ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Sétima edição do curso Leis trabalhistas no campo, aborda temas como: contrato de safra e vínculo empregatício

EDUCAPOINT

EM 31/03/2014

2 MIN DE LEITURA

0
0
O Curso Online Leis Trabalhistas no campo da Contratação à demissão evitando ações trabalhistas, começou na semana passada abordando o tema: relação empregatícia. O objetivo principal do curso, é permitir que o aluno compreenda as principais normas do Direito do Trabalho com ênfase na área rural, visto que nos dias de hoje, os conflitos entre empregados e empregadores rurais tornaram-se rotineiros na Justiça Federal Especializada, a chamada Justiça do Trabalho.

O curso já começou e o instrutor, consultor jurídico e advogado, Gustavo Martins de Sá, já está tirando as dúvidas dos alunos através do fórum de perguntas. Veja um pouco do que está sendo discutido:

Aluno- Na colheita do café, como fazer para ter os prestadores de serviços legalizados perante a Lei, se a colheita dura de 03 a 04 meses? Às vezes, a pessoa diz que não quer ser registrada para não perder benefícios do próprio governo. Como proceder também nestes casos?

Gustavo M. de Sá- Há um contrato próprio para esta situação, chamado Contrato de Safra, que é uma modalidade de contrato por prazo determinado. Será estudado nos módulos seguintes e será disponibilizado modelo para todos os alunos. Trata-se de contrato de trabalho derivado da relação de emprego, portanto, os empregados possuem direito a assinatura da CTPS e todos os outros direitos trabalhistas. Em relação aos trabalhadores que NÃO querem o registro para não perderem benefícios governamentais, cabe aqui um ALERTA. As regras para a concessão de certos benefícios (bolsas) são rígidas e seu descumprimento caracteriza CRIME. Em caso de fiscalização do Ministério do Trabalho em que estes trabalhadores forem descobertos, será caracterizada fraude contra a Previdência Social, responsabilizando-se, criminalmente, tanto o empregador como o empregado. Assim sendo, a contratação de todo e qualquer empregado deve ter CTPS assinada.

Aluno- No caso de empregados registrados que moram na fazenda, é necessário ter contrato de trabalho diferenciado para não incorrer em Processo Judicial contra o proprietário da Fazenda?

Gustavo M. de Sá- Os empregados que residem no próprio imóvel rural onde o serviço é prestado, devem ter regulamentada esta situação em seus contratos de trabalho, seguindo uma das duas opções, a saber:

1. Descontar do salário o fornecimento da casa de morada; ou

2. Fazer comunicado ao sindicato dos trabalhadores rurais informando que a morada é fornecida gratuitamente.

Este assunto será abordado nos módulos seguintes, com exemplo detalhado de como se fazer o desconto e ainda, a forma correta para comunicar o sindicato, destacando que, ao término do curso, será fornecido modelo deste comunicado, com fundamento na lei. No módulo próprio também se verá a consequência da falta de adotar um dos procedimentos acima.

O curso já está em sua SÉTIMA EDIÇÃO consecutiva, sendo que o resultado obtido pelos alunos tem comprovado que, ao seguir as simples regras, o empregador rural obterá uma maior produtividade, vez que o relacionamento com seus empregados passará a ser mais satisfatório.

Mais de 40 alunos já estão participando e você ainda pode se inscrever, clicando aqui!

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint