ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Sob o Signo da Desorientação

POR CELSO LUIS RODRIGUES VEGRO

CENAS E FATOS DO AGRO - CELSO VEGRO

EM 15/03/2016

2
0
Por Celso Luis Rodrigues Vegro, Eng. Agr., M.S., Pesquisador Científico do IEA

Na média das três primeiras semanas do mês de fevereiro de 2016, o mercado de juros futuros da BM&F-Bovespa exibia inclinação positiva para curva futura de juros. Entretanto, passou a demonstrar atenuação em sua inclinação a partir da quarta semana. Dois vetores contribuíram para essa mudança no humor no mercado: a) aparente perda de eficácia da elevação da Selic na contenção do processo inflacionário; e b) risco de imagem da autoridade monetária ao se mostrar hesitante quanto a política a ser implementada (Figura 1).



Movimento similar foi observado para a média semanal das cotações futuras do mercado de dólar. Os investidores arrefeceram suas expectativas para a conversão cambial a partir da quarta semana do mês. A melhora dos saldos cambiais obtida nas transações internacionais associada a relativa perda de dinamismo da economia estadunidense promoveram reequilíbrio na paridade cambial dólar x real (Figura 2).



Em fevereiro de 2016, os contratos futuros de café arábica na Bolsa de Nova York exibiram amplas variações. Enquanto na média da primeira semana do mês a cotação para o segundo vencimento assinalava US$¢124,29/lbp, na última registrava US$¢119,47/lbp, ou seja, 3,88% de desvalorização do produto. Tal declínio deve-se, em parte, ao satisfatório regime hídrico observado nos principais cinturões cafeeiros de arábica no Brasil, ensejando expectativas bastante otimistas para a safra 2016/17 (Figura 3). Ademais, há informações de que o Vietnã retomou o ritmo de seus embarques após fracassada tentativa de ordenar o mercado, objetivando forçar melhoria das cotações, consideradas não remuneratórias.

Em Franca, principal cinturão produtor paulista, os cafeicultores receberam R$490,98/sc. em fevereiro, segundo dados diários contabilizados pelo IEA/CATI2. Esse preço convertido pelo dólar médio do mês (US$1,00=R$3,97)3 representava US$123,67/sc., o que representa menos de US$¢95,00/lbp. Diante desse preço recebido, a estratégia de aquisição de contrato futuro, para entrega em março de 2017, poderia ser vantajosa, uma vez que a cotação média praticada naquele mercado para a última semana do mês era de US$¢124,95/lbp.


O mercado futuro de café robusta na Bolsa de Londres, em fevereiro de 2016, começou o mês com média cotações mais elevadas, vindo a perder alavancagem ao longo do mês. Mudança na estratégia comercial vietnamita4 e suprimento considerado suficiente por parte dos importadores estão pressionando esse mercado (Figura 4).



Os efeitos do El Niño sobre a frutificação dos cafezais da Colômbia, do Vietnã e do cinturão capixaba de conilon poderão exercer alguma pressão sobre as cotações a partir de março, pois seus efeitos se tornaram mais aparente em termos de produtividade das lavouras. No Brasil, existe ainda o temor de que, com a substituição do El Niño (já bastante enfraquecido) pela La Niña, ensejem-se maiores probabilidades de que as massas polares atinjam os cinturões de arábica. Aparentemente, a especulação motivada pelo clima deve se iniciar mais cedo nesse ano.

O movimento de compra e venda de contratos futuros em Nova Iorque manteve-se majoritariamente vendido, sinalizando que os investidores esperam novas baixas nas cotações. Tal posicionamento alicerça-se na proximidade da colheita no Brasil que deve ultrapassar as 50 milhões de sacas, sendo mais de 40 milhões somente de arábica.


O mercado financeiro internacional vivencia momento de grande instabilidade, o qual, por sua vez, reflete-se no mercado das commodities5. Diversos fatores, de díspares naturezas, têm desorientado os investidores. Certamente, sob esse clima, deve prevalecer forte volatilidade para as cotações nos próximos meses.

__________________________________________________
1O autor agradece o trabalho de sistematização do banco de dados econômicos conduzido pelo Agente de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do IEA, o analista de sistemas Paulo Sérgio Caldeira Franco.

2INSTITUTO DE ECONOMIA AGRÍCOLA - IEA. Banco de dados. São Paulo: IEA. Disponível em: <http://ciagri.iea.sp.gov.br/precosdiarios/precosdiariosrecebidos.aspx>. Acesso em: 4 mar. 2016.

3BANCO CENTRAL DO BRASIL - BCB. Sistema de Pagamentos em Moeda Local – SML: Brasil x Argentina. Brasília: BCB. Disponível em: <http://www.bcb.gov.br/?RED-PROCEDTAXA>. Acesso em: 4 mar. 2016.

4EXPORTAÇÕES de café do Vietnã batem expectativas novamente. CaféPoint, São Paulo, 3 mar. 2016. Disponível em: <http://www.cafepoint.com.br/noticias/internacional/exportacoes-de-cafe-do-vietna-batem-expectativas-novamente-99147n.aspx>. Acesso em: 4 mar. 2016.

5VEGRO, C. L. R.; FRANCO, P. S. C. A subsunção das commodities. CaféPoint, São Paulo, 29 fev. 2016. Disponível em: <http://www.cafepoint.com.br/blogs/cenas-e-fatos-do-agro/a-subsuncao-das-commodities-99075n.aspx>. Acesso em: 4 mar. 2016.
 

CELSO LUIS RODRIGUES VEGRO

Eng. Agr., MS Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade. Pesquisador Científico VI do IEA-APTA/SAA-SP

2

COMENTÁRIOS SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Seu comentário será exibido, assim que aprovado, para todos os usuários que acessarem este material.

Seu comentário não será publicado e apenas os moderadores do portal poderão visualizá-lo.

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CELSO LUIS RODRIGUES VEGRO

SÃO PAULO - SÃO PAULO

EM 16/03/2016

Prezada prof. Mara

Grato pela paciência com as confusões desse pesquisador.

Veja, que seus comentários são nitidamente lançados a partir de um ponto de vista do investidor enquanto meu artigo é destinado para assessorar os cafeicultores. Essa discrepância não me permite tecer uma correta apreciação sobre o que apresenta.

Como expressa o título, a análise expressa uma incapacidade de elaboração de cenários possíveis (veja que referenciei o Subsunção). A desorientação incrementa a insegurança e a insegurança move o pêndulo mercadoria x dinheiro para esse último componente asfixiando a economia real.

Enfim, esse é o momento que vivemos. Talvez no futuro olharemos para trás para refletir que nosso mundo era mesmo algo estupidamente irracional.

Abçs

Celso Vegro
MARA FREITAS

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 16/03/2016

Celso,



creio que a influência de mercado esteja relacionada a tendência ascendente das cotações Brent Crude Future na ICE Exchange. Petróleo sempre foi o principal concorrente do café no mercado financeiro.



No tudo mais, credito a oscilação na bolsa brasileira a uma explosiva combinação da incapacidade dos atores da cadeia produtiva gerarem informações estatísticas que minimizem expressivamente a assimetria de informação, com o desempenho de outras carteiras de investimento disponíveis na BMF/Bovespa. Até mesmo o Tesouro Direito está com desempenho melhor do que os contratos de café.



E como sabe, mercado financeiro não tem nada haver com clima, mas sim a possibilidade de especulação que a informação sobre o clima gera para mercado. O café na verdade, neste jogo, não importa. É só um papel.