FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Broca-do-café: assunto sério


Fotos: Leonardo Custódio

Dano na qualidade

A broca-do-café (Hypothenemus hampei) é uma praga muito conhecida entre os produtores de café do mundo e é exclusiva do cafeeiro. Como muitos já sabem, ela pode atacar o fruto em todos os estágios: verde, maduro, passa e o seco que ainda possui umidade.

Venho percebendo que o ataque da broca-do-café aumentou em lavouras mecanizadas, provavelmente resultado de uma safra malfeita em que muitos grãos ficam no pé, onde não foi feito repasse ou por falta de uma boa varrição.

Ano a ano o ataque da broca está aumentando. Devido as condições climáticas, houve irregularidade nas floradas e o produtor teve dificuldade na hora da safra, e acredito que ainda teremos mais 2 anos vivenciando essas condições.

Portanto, é necessário falar que broca-do-café é assunto sério e merece atenção especial para fazer um correto manejo.

Vale lembrar que ela traz diversos danos, principalmente na qualidade da bebida. É a porta de entrada para contaminar o fruto com microrganismos. O cafeeiro sofre com a queda precoce do fruto, causa apodrecimento da semente e ainda um enorme prejuízo econômico.

Alguns danos causados pela broca-do-café:


Aspecto físico: devido as lesões, os furos causados pela broca são caracterizados como defeito, resultando na desvalorização do produto, portanto, um dano econômico.


Como a broca se alimenta do fruto, ele perde peso, dano econômico.


No beneficiamento: temos mais porcentagem de catação, outro dano econômico.


Na hora da torra: como houve lesões nas paredes estruturais através do furo, no momento do processo químico, há uma queima interna dessas paredes lesionadas.???????

Na bebida: essa queima interna das partículas, quando o grão é moído, aumenta a quantidade de micropó, trazendo amargor, perda de corpo, sabor ranço. Caso seja “broca suja”, pode resultar em uma bebida riada e, com esse problema, a finalização sempre será curta.

Em um teste que fiz para saber a perda em uma dose de café espresso, em uma máquina semiautomática:


7,5 gramas de grãos perfurados pela broca = 79 grãos por dose (esq.) / 7,5 gramas de grãos perfeitos = 59 grãos por dose (dir.)

Conclusão: houve uma diferença de 20 grãos entre as doses. Ou seja, o produtor tem outro prejuízo quando falamos em usar grãos brocados na bebida.

Dica: broca-do-café é assunto sério, portanto, produtor, coloque na balança. Vale a pena fazer um bom repasse e retirar todos os grãos que ficaram tanto no cafeeiro quanto no chão da sua lavoura.

LEONARDO CUSTÓDIO

Técnico em Cafeicultura, supervisor de qualidade da empresa Agro Fonte Alta, Q-Grader e mestre de torra

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

VALMOR SANTOS

BUENO BRANDÃO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 06/01/2020

Explicação simples , direta e objetiva . Simplificado os grandes mitos da cafeicultura.
SEBASTIÃO MARCOS CARVALHO

COQUEIRAL - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 18/12/2019

Pergunto...
Existe um tratamento Biologico ou natural ,menos agressivo ?
Obrigado
RENATO COSTA

EM 19/12/2019

Boa noite Sebastião, hoje há um grande e crescente acervo de manejos biológicos para o controle de Broca, porém como sabemos, é o conjunto do manejo e boas praticas que nos entregam o melhor resultado. Atualmente os resultados mais satisfatórios no manejo agroecólogico são a utilização de armadilhas com pó de café, aplicação de fungos Beauveria Bassiana tanto no solo quanto parte aérea.