Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Notícias > Política

Na região de Três Pontas, programa visa agilizar o atendimento policial

postado em 07/11/2017

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Da redação

Um programa voltado para o cadastramento de propriedades e imóveis rurais na zona rural de Três Pontas, em Minas Gerais, através do mapeamento com coordenadas geográficas e coletas de informações, foi implantado pela Polícia Militar em parceria com a Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas (Cocatrel). 

Foto: Divulgação
                                                    Foto: Divulgação

De acordo com o presidente da cooperativa, Francisco Miranda de Figueiredo Filho, diariamente a empresa recebe reclamações dos cooperados em busca de soluções para melhorar a segurança no campo. O programa tem como foco agilizar o atendimento policial e otimizar os recursos operacionais voltados para o desenvolvimento das rondas preventivas da Polícia Militar no município e região.

"Vimos, com este projeto, uma forma de resolver esta demanda. Com este recurso ficará mais fácil localizar as propriedades rurais e mapear a área em torno dela. Nossos agrônomos e técnicos estarão à disposição para que juntos com a polícia consigamos, a curto prazo, melhorar a segurança na zona rural”, disse Figueiredo. 

Por meio deste georreferenciamento, as propriedades e imóveis rurais receberão um código que será utilizado como um “endereço rural” nos momentos das chamadas para a Polícia Militar. O solicitante, além de descrever o que o motivou a ligar para a PM, seja roubo de propriedade, maquinário, café, arrombamento ou outros casos suspeitos, informará para o atendente do serviço de emergência policial  o código. A partir dessa identificação será possível chegar ao local exato da ocorrência mais rapidamente.

Segundo o Cabo Miele, um dos responsáveis pelo projeto, o maior desafio do programa está justamente na localização de um endereço, pois a área rural de Três Pontas é imensa, com centenas de quilômetros que integram a malha viária rural, milhares de residências e, em algumas situações, nomes de propriedades homônimas.

"O tempo em que uma viatura gasta procurando informações sobre a localização do fato, em uma área rural, praticamente não existirá mais. Este tempo será deduzido para o atendimento de uma ocorrência”, explicou Miele.  Assim que todo o cadastro estiver pronto, a polícia militar pretende aprimorar a capacidade de respostas, em situações de solicitação do atendimento via 190, agilizando o atendimento ao cidadão.

Outros objetivos da PM são: melhorar os estudos e análises da criminalidade na zona rural, que servem de parâmetros para o planejamento de operações, otimizar as rondas ostensivas e preventivas, voltadas para a prevenção criminal e aperfeiçoar as ações de repressão voltadas para a localização e prisão de criminosos.

Além de Três Pontas, as cidades próximas como Varginha, Elói Mendes, Monsenhor Paulo, Ilicínea, Guapé e Boa Esperança, dentre outras que integram a área de responsabilidade do 24º BPM, já iniciaram os trabalhos. Outras cidades do Sul de Minas já desenvolvem tal atividade. Com relação à Santana da Vargem, cuja responsabilidade territorial cabe ao Comando da 151ª Cia PM, há previsão de início do cadastro a partir de 2018. 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade