ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Controle do bicho mineiro é essencial para manter produtividade nos cafezais

POR EQUIPE CAFÉPOINT

TÉCNICAS DE PRODUÇÃO

EM 24/06/2021

2 MIN DE LEITURA

0
0

Com a safra atual do café marcada pela bienalidade negativa - devido à necessidade de recomposição vegetal - e pelo clima instável, especialmente no aspecto pluviométrico, os produtores devem ficar atentos ao manejo de pragas, como o controle do bicho mineiro (Leucoptera Coffeella), mesmo no final do ciclo para não ter maiores perdas este ano. Segundo dados da Embrapa, dependendo do nível da incidência, o inseto pode impactar até 50% da produtividade do cultivo.

O manejo do bicho mineiro é ainda mais importante em um cenário reforçado pelo último levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que estima uma redução de 22,6% em relação ao volume colhido na safra passada, com aproximadamente 49 milhões sacas beneficiadas. Para o Rodolfo San Juan, especialista e Desenvolvimento Agronômico da Bayer para a Região Centro, o inseto é considerado a principal praga na cultura do café entre os municípios do Cerrado Mineiro, Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

"Trata-se de uma pequena mariposa que na fase de lagarta se alimenta das folhas. O ciclo de vida do inseto pode variar de 19 a 87 dias, sofrendo influência das condições climáticas, como ocorreu nesta safra. A estiagem e temperaturas quentes são responsáveis pelo encurtamento deste ciclo do inseto e, consequentemente, maiores populações da praga", reforça Rodolfo.

O monitoramento do cafeeiro é uma etapa importante para o controle mais assertivo do bicho mineiro. "As lavouras devem ser vistoriadas periodicamente, principalmente aquelas de maior risco e em regiões de histórico de ocorrência da praga. O produtor deve vistoriar a presença de ovos nas folhas, de mariposas e a quantidade de folhas atacadas no terço médio/superior das plantas", ressalta San Juan.

Entre os danos visíveis, o bicho mineiro se instala nas folhas dos cafeeiros, deixando buracos e uma cor de ferrugem na superfície. Um ataque desse inseto causa uma considerável perda no cultivo, que fica desidratado, seco e fraco. "Dependendo da intensidade de infestação, pode ocorrer o alto desfolhamento na época das floradas, com consequente redução na produção de café na safra seguinte", diz o especialista.

Controle do bicho mineiro nos cafezais

O controle químico é realizado com o uso de inseticidas sistêmicos ou não em aplicações sequenciais. Deve ser dada a preferência para inseticidas específicos e mais seletivos. Para este manejo, a Bayer oferece o inseticida Sivanto Prime. O produto possui o ingrediente ativo Flupiradifurona e faz parte do grupo químico Butenolida. Um dos principais diferenciais reside na flexibilidade de aplicação em cafeeiro.

Fábio Maia, gerente de Marketing da Bayer para Café, explica que o princípio ativo possui um modo de ação diferenciado, pois age dentro do sistema nervoso do inseto. "Não existe nenhum produto no mercado com esta tecnologia. Outro diferencial é que ele pode ser pulverizado tanto no solo quanto na folha, único do mercado com esta característica, facilitando o manejo do cultivo", finaliza.

Mais informações: www.agro.bayer.com.br

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint