ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Modo de fazer a calagem em cafezais

POR JOSÉ BRAZ MATIELLO

FOLHA PROCAFÉ

EM 14/10/2021

3 MIN DE LEITURA

0
0

A calagem em lavouras de café requer cuidados especiais, principalmente quanto ao modo de aplicação, para que tenha melhor efeito e traga benefícios ao desenvolvimento e à produtividade dos cafeeiros.

O uso de calcário em cafezais é indicado com a finalidade principal de corrigir a acidez do solo e suprir os nutrientes cálcio e magnésio. Também contribui no aumento da disponibilidade de fósforo, diminui o alumínio e o manganês tóxicos, aumenta a mineralização da matéria orgânica e melhora o aproveitamento de outros nutrientes, do solo ou das adubações. Na figura 1 pode-se observar a influência do pH do solo no aproveitamento dos nutrientes, podendo-se verificar a faixa de pH ideal.

Os aspectos importantes na adoção da calagem são: o tipo e qualidade do calcário, a dose e o modo de aplicação. Quanto aos tipos de calcário, existem duas categorias. A primeira classificação é feita com base nos teores de óxidos de cálcio e de magnésio, existindo os calcíticos, pobres em óxido de Mg, e os dolomíticos, estes com maiores teores de Mg. A segunda categoria, ligada à solubilidade dos calcários, compreende os calcários comuns e os calcinados.

A necessidade da calagem deve ser determinada conforme os resultados da análise de solo da lavoura de café. A análise também permite definir a dose e indicar o tipo a utilizar. O fator a ser verificado na análise é o índice de saturação de bases ou o V%, nas amostras representativas do solo da lavoura. Este índice se correlaciona tanto com o pH (figura 2) como com os teores de Ca e Mg do solo. O índice de saturação considerado adequado é de 60-70%. Deve-se avaliar, também, a proporção existente entre o Ca e o Mg e destes em relação ao K. Conforme essa relação, pode-se usar tipos diferentes de calcário ou de outros corretivos, que concentrem mais os nutrientes em falta ou em desequilíbrio. A condição da lavoura também deve ser levada em conta. Em caso de necessidade de correções mais rápidas, é indicado usar corretivos mais solúveis, como os calcários calcinados ou cal dolomítica.

Quanto ao modo de aplicação, em lavouras já instaladas, o calcário deve ser aplicado em cobertura e esparramado para maior contato com o solo, já que não é possível incorporar o calcário em profundidade. É importante que ele seja aplicado numa faixa junto à linha de cafeeiros, pois, assim, fará maior efeito (figura 3). Não deve ser distribuído em área total, a menos que a lavoura seja adensada. A distribuição junto às plantas coincide com o local da adubação, que provoca a acidificação do solo e, especialmente no caso de irrigação de gotejo, a colocação mais debaixo da saia das plantas permite a ação do calcário na área do bulbo, que fica mais ácida. Em áreas montanhosas, o calcário pode ser aplicado do mesmo modo que os adubos, do lado de cima da linha. Nas áreas planas e de aplicação mecanizada, deve-se aplicar dos dois lados da linha de cafeeiros. Quanto à época, pode-se aplicar o calcário em qualquer uma, mas a mais usada é no pós-colheita. Pode ser em solo seco ou úmido.

A aplicação do calcário na linha de cafeeiros, portanto, em parte da área do terreno, deve ser feita com a dose normalmente calculada. Não deve haver redução de dose. São três os motivos para isso. Primeiro porque sempre cai um pouco do produto fora dessa faixa e, também, a própria chuva acaba arrastando algo. Segundo porque o calcário, em cobertura, vai agir lentamente e doses mais concentradas podem compensar essa lentidão. Terceiro porque a ação acidificante dos adubos se contrapõe a um possível excesso de correção. Essa ação lenta do calcário faz com que a necessidade de calcário, mostrada pela análise do solo, persista mesmo em áreas onde ele foi aplicado em anos anteriores. Por último, uma questão operacional. Quando a dose de calcário calculada for muito baixa, normalmente menos do que 1 t por ha, deve-se esperar mais um ciclo agrícola para acumular doses mais significativas, pois, aplicar pequenas doses, muitas vezes, não compensam as despesas operacionais.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint