ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Micro-terraceamento em cafezais vem sendo ampliado

POR JOSÉ BRAZ MATIELLO

TÉCNICAS DE PRODUÇÃO

EM 14/07/2015

3 MIN DE LEITURA

6
0
O micro-terraceamento em lavouras de café, em áreas montanhosas, é uma técnica nova, que vem sendo desenvolvida mais recentemente. Por isso, seu uso pelos cafeicultores ainda é pequeno, no entanto, o uso dessa prática vem ganhando força, nestes dois últimos anos, em função da divulgação realizada e dos bons resultados alcançados.

A técnica consta da abertura de terraços, com cerca de 1,5 m de largura, nas ruas ou no espaço entre-linhas do cafezal, para ali formar caminhos mais planos onde possam transitar tratores estreitos. Estes que, com seus implementos, venham facilitar os tratos da lavoura, no controle do mato, na adubação, nas pulverizações, nas podas e até na colheita.

Um trabalho extensivo de micro-terraceamento em cafezais pode ser observado na Fazenda Sertãozinho, em Botelhos (MG). Ali, dois tratores munidos de lâminas traseiras trabalham continuamente na abertura de terraços. Uma área de cerca de 70 ha de lavouras já foi terraceada, tanto em cafezais já implantados, como em áreas antes do plantio do café. A orientação da Fazenda é a de preparar, com micro-terraços, todas as áreas cafeeiras onde a topografia não permita a mecanização normal.

Com esse trabalho de terraceamento, o cenário mudou completamente. As operações de trato das lavouras, que eram efetuadas manualmente, passaram a ser feitas de forma mecanizada, com maior rapidez e menor custo.

É fato que o micro-terraceamento adiciona investimentos iniciais, na sua implantação. A experiência na Fazenda tem mostrado que o rendimento e os custos dessa prática variam conforme a declividade do terreno. Em áreas menos declivosas se gasta cerca de 10 hs por ha e naquelas muito íngremes, onde o corte precisa ser mais profundo, pode-se gastar até 40 hs de trator com lâmina por ha. Assim, o custo para a Fazenda pode ficar entre R$ 500 e R$2.000 por ha, um investimento que, rapidamente, será compensado pelo menor gasto nos tratos mecanizados da lavoura.

Outras observações efetuadas mostram que é possível construir o terraço mesmo em lavouras com 2,5 m de rua, no entanto, uma distância de 3 m é melhor. Já se verificou maior retenção de águas de chuvas pelo terraço, restando verificar, a prazo mais longo, o efeito do corte de raízes, que ocorre junto à parte baixa da linha de cafeeiros. Parece que este corte vai ser compensado por um maior desenvolvimento radicular na parte superior da linha de plantas.

Com as dificuldades e o custo crescente da mão-de-obra, a mecanização tem sido a melhor alternativa para a redução de custos de produção do café. Como a cafeicultura de montanha ocupa uma área de cerca de 700 mil ha no Brasil, o uso do micro-terraceamento se torna muito importante, para viabilizar a competitividade dessa extensa área de lavouras cafeeiras, que representa uma produção anual de cerca de 15 milhões de sacas e envolve a sobrevivência econômico-social de muitas regiões.

Os dois tratores trabalhando na abertura de micro-terraços, com lâmina traseira, operando em área antes do plantio do café, no espaçamento de 3 m entre-linhas

Vista geral de área micro-terraceada antes do plantio do café, em espaçamento de 3 x 0,5m.


Detalhe da área anterior, com a linha de cafeeiros recém-plantada entre dois terraços.


Área micro-terraceada em cafezal com 8 meses de idade, espaço de 3 x 0,5m.


Após uma pequena chuva, pode-se ver a boa retenção de água pelos micro-terraços




Área terraceada em cafezal 2,5 x 0,5m, do segundo pro terceiro ano, já consolidada a retomada do mato no terraço.  

6

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JOSÉ BRAZ MATIELLO

MACAPA - AMAPÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 06/07/2020

Uziel, agradeço sua menção e estarei à disposição, para te ajudar, no que for possível. Matiello
UZIEL DE ALMEIDA

RECIFE - PERNAMBUCO

EM 06/07/2020

É um grande prazer falar com o o senhor Matiello.
Sou seu fã . Tudo de bom e se proteja deste covarde 19.
Quero poder tirar umas dúvidas depois .
Obrigado
PAULO PEREIRA MARTINS

CARATINGA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 26/07/2015

caratinga e regiao esta 1000 anos luz atrasada em relacao a tecnologia.nao temos forca financeira para mudancas.90% dos cafeicultores estao idosos.
GERALDO COSTA-CORRETOR DE IMÓVEIS

LUZ - MINAS GERAIS

EM 25/07/2015

bom dia.

conforme visto nas fotos ilustrativas ,  de terraceamento para cafezais de montanha , gostaria de saber mais detalhado em até desnível é possível utilizar esse método de cultivo .  
CARLOS EDUARDO R DELMONDE

ARARAS - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 16/07/2015

Carlos Eduardo, a necessidade de colheita mecanizada para reduzir os custos do café, como será feita a colheita? Ainda Manual(Derriçadeiras)?
ÉDER ELIAS DE LIMA

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 14/07/2015

Bom dia, gostaria de saber o endereço da Fazenda para uma possível visita e qual o trator usado para fazer o terraço. Grato
CaféPoint AgriPoint