ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Colheita seletiva do café é facilitada com mecanização

POR JOSÉ BRAZ MATIELLO

FOLHA PROCAFÉ

EM 29/04/2021

3 MIN DE LEITURA

2
0

Aproximando-se o período de colheita do café, é importante destacar que a colheita seletiva dos frutos pode ser muito facilitada e mais econômica quando realizada mecanicamente.

A colheita seletiva dos grãos é relevante, pois visa colher o máximo de frutos maduros e o mínimo de verdes, obtendo um maior rendimento de grãos e resultando em uma melhor qualidade dos cafés.

Tradicionalmente, a colheita da cultura no Brasil vem sendo feita por derriça, manual ou mecanizada com uma só passada, o que reduz os custos da operação. A colheita manual seletiva é pouco praticada no País, diferentemente do que ocorre na Colômbia e na América Central, onde são realizadas entre 10 e 15 passadas por ano, coletando frutos maduros na lavoura.

Nas condições da cafeicultura brasileira ocorre um período frio e seco no inverno, induzindo floradas mais concentradas na retomada das chuvas. Mesmo assim, na época da colheita, a presença de diversos estágios de maturação dos frutos dificulta a operação. Se efetuada muito cedo, a colheita vai resultar em muito café verde e, se tardia, haverá boa parcela de frutos secos, com maior quantidade caída no chão.

A colheita seletiva feita manualmente fica muito onerosa e só seria indicada em caso de produção de cafés especiais ou em lavouras novas, de 1ª e 2ª safras, onde ainda é mais fácil. Já na colheita mecanizada tem sido viabilizado o uso da máquina, em 2 a 3 passadas, com bons resultados na obtenção de pequena parcela de frutos verdes. Também é possível a colheita seletiva com uso da derriçadeira motorizada, de operação manual, embora essa alternativa venha sendo muito pouco usada. Em ambos os casos, a operação deve ser feita de forma mais leve em cada passada, principalmente na primeira.

No caso da colhedeira mecanizada, automotriz ou tracionada, a colheita seletiva consiste em passar a colhedeira, na primeira passada, na condição que ainda possa existir cerca de 50% de frutos verdes. Normalmente, cerca de 30 dias após, observando antes como está a maturação na lavoura, faz-se a segunda e existem alguns produtores que chegam a fazer a terceira.

Quanto à regulagem da máquina também existem alternativas. Ou se emprega uma boa vibração e opera-se com velocidade maior, de cerca de 1.600 m por hora nas duas passadas, ou se coloca uma vibração um pouco menor na primeira e opera-se com velocidade menor, de cerca de 800 a 1000 m por hora. Isto é uma indicação, mas na prática o ideal é fazer um teste prévio para ver como, naquela área específica, está rendendo em quantidade derriçada e como está a composição da maturação dos frutos. Também é indicado deixar o freio da máquina um pouco mais solto nessa colheita seletiva.

Resta destacar que a colheita mecanizada seletiva é mais viável e adequada ao cafeicultor que possua seu próprio maquinário, já que máquinas de aluguel dificultam em termos de logística, porém, tratando-se de aluguel em um maior período, também é possível.


Colheita mecanizada, de forma seletiva, na Fazenda Sertãozinho, em Botelhos (MG), com máquina tracionada, com descarregamento em bag. À esquerda, os frutos colhidos na primeira passada em fins de maio/2020, com alto percentual de cerejas e pouquíssimos verdes. À direita, o café colhido na segunda passada, também quase sem verdes e com mais maduros, passas e secos. Colheita em cafeeiros de 2ª safra da variedade Acauã Cv 2/8


Cafés colhidos seletivamente, de forma mecanizada, na primeira passada, com descarregamento em caçamba na Fazenda Vista Bela, em Bonito (BA). Nessa região, na Chapada Diamantina, as floradas são mais desigualadas e é mais difícil colher cafés bem uniformes na maturação. Frutos de cafeeiros catuaí vermelho e de catucaí amarelo 2SL e algo de mistura de cor, de talhões diferentes

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JOSÉ BRAZ MATIELLO

MACAPA - AMAPÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 04/05/2021

Senhor Mario, de forma automática não, mas a fabricante da colhedeira Case possui uma fórmula aplicável a essa regulagem. Porém, o melhor é experimentar em cada talhão e ver o resultado em uma fileira e logo regular conforme esse resultado. Matiello
MÁRIO BITTENCOURT

EM 03/05/2021

Olá sr. José. Gostaria de saber se existem colhedeiras com tecnologias que fazem essa regulagem de forma automática/programada, com base em informações coletadas em campo sobre a variabilidade espacial da maturação dos frutos. Parabéns pelo artigo, abraço!
CaféPoint AgriPoint