ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

O valor de Maria, nanolote que é novo recorde de preço no Brasil

POR EQUIPE CAFÉPOINT

PRODUÇÃO

EM 06/12/2016

0
0
Por Thais Fernandes

O valor de Maria, nanolote de café que é novo recorde de preço no Brasil, impressiona. Mas a busca pela excelência vem de muito antes do leilão, realizado no dia 22 de novembro. A Daterra tem fazendas em Franca, na Alta Mogiana, e em Patrocínio, no Cerrado Mineiro, e trabalha, assim como cafeicultores de diversas regiões do Brasil, na busca por produzir café de qualidade. O grupo e é, ainda, pioneiro no que diz respeito à sustentabilidade. 
 
 
Foto: Marina Carvalho/ Daterra
Daterra realizou seu quarto leilão de micro e nanolotes. Dessa vez, cada um recebeu um nome popularmente adotado no Brasil // Foto: Marina Carvalho/ Daterra

O desafio da produção sustentável e de qualidade vem sendo superado pelo investimento em pesquisas. É o caso do nanolote Maria, que é formado por grãos da variedade laurina. O nome é uma homenagem às mulheres do campo. Entre elas, algumas Marias foram entrevistadas pela Daterra, que produziu uma série de vídeos contando a história de seus trabalhadores. Veja, abaixo, no vídeo que conta a história de mulheres que produzem e do café campeão:




Ao se destacar no quarto leilão realizado pela Daterra, que atraiu compradores das Américas Norte e Sul, Europa e Ásia, o nanolote Maria conquistou um feito. Com a saca vendida por pouco mais de R$26.000,00, Maria é o novo recorde de preço no Brasil e tem muita história para contar.

 
Foto: Marina Carvalho/ Daterra
Nanolote Maria é uma homenagem às mulheres do campo // Foto: Marina Carvalho/ Daterra

O lote de duas sacas teve disputa acirrada, recebendo mais de 500 lances.
Arrematado por compradores da Argentina e Espanha, chegou a U$58/libra. Foi apenas após cinco anos de pesquisa em genética exclusiva e processos de escolha dos frutos perfeitamente maduros com fermentação controlada em ambiente lacrado, sem entrada de ar, surgiu o primeiro lote de café super suave e delicado, mas com doçura e corpo.
 
Os nomes do Brasil
Mas nem só de Marias vive a produção brasileira. Para o leilão, a Daterra também preparou e batizou outros cinco lotes com os nomes mais populares em nosso país. Os demais lotes chamaram-se João, Ana, Francisca, Antônio e José. Desde a hora da prova, a equipe reconheceu o café que seria especial e deu a ele a alcunha de Maria, buscando representar as mulheres fortes que trabalham no campo.

 
Foto: Marina Carvalho/ Daterra
Ainda nas provas a equipe já observava o destaque do nanolote Maria // Foto: Marina Carvalho/ Daterra


Outros dois lotes leiloados foram o Opus One, um café lançado há anos atrás e que retornou agora, e o Ferrero Ibairi, com grãos de um produtor parceiro da Daterra.


Pesquisa
As equipes de agronomia e processos das Fazendas, em parceria com clientes, vêm trabalhando diretamente em inovações tecnológicas buscando excepcional qualidade. “Em todos estes anos, foram mais erros do que acertos. Fizemos inúmeros experimentos e grande parte não trouxe resultados, mas graças a eles temos hoje uma enorme base de dados e muitos estudos sobre nossos cafés”, comenta o coordenador de marketing Gabriel Agrelli, responsável pelo projeto.

 
Foto: Marina Carvalho/ Daterra
Foto: Marina Carvalho/ Daterra
 
"Tão importante quanto produzir cafés de qualidade também é fundamental a responsabilidade sobre o Cerrado e o meio ambiente. Recentemente criamos a Fundação Bioterra com o objetivo de promover estudos de recuperação de solo. Serão 200 hectares destinados as pesquisas e análises profundas sobre a microbiologia do solo. O projeto conta com a parceria de cientistas da Esalq e do Instituo Agronômico de Campinas. A Fundação é uma articuladora de conhecimento sobre a importância do solo e como devemos cuidado. Queremos abrir o diálogo e troca de conhecimento sobre a importância da organicidade e recuperação de cada tipo de solo, como a ferramenta mais importante para enfrentar as mudanças climáticas”, explica Isabela Pascoal.

No Brasil, a torrefação Nossa Casa Café de Amparo, interior de São Paulo, arrematou um lote de Opus Exotic – café que possui naturalmente baixo teor de cafeína. A novidade estará disponível para o consumidor a partir de Janeiro. No exterior, o Opus segue para países como França, Grécia e Taiwan.

ARTIGO EXCLUSIVO | Este artigo é de uso exclusivo do CaféPoint, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem prévia autorização do portal e do(s) autor(es) do artigo.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.