ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Indústria do café da Nicarágua desenvolve plataforma nacional

POR EQUIPE CAFÉPOINT

INTERNACIONAL

EM 18/12/2017

0
0
Foto: Gui Gomes/Café Editora

Por conta da ausência de um governo que oriente os esforços e recursos necessários para garantir a sobrevivência da atividade cafeeira, cerca de 33 organizações do setor formaram a Plataforma Nacional para a Sustentabilidade do Café (Nicafes).

A iniciativa trabalhará na elaboração de um diagnóstico produtivo, que identifique os obstáculos enfrentados pela produção e seu impacto econômico e social. “A ideia é ter uma visão geral do setor. O diagnóstico será feito em Matagalpa, Jinotega e Nueva Segovia”, disse Aura Lila Sevilha Kuan, presidente da Aliança Nacional de Cafeicultores da Nicarágua (ANCN) e do Comitê da Nicafes. “Haverá também outro estudo que analisará o marco jurídico, a governança e a institucionalidade do setor, para determinar o que funciona e o que não funciona, fazendo recomendações”, completou.

Realização e diagnóstico
Com base nos resultados do diagnóstico produtivo, o Plano Nacional de Transformação e Desenvolvimento da Cafeicultura, que está desatualizado, teria que ser atualizado, para depois impulsionar sua execução.

Embora, no momento, as 33 organizações que compõem a plataforma pertençam ao setor privado (produtores, cooperativas, empresas de exportação, fornecedores de insumos, organizações de apoio e acadêmicos), o grande desafio é incluir as agências governamentais ligadas à atividade.

Segundo Fausto Rodríguez, do programa de sustentabilidade de Rikolto, uma das organizações que financiam a plataforma, a iniciativa funcionará através de um comitê coordenador composto por representantes de cada um dos setores que compõem a plataforma.

Concentrar esforços
O principal desafio da Nicafes é a unificação de todos os esforços feitos por entidades públicas e privadas em torno do cultivo do café. “Isso só pode ser alcançado através da consolidação do diálogo público-privado”, diz Juan Francisco Martínez, representante na Nicarágua da UTZ, órgão que financia a plataforma.

As informações são do La Prensa / Tradução Juliana Santin

0

COMENTÁRIOS SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Seu comentário será exibido, assim que aprovado, para todos os usuários que acessarem este material.

Seu comentário não será publicado e apenas os moderadores do portal poderão visualizá-lo.

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.