FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Catucaí Amarelo 2SL: nova variedade de café arábica em Rondônia

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 12/06/2019

1
0

A Embrapa Rondônia realizou por treze anos um estudo genético que resultou em uma variedade de café arábica Catucaí Amarelo 2SL. As características impressionam com uma alta produtividade (35 sacas/ha média de três anos). Nos ensaios realizados no município de Alta Floresta d’Oeste, a produtividade média de três anos da cultivar foi de 36 sacas/ha, sendo que na segunda colheita chegou a 51 sacas/ha.

Segundo a pesquisa, a variedade tem potencial produtivo em temperaturas elevadas, o que possibilitou estender o plantio para o estado de Rondônia, em regiões acima de 300 metros de altitude e temperaturas em torno de 26 graus. Tem alta exigência de água, com necessidade de irrigação, ciclo de maturação precoce a médio, é moderadamente resistente à ferrugem e Phoma, e suscetível a bicho-mineiro, ácaro-vermelho, cochonilha-da-roseta e nematoides. O porte das plantas é baixo, uniformidade de maturação alta. O plantio deve ser em outubro e colheita em março. A cor dos frutos é amarela.


Foto: Carlos Carvalho

Os estudos selecionaram a cultivar e duas linhagens entre 57 genótipos de café arábica avaliados, pois elas mostraram produtividade acima de 35 sacas por hectare. A bebida alcançou notas superiores a 80 pontos, na escala de 0 a 100 da Specialty Coffee Association (SCA), o que a coloca na categoria de café especial, de acordo com os padrões internacionais de qualidade. O Catucaí Amarelo apresentou corpo acentuado, cremoso, baixa acidez e sabores que remetem ao caramelo e chocolates.

Rondônia é o quinto maior produtor de café do País e o segundo da espécie canéfora (conilon e robusta). “A indicação de uma cultivar da espécie arábica é estratégica para o estado, pois atende a demanda por esse tipo de grão na região amazônica, tanto para a produção de cafés especiais, ou gourmets, quanto para a utilização em blends, que é a mistura de grãos de cafés arábica e canéfora”, explica o pesquisador da Embrapa, Alexsandro Teixeira. Atualmente, todo café arábica consumido no norte do Brasil é de outras regiões produtoras, como Minas Gerais e São Paulo.

As informações são da Agrolink. 

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ALBINO JOÃO ROCCHETTI

FRANCA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 13/06/2019

O CATUCAÍ AMARELO 2SL FOI DESENVOLVIDO PELO PROCAFÉ.
A EMBRAPA, PODE SIM, TER TRABALHADO A SUA ADAPTAÇÃO AO CLIMA DE RONDÔNIA, MAS NÃO O CRIOU.
ALBINO JOÃO ROCCHETTI - FRANCA - S.P.