ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Importância da aplicação do calcário em lavouras

POR EQUIPE CAFÉPOINT

TÉCNICAS DE PRODUÇÃO

EM 05/07/2022

2 MIN DE LEITURA

0
0

A agricultura passa por diversas transformações ao longo dos anos. São muitos estudos em busca da melhoria de certos manejos. Um exemplo disso é o uso do calcário (calagem), que fornece o cálcio e o magnésio, diminui a acidez do solo e aumenta a eficiência dos fertilizantes, a disponibilidade de nutrientes para as plantas e crescimento das raízes. 

O calcário ajuda na prevenção e manejo da ferrugem, cercóspora e phoma, pois o cálcio e o magnésio compõem a parede celular das folhas, logo, o fornecimento do calcário ajuda as plantas a ficarem mais tolerantes, com uma parede celular mais espessa. Pode prevenir, também, possíveis escaldaduras, principalmente nas faces que recebem luz solar o dia todo - elas são ferimentos causados pelo sol e é utilizada como porta de entrada pelos fungos. 

Há diversas opções de calcário no mercado, mas nem todos são iguais. Por isso, é necessário utilizar o calcário que foi recomendado, já que há diferença entre as relações de cálcio e magnésio, onde, no solo, a relação ideal é sempre de três partes de cálcio para uma de magnésio. 

Outro dado importante para ser observado é o Poder Relativo de Neutralização Total (PRNT) do calcário, já que quanto maior for o PRNT, maior será a sua capacidade de corrigir a acidez do solo. O calcário que tem maior PRNT é o mais fino, que reage mais rápido no solo. Por ser muito fino, pode se perder uma parte na hora da aplicação. Para evitar isso, é possível acrescentar água ou gesso no calcário. 

O PRNT determina o tempo da reação. Calcários com PRNT abaixo de 80% devem ser aplicados com maior antecedência, porque demandam mais tempo para reagir no solo. Já os calcários com PRNT acima de 90% têm a capacidade de reagir mais rápido, podendo ser aplicados mais próximos das adubações. Na prática, a situação mais comum é aplicar o calcário após a colheita.

No plantio de novas áreas, o calcário é necessário, já que pode proporcionar um melhor desenvolvimento, enraizamento, tornando a planta mais resistente à seca e mais produtiva. 

Tipos de calcário 

Calcário Calcítico A e B: Indicado quando se tem uma elevada deficiência de cálcio, sendo muito utilizado em abertura de novas áreas de plantio. Sua reação média de cálcio e magnésio é de 30:1, portanto, não é frequentemente utilizado em cafezais pelo baixo teor de magnésio. 

Calcário Dolomítico A: É o calcário com maior teor de cálcio. Sua relação de cálcio/magnésio é em torno de 7:1. Contém 45 a 48% de óxido de cálcio, 6 a 10% de óxido de magnésio, PRNT entre 85 e 90%. Mais utilizados onde há maior deficiência de cálcio. 

Calcário Dolomítico B: Calcário mais indicado quando a relação tem equilíbrio entre cálcio e magnésio. Contém 35 a 38% de Óxido de cálcio, 12 a 15% de Óxido de magnésio, PRNT entre 85 a 90%. 

Calcário Dolomítico C: Esse tem o teor maior de magnésio, senso a relação 2:1. Pode conter 33 a 36% de Óxido de cálcio, 16 a 20% de Óxido de magnésio. PRNT ideal entre 85 a 90%.

As informações são do artigo de Larissa Cocato, da Rehagro: Calcário: saiba seus benefícios e como recomendar para a cultura do café e Folha Rural. 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint Logo MilkPoint Ventures