FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Adubação localizada em cafeeiros é inadequada

POR JOSÉ BRAZ MATIELLO

TÉCNICAS DE PRODUÇÃO

EM 17/01/2019

4
1

A aplicação de adubos em cafeeiros de forma localizada, sem que haja uma boa distribuição por toda a área, pode fazer com que os nutrientes não sejam bem aproveitados.

A adubação em cafeeiros, desde o pós-plantio até sua fase adulta, é feita predominantemente com o uso de fertilizantes químicos, os quais são aplicados em cobertura no solo, junto à linha de plantas. O modo de aplicação desses fertilizantes influi muito no seu aproveitamento, ou seja, na sua eficiência nutricional.

A aplicação dos fertilizantes em lavouras cafeeiras pode ser feita mecanicamente (com adubadeiras), manualmente (aplicando-se com as mãos) ou através da água de irrigação (ferti-irrigação). A grande parte dos fertilizantes químicos é aplicada via sólida e a adubação líquida é pouco utilizada. Em todos os modos de aplicação, a regra de grande importância a ser observada é a aplicação do adubo de forma mais espalhada, buscando-se atingir os dois lados da linha de cafeeiros e visando abranger uma boa parte do sistema radicular das plantas de café, que se encontra logo abaixo da área aplicada.

No caso da aplicação com máquina adubadeira existem dois tipos principais: a adubadeira de pendulo, que sempre deixa um pouco do adubo cair no meio da rua, e a adubadeira de disco, cujas saídas podem ser reguladas para o adubo cair mais junto da linha de cafeeiros. A aplicação mecanizada, depois de regulada, faz um bom serviço, com distribuição uniforme e constante do adubo e de modo bem esparramado. Já a aplicação manual pode ser ou não bem feita. Alguns trabalhadores menos atentos podem jogar doses variáveis e em locais inadequados. Nesse aspecto, é muito comum trabalhadores jogarem o adubo mais amontoado por facilidade, muitos até acham que colocando o adubo em pequenos montes mais juntos do pé de café seria o ideal.

Na realidade, a pesquisa mostra que a melhor maneira é aplicar o adubo junto à linha de cafeeiros e, se possível, debaixo da saia das plantas, de forma bem esparramada e atingindo os dois lados da linha. No caso de áreas montanhosas, como a lavagem e a infiltração de água das chuvas lateralmente pelo declive, pode acabar levando o adubo pro outro lado da linha de cafeeiros, basta esparramar o adubo do lado de cima dela. Em áreas mais planas, o adubo deve chegar, obrigatoriamente, dos dois lados da linha de cafeeiros. Com cafeeiros com saia um pouco mais alta e elevando a adubadeira, é possível regular para que consiga arremessar e aplicar adubo também do outro lado da linha.

Os nutrientes são absorvidos pelas raízes do cafeeiro de três modos: por fluxo de massa, por difusão ou por interceptação. Em todos os modos, a proximidade dos nutrientes do sistema radicular, pela correta aplicação dos adubos, favorece a sua absorção. Existe, ainda, especialmente para o Nitrogênio, o fenômeno conhecido por absorção radial, ou seja, as raízes que se encontram de um lado da planta absorvem e carreiam apenas o nutriente para aquele lado da planta. Portanto, como diz o título, aplicar os fertilizantes de forma localizada, de modo inadequado, não atingindo a maior zona radicular, vai representar menor aproveitamento dos nutrientes neles contidos, assim, com perdas em produtividade.


Em cafeeiros novos, pode-se ver a aplicação de adubo muito localizada num “montinho”, situação muito comum observada em aplicações manuais, o que é prejudicial ao aproveitamento nutricional pelas raizes das plantas
 


Dois tipos de adubadeiras tratorizadas, de disco duplo (esquerda) e pendular (direita)

4

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JOSÉ BRAZ MATIELLO

MACAPA - AMAPÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 08/03/2019

Senhor Herrison, não conheço o adubo liquido da Solorico. No entanto, pra todos esses tipos de adubos vale o que se sabe sobre os adubos sólidos. Eles devem ser aplicados em quantidade de nutrientes adequada conforme a produtividade da lavoura, na época correta. Faça o cálculo dos nutrientes que a lavoura necessita e veja se a quantidade do adubo liquido que usa fornece estes nutrientes. Matiello
HERISON PEDRO FERREIRA BARROS

MANHUAÇU - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 08/03/2019

Bom dia Sr Matiello, gostaria se lhe perguntar o que vc acha do fertilizante NPK líquido da empresa solo rico, e se vc sabe se o que eles falam realmente é , em questão de ml para gramas
JOSÉ BRAZ MATIELLO

MACAPA - AMAPÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 22/01/2019

Agradeço ao João Alvarenga pelo adendo esclarecedor e útil, fruto da sua experiencia. Vamos lutando, juntos, pela cafeicultura racional. Matiello
JOÃO ALVARENGA

DELFIM MOREIRA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE CAFÉ

EM 22/01/2019

Bom dia a todos cafeicultores.
Tenho feito muitas observações em distribuidoras de fertilizantes pendular, discos e rosca sem fim.
Tenho constatado que quando regulamos as adubadeiras de rosca temos uma variação dependendo da declividade que quando a rosca esta voltado para o lado de cima a vasão do fertilizante diminui e quando voltado para o lado de baixo aumenta causando assim uma diferença que pode chegar a 30% entre a linha de cima e a de baixo, vamos ficar atentos. Quanto ao artigo foi muito esclarecedor