterior e também teve um dia de valorização nas principais praças produtoras. O tipo 6 bebida dura bica corrida teve alta de 1,81% em Guaxupé (MG), valendo R$ 563. Poços de Caldas (MG) registrou alta de 0,40%, negociado por R$ 502. Patrocínio (MG) teve alta de 0,94%, valendo R$ 535. Araguarí (MG) registrou alta de 0,92%, valendo R$ 550.

O tipo cereja descascado teve alta de 1,68% em Guaxupé (MG), valendo R$ 605. Poços de Caldas (MG) registrou valorização de 0,36%, negociado por R$ 552. Patrocínio (MG) teve alta de 0,86%, negociado por R$ 585. Campos Gerais (MG) teve alta de 0,84%, valendo R$ 598.

Se no Brasil a tensão é com a falta de água, no Vietnã, maior produtor de café conilon, o excesso de chuvas começou a preocupar a produção. Novembro/20 teve alta de US$ 26 por tonelada, vendo US$ 1276; janeiro/21 teve alta de US$ 28 por tonelada, negociado por US$ 1307; março/21 teve valorização de US$ 24 por tonelada, valendo US$ 1313; e maio/21 subiu US$ 1327.

"O robusta alcançou uma alta de duas semanas hoje, com a preocupação de que as fortes chuvas possam atrasar a colheita de café no Vietnã, o maior produtor mundial de café conilon", afirmou o Barchart. Vale lembrar que o mercado já observa os efeitos do La Niña para a região e que o excesso de chuva pode atrasar a colheita do grão em até um mês, afetando, assim, a qualidade do café vietnamita. 

As informações são do portal Notícias Agrícolas.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint