FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

BSCA valoriza nanolotes de cafés especiais de colheita tardia

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 07/02/2020

0
0

A Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), realizou, entre 20 e 24 de janeiro, o BSCA Micro-Region Showcase – Ilicínea. O programa tem o objetivo de valorizar nanolotes de cafés especiais de colheita tardia e agregar valor para a cadeia produtiva ao aproximar produtores de compradores internacionais.

Com suporte da associada Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas (Cocatrel), entidade que foi anfitriã do evento, 19 jovens e expoentes torrefadores internacionais vindos de países como Estados Unidos, França, China, Suécia, Taiwan, Sérvia, Canadá, Rússia, Japão e Austrália, muitos dos quais não conheciam o café brasileiro, visitaram propriedades no Sul de Minas e estiveram em contato direto com 20 produtores, que tiveram suas amostras selecionadas nas etapas anteriores do programa e foram compradas em leilão presencial.

Segundo Elliot John Reinecke, da torrefadora Steady Staet dos EUA, foi “maravilhoso” provar e poder comprar bons cafés brasileiros. “Conhecer o produtor fez o evento muito especial. Agora estamos estabelecendo vários relacionamentos com cafeicultores do Brasil e continuaremos comprando nos próximos anos”, aponta.

Essa opinião também é compartilhada por Braydon Douglas Booher, da empresa norte-americana Deeper Roots. “Foi legal ver como as fazendas chamaram a atenção de todos os torrefadores. O leilão foi muito tranquilo e foi excelente conhecer os produtores. Descobrimos muitos personagens”, finaliza.

O empresário sueco Cenk Öner Kulbay, da Stockholm Roast, celebrou sua vinda e o fato de conhecer o cultivo de cafés em altitude elevada no Brasil. “Foi interessante ver fazendas de grande altitude, conhecer pequenas e grandes propriedades nesta minha primeira vez na região. Os processos técnicos e os cafés são muito interessantes e gostei do sistema de leilão”, declara.

Para Vanusia Nogueira, diretora da BSCA, trazer jovens e notáveis torrefadores para conhecer o sistema produtivo cafeeiro no Brasil contribui para o crescimento dos cafés especiais nacionais, alavancando o mercado através de novos players e auxiliando a própria evolução desses jovens empreendedores em suas localidades.

Ao provarem cafés especiais de diversas origens brasileiras, adquiriram 20 nanolotes de “cafés butique”, de colheita tardia, por valores que chegaram a US$ 30 por libra-peso, o que equivale a mais de R$ 16.500 por uma saca de 60 kg.

“Atingimos nossa meta de vender uma história, uma região, um produto e os produtores. Nossos cafeicultores entregaram cafés excepcionais e foram estimulados pelos compradores a continuarem nesse caminho de excelência. O projeto abriu novas portas, estreitou relacionamentos e possibilitou a venda desses ‘cafés butique’ para que esses torrefadores testem seus mercados com grãos brasileiros de finíssima qualidade”, destaca.

Entre as atividades, ocorreu o simpósio “Micro-Region Showcase”, que contou com palestras de Bruno Ribeiro, sobre práticas de pós-colheita; Lucas Lousada, ministrando sobre estudos de fermentação na pós-colheita; e Guy Carvalho, que falou a respeito da competitividade e sustentabilidade na produção de cafés especiais.

As informações são da BSCA.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.