ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Rondônia deve colher 4 milhões de sacas de café clonal até 2019

PRODUÇÃO

EM 19/06/2017

3
0
Da redação 

O estado de Rondônia deve produzir até 2019 cerca de 4 milhões de sacas de café clonal. Em 2011, a região estava com uma marca de 800 sacas colhidas. Segundo o presidente estadual da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater/RO), Francisco Mendes Sá, todos os anos estão indo para o campo 10 milhões de mudas da espécie. 

Foto: Paula Rúpulo/Café Editora
                                Foto: Paula Rúpulo/Café Editora

Para esse ano, a expectativa é de que o estado produza aproximadamente dois milhões de sacas de café, um aumento de mais de 150% de produção nos últimos cinco anos, graças a um conjunto de tecnificações implantadas nas lavouras pelos produtores, como adubação, uso de calcário, sistema de irrigação e poda.

De acordo com o extensionista da Emater de Cacoal, Wesley Gama, o município tem aproximadamente 4,5 mil propriedades rurais, onde cerca de 950 cultivam o café clonal - espécie que está sendo favorecida com o uso de tecnologias nas áreas de plantações. Ao que tudo indica, a seleção das mudas foi um dos fatores que mais contribuiu para o aumento do rendimento, pois "antes o café era plantado por sementes e muitas vezes não possuía material genético bom, com o tempo a tecnologia da técnica clonal tornou as plantas mais produtivas”. 

Apesar da Emater oferecer apoio ao agricultor com os Dias de Campo, ainda existem cafeicultores que preferem trabalhar com os métodos tradicionais. Para o presidente do órgão,o trabalho da empresa é voltado à assistência técnica de forma social, ambiental e econômica, levando tecnologia ao campo e melhoria de vida ao produtor rural. 

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CHOSHIN KAMEYAMA

LINS - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 26/06/2017

Concordo com o Roberto Wagner. As contas não fecham  mesmo. Será preciso aperfeiçoar as coletas de dados, já que os produtores é que são prejudicados quando as expectativas não se confirmam, dificultando as tomadas de decisões que tem lugar antes mesmo das colheitas do ano, e o que dirá do próximo? Na cafeicultura as decisões corretas existem, mas dependem de dados confiáveis para que investimentos sejam programados com antecedencia em tempo hábil.
MARCO ANTONIO PAULO GOMES

CACOAL - RONDÔNIA - COMÉRCIO DE CAFÉ (B2B)

EM 26/06/2017

Concordo totalmente com o Roberto Wagner. A Emater tem que divulgar números com mais responsabilidade, pois as safras divulgadas estão fora da realidade, começando pela  safra 2017/2018 "estimada em 2.000.000" sendo que todos os envolvidos no agronegócio café falam em 1.300.000. Gostaria de saber como são feitas essas estimativas. 
ROBERTO WAGNER TRAVENÇOLO

CACOAL - RONDÔNIA

EM 20/06/2017

E os números divulgados pelo Estado de Rondônia continuam duvidosos, ou sem crédito. A conta é simples: se produzirmos em média 50/ha, com plantio de 3.000 mudas/ha (sem contar as perdas), precisamos de 60 milhões de mudas para produzirmos 1 milhão de sacas. Contando que começamos os plantios de clonais em 2010 as contas não fecham, está sobrando café na conta do estado, ou faltando plantio pra produzir 4 milhões de sacas....