ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Posso usar o selo FairTrade na embalagem do meu Café?

POR ULISSES FERREIRA DE OLIVEIRA

ULISSES FERREIRA

EM 30/12/2014

2 MIN DE LEITURA

3
0
Foto ilustrativa: Pedro Vilela/ Café Editora
Foto ilustrativa: Pedro Vilela/ Café Editora


"Primeiramente é importante ressaltar que o selo FairTrade é uma marca registrada mundialmente e inclusive no Brasil pela Fairtrade Internacional a qual é representada no país pela Associação Brasileira de Comércio Justo a ABCJ, ou seja, para utilizar o selo é preciso primeiro ser certificado fairtrade e depois ter um contrato de uso da marca com as entidades no Brasil e Internacional. O uso indevido é sujeito às penalidades previstas na legislação brasileira de marcas e patentes." Estas são as informações que o diretor do FairTrade Brasil, Reinaldo Rodrigues, nos traz sobre a licença de utilização da marca.

Então, não vá fazer o uso indevido. Mas como obter a autorização para o uso do selo?

Primeiramente é preciso esclarecer que o comércio justo é uma alternativa ao comércio convencional, busca eliminar os atravessadores e garantir relações de fornecimento estáveis, transparentes e o pagamento de um preço mínimo pelo produto. Difere de outras certificações pelo fato de certificar toda a cadeia produtiva, ou seja, exportadores, importadores e torrefações também são auditados e devem cumprir os critérios para a obtenção da certificação.

Se o objetivo for exportar matéria-prima, “grão verde”, o interessado deve procurar a FLO-CERT para obter a certificação.

Caso o foco seja comercializar no Brasil o produto final, existem algumas situações, a primeira é novidade e só acontece no Brasil, pois associações/cooperativa de produtores FairTrade, podem comercializar o café torrado, mas para isso, como já são certificados, devem solicitar à FLO-CERT a inclusão do produto final em seu certificado e posteriormente fazer contato com o representante da iniciativa nacional para obter a licença do produto, enviando informações como:

Características do produto;
Peso ou volume
Outras certificações
Modelo de embalagem;

Para torrefações que buscam aproveitar a crescente demanda por produtos de comércio justo, é preciso que a matéria-prima seja certificada. Desta forma, deve-se adquirir café de uma associação ou cooperativa FairTrade e ter em mãos uma declaração dessa cooperativa de que tem a intenção de fazer negócios com a empresa de torrefação. O segundo passo é fazer a solicitação de adesão ao sistema FairTrade, enviando toda a documentação necessária à FLO-CERT para a obtenção da certificação. Isso tem um custo, então é fundamental verificar o volume que seja industrializar para saber se é possível diluir o custo das auditorias, que será anual.

Em seguida a empresa deve solicitar ao representante do FairTrade Brasil a licença para o uso da marca, enviando a mesma documentação citada acima.

Também no Brasil é possível encontrar a situação de uma cafeteria que deseja ter seu café com o selo FairTrade, mas que precisa achar um meio para tornar viável, tendo em vista os custos de certificação. Bom, nesse caso uma parceria com uma associação/cooperativa é o ideal, pois quem será responsável pelo selo será a associação/cooperativa, ficando a cafeteria responsável em pagar o preço mínimo e o prêmio de comércio justo.

Para todos os casos é importante salientar que a licença de uso do selo possui um custo de 2% no valor do produto, o qual é utilizado para ações de marketing e promoção do FairTrade, ações de apoio aos grupos de agricultores familiares e também para a manutenção da estrutura do sistema de comércio justo e custos de proteção da marca.

Grandes multinacionais já estão se movimentando para oferecer no Brasil, produtos de comércio justo, incluindo o café, resta saber se as indústrias e as cafeterias nacionais serão proativas não perdendo mais essa oportunidade no mercado, o tempo está curto! 

ULISSES FERREIRA DE OLIVEIRA

Administrador, especialista em cafeicultura sustentável, Diretor do Departamento de Desenvolvimento e Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de Botelhos e consultor de associações e certificações agrícolas.

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MARCELO ARAUJO

EM 15/06/2015

preciso de orientações de como exportar meu café ?

A certificadora FAirtrade poderia ajudar ?!
EQUIPE CAFÉPOINT

SÃO PAULO - SÃO PAULO - MÍDIA ESPECIALIZADA/IMPRENSA

EM 12/01/2015

Para aprender mais sobre estratégias do agronegócio café, fiquem atentos ao início do curso online "Marketing Estratégico no Agronegócio do Café". Saiba mais: http://www.agripoint.com.br/curso/marketing-cafe/
JOAQUIM MAGEWSKI

VILA VALÉRIO - ESPÍRITO SANTO

EM 01/01/2015

no Espirito Santo falar de fairtrade ainda é um incomodo para muitos principalmente mais para o norte a onde so é cultivado so o café conilon. porque seria muito bom se os agricultores  familiares se unise para eliminar os atravessadores.com quem fica a maior fatia.
CaféPoint AgriPoint