carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Notícias > Produção

Brasil deve colher 45,5 milhões de sacas de café

postado em 19/05/2017

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Da redação

O Brasil  deve colher 45,56 milhões de sacas de café na safra 2017/2018, volume 11,3% inferior à safra passada, de acordo com o segundo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado na última quinta-feira (18). De acordo com a estatal, a principal razão para o recuo é a bienalidade negativa da cultura, que afeita, principalmente, os grãos arábica

Foto: Felipe Gombossy/Café Editora
                                     Foto: Felipe Gombossy/Café Editora

Conforme nota divulgada pela Companhia, o número para o ciclo ficou dentro do previsto na primeira estimativa, realizada em janeiro, que indicava produção entre 43,65 milhões e 47,5 milhões de sacas de café. O mesmo aconteceu com a área de cultivo do arábica e do conilon, calculada anteriormente e mantida em 2,21 milhões de hectares. 

Para os próximos meses, a expectativa é de chuvas abaixo da média nas regiões produtoras do país, proporcionando a maturação dos grãos e uma colheita tranquila. O Espírito Santo, porém, é o estado que mais exige atenção, uma vez que a previsão é de menos 50 mm, com estima de ocorrência de 40 a 50%. 

Café arábica

Segundo a instituição, a colheita do arábica deve alcançar 35,43 milhões de sacas, volume 18,3% inferior ao produzido na safra 2016/17. Em Minas Gerais, maior produtor da espécie, a produção deve somar 25,36 milhões de sacas, redução de 16,6% em função da bienalidade negativa das maiores regiões produtoras do estado. 

Café conilon

O café conilon está em fase de recuperação. Em janeiro, a previsão de colheita estimada pela Conab variava entre 8,64 milhões e 9,63 milhões de sacas. Atualmente, a análise indica 10,13 milhões. Segundo a instituição, o aumento deve-se a recuperação da produtividade da espécie na Bahia e em Rondônia, com maior utilização de tecnologia nas lavouras, além do clima mais favorável.  
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade