ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Rastreabilidade blockchain é utilizada em exportação de café de Franca (SP) para o Japão

POR EQUIPE CAFÉPOINT

TÉCNICAS DE PRODUÇÃO

EM 18/05/2022

1 MIN DE LEITURA

0
0

A startup Arabyka, especializada em rastreabilidade via blockchain, é a responsável por implementar essa tecnologia em um lote do café orgânico da fazenda Minamihara, que está sendo exportado para o Japão. A intermediação entre o produtor e a startup faz parte do trabalho do Cocriagro de promoção da inovação aberta.

De acordo com o cafeicultor Anderson Minamihara, trata-se de um lote de café especial que pode chegar a 90 pontos na classificação. “Esse primeiro lote, de nove sacas, está utilizando 100% de tecnologia blockchain da Arabyka que vai apresentar informações como época e tipo de colheita, secagem, lote, variedade, tempo de descanso, dia e padrão de exportação. Os outros membros da cadeia, como torrefadores e cafeterias também podem inserir suas informações durante o processo de venda, até chegar ao consumidor final”, explica. A produção do café Minamihara conta com manejo orgânico próprio e ocorre em 100 hectares sombreados por abacateiros, em Franca (SP).

Para George Hiraiwa, CEO da Arabyka, com o avanço da digitalização, há um empoderamento do consumidor que passa a ser o protagonista da cadeia. “Acredito que será uma grande oportunidade para o Brasil mostrar ao mundo que produzimos alimentos seguros e sustentáveis.”

A blockchain permite a imutabilidade, a descentralização e a transparência das informações, características fundamentais para a garantia de segurança alimentar. Também é essencial para estabelecer protocolos de compliance da produção agropecuária, nas áreas ambiental e trabalhista, cada vez mais necessários para acessar mercados internacionais.

Segundo a head de inovação do Cocriagro, Tatiana Fiuza, a conexão entre startups e produtores é um passo importante para que o agro brasileiro se fortaleça cada vez mais, principalmente, nos mercados internacionais. Toda a operação, até chegar às mãos da japonesa UCC (Ueshima Coffee Corporation), conta ainda com orientação e parceria da trading Cafebras.

As informações são da Assessoria de Imprensa Cocriagro.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint