FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Manchas marrons em frutos, nova anormalidade em cafeeiros

POR JOSÉ BRAZ MATIELLO

TÉCNICAS DE PRODUÇÃO

EM 16/06/2016

3
0
Por José Braz Matiello, Saulo R. Almeida, Iran B. Ferreira e Marcelo Jordão Filho – engenheiros agrônomos da Fundação Procafé

Os frutos de café, principalmente na sua fase de maturação, passaram neste ano a apresentar grande número de pequenas manchas, de cor marrom, na sua casca. Essa anormalidade não havia sido observada antes, em grande escala, como agora. Ela aparece na maioria das lavouras, nas regiões do Sul e Zona da Mata de Minas.

As manchas de início são muito pequenas, como um ponto escuro, e sua quantidade por fruto é grande, chega a mais de 50-70 por fruto. Depois elas crescem e muitas se juntam, assim chegando a cobrir quase toda a casca dos frutos. As manchas são mais visíveis em plantas de frutos amarelos do que nos vermelhos. Com o passar do tempo, as manchas se tornam deprimidas. Em menor escala também aparecem em frutos verdes, nestes na forma de uma queima de cor escura ao longo de boa parte do fruto.

Descritos os sintomas, agora vamos às prováveis causas. Primeiro é preciso verificar que elas parecem ser provocadas por ácaros ou por cercosporiose (isso a primeira vista, e muitos desconfiam disso). Mas, ao observar bem as condições de ocorrência, verificou-se que o problema só ocorre em ramos expostos ao sol. Ramos do interior da planta e plantas sob sombra apresentam frutos com a casca sem manchas. Até no mesmo ramo apenas os frutos da parte de cima do ramo, expostos à luz, se apresentam manchados, enquanto os do lado de baixo se apresentam normais. Diante dessa observação praticamente ficam eliminadas as possibilidades de efeito de ácaros e da cercosporiose. Embora esses agentes se correlacionem com a presença de luz e calor seria difícil imaginar que ácaros dentro de uma mesma roseta pudessem atuar apenas nos frutos do lado de cima dela. Além do mais, como o ataque ocorre em grande escala, em plantas velhas e outras bem novas, em praticamente todos os ramos expostos, acreditamos que não haja população de ácaros suficiente pra tanto efeito.

Com relação a uma provável presença de fungos, ela não é descartada. Porém, no que se conhece, até o momento, ela seria mais secundária do que primária, podendo haver, num segundo estágio, ataque de fungos saprofitas, como cepas não virulentas de Coletotrichum.

Deste modo, excluindo as causas que se desconfiava delas, chegou-se pelas evidências como causa mais provável da anormalidade, de forma primária, uma ação física - do sol, pela luz, pela temperatura ou pelo choque térmico. O que ainda não está tão claro é por que isto vem ocorrendo só agora. Vimos, neste ano, que de abril até meados de maio, houve um veranico de cerca de 40 dias e as temperaturas em abril, na Fazenda Experimental de Varginha, se situaram cerca de 2o C acima da média histórica.

A nossa compreensão do problema se encontra nesse estágio e continuaremos a estudar e aprofundar a análise das causas dessas manchas nos frutos, aceitando colaborações nesse sentido.

Quanto aos prejuízos pelas manchas, eles são poucos quantitativamente, podendo haver perdas qualitativas, pelas dificuldades na despolpa, devidas à maior aderência da casca e, provavelmente, também pela abertura de porta para fungos saprofitas, que podem prejudicar a bebida.

Foto: Procafé
Os sintomas típicos das manchas marrons na casca de frutos amarelos


Foto: Procafé
Acima, como são os sintomas típicos da leprose em frutos.

Foto: Procafé
Na mesma planta, pode ser visto um ramo que se encontrava na sombra, sem manchas e, ao lado, um com os sintomas da mancha, pois se encontrava ao sol.

Foto: Procafé   Foto: Procafé

Acima, frutos do lado de cima do ramo com manchas e, no mesmo ramo em sua parte de baixo sem sintomas da mancha.

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

PAULO ADNET COUTINHO

LINHARES - ESPÍRITO SANTO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 20/06/2016

Correto, porém é mais uma porta aberta para possivel perda de qualidade por ações de microorganismos.

Como ocorre em frutos maduros, a tentativa de acelerar a colheita e consequentemente os trabalhos de preparo dos frutos (lavagem, despolpa, secagem e beneficio) me parece a medido mais coerente.
JOSÉ CARLOS JODAR LOPES

SANTO ANDRÉ - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 17/06/2016

Acredito que o comentário do Danilo está correto.
DANILO BARBOSA CARDOSO

LAVRAS - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 16/06/2016

Acho que essas manchas são provocadas por pequenas gotículas de água que ficam na superfície do fruto que agem como uma lente que concentra a luz do sol provocando a queima no local.