ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Uganda, Zimbábue e Colômbia terão área de café revitalizada pela Nespresso

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 29/07/2021

3 MIN DE LEITURA

0
0

Com o intuito de reforçar a preservação do meio ambiente, a Nespresso irá reconstruir o cultivo do café em três regiões fortemente afetadas por questões sociais: Zimbábue, país que enfrenta uma série de conflitos étnicos que resulta em uma migração muito forte; Uganda, onde mudanças climáticas e práticas agrícolas irresponsáveis dizimaram a economia local; e Colômbia, em uma região amplamente afetada pela atuação de FARCS, apresentando, como resultado do Programa Reviving Origins, três Edições Limitadas.

O Programa Reviving Origins, presente em cinco países, ajuda as comunidades agrícolas locais a trazerem de volta a produção de café regional, pois trabalha na capacitação e disponibilidade de recursos e ferramentas necessárias para melhorar a qualidade e a produtividade das colheitas e, portanto, os lucros de cafeicultores dentro do Programa.

"Com as ações de cuidado com as pessoas e preservação do campo no Programa Reviving Origins, trabalhamos em busca de soluções construtivas que fortaleçam as comunidades locais e suas economias com o café de qualidade sustentável. Com o projeto, os produtores locais se apropriam da narrativa da lavoura, tornando-se artesões do café, recuperando a dignidade e autoestima de todo um ecossistema anteriormente afetado", explica Guilherme Amado, Líder do Programa Nespresso AAA de Qualidade Sustentável no Brasil e no Havaí.

O projeto Reviving Origins atua dentro dos pilares do Programa Nespresso AAA de Qualidade Sustentável, lançado em 2003 em colaboração com a ONG Rainforest Alliance e o Imaflora, para fornecer aos produtores conhecimentos e técnicas que os apoiem na produção de um café de alta qualidade, utilizando práticas sustentáveis e que também contribuam com a qualidade de vida.

Entenda sobre a cultura cafeeira de cada um dos cafés Reviving Origins e os desafios de suas respectivas regiões:

- TAMUKA mu ZIMBABWE (despertar do Zimbábue): No Zimbábue, a produção de café está sob pressão há vários anos por uma questão histórica relacionada a conflitos étnicos locais. Essa produtividade passou de 15 mil toneladas no final dos anos 80 para apenas 500 toneladas em 2017. No país, a Nespresso oferece treinamento contínuo sobre qualidade e produtividade, além de assistência técnica gratuita por meio de sua rede de engenheiros agrônomos. Como resultado, a produtividade melhorou. A disponibilidade de café de alta qualidade seguindo os pilares sustentáveis da marca cresceu em 9% na província de Manicaland, no Zimbábue. Tudo isso aumentou a distribuição desse café 100% arábica com aromas frutados de groselha e cranberry, acidez equilibrada e intensidade 5.

- AMAHA awe UGANDA (esperança de Uganda): É um café único, com notas raras de sândalo, tons florais, acidez e corpo médios. Em Uganda, questões climáticas e dificuldades econômicas oriundas de uma guerra civil nos anos 80 fizeram com que a produção de café de alta qualidade fosse um desafio nos últimos anos. Como parte do Programa Reviving Origins, a Nespresso está trabalhando com mais de 2 mil produtores, fornecendo capacitação e conhecimento para melhorar a qualidade e a produtividade do café, além de estabelecer práticas agrícolas sustentáveis. O resultado desse trabalho é um espresso de intensidade 8, desenvolvido em um terreno único onde a sombra e os nutrientes fornecidos pelas bananeiras criam um terreno ideal para a variedade arábica.

- ESPERANZA de COLOMBIA (esperança de Colômbia): Na Colômbia, 50 anos de conflitos armados fizeram com que muitos agricultores abandonassem suas terras e o café quase desapareceu de Caquetá e El Rosario. Nas regiões, a Nespresso também enfrenta desafios de infraestrutura com os produtores locais, ajudando-os a construir unidades de moagem e auxiliando na criação de cooperativas de café, tornando o negócio mais lucrativo e profissional. É um café sazonal composto por grãos arábica, com notas frutadas e acidez delicada, sabores tão marcantes nos cafés do país. O impacto de Reviving Origins na área de Caquetá foi o aumento da produção sustentável dessa variedade em 10%.

Os cafés de Edição Limitada da linha Reviving Origins chegam ao Brasil partir deste mês.

Mais informações: www.nespresso.com 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint