ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

EUA aumenta em 25% a importação de café queniano

Após o Quênia ter apresentado seus produtos em um Simpósio realizado em Seattle, EUA, os torrefadores americanos deverão aumentar em um quarto as compras de café queniano, indo para US$ 33, 48 milhões anualmente.

O Coffee Directorate do Quênia apresentou o café especial do país na reunião anual global do café, onde foram reunidas as principais partes interessadas no setor. A exibição teve como intuito fazer com que os Estados Unidos, que pagam um preço premium pelo café, aumentem suas compras em 25%.

Foto: Alexia Santi/agencia ophelia / Café Editora
Foto: Alexia Santi/agencia ophelia / Café Editora


De toda a exportação anual do Quênia, que equivale a 46.000 toneladas, os norte-americanos compram cerca de 7%, pagando mais caro em comparação com os principais compradores do café queniano. De acordo com a diretoria, atualmente os EUA pagam US$ 4,78 por saca, já a Alemanha, principal importadora, paga US$ 2,86, já que compra em uma maior quantidade.

Durante o ano financeiro de 2015/2016, os EUA pagaram US$ 286,94 por sacas de 50kg, enquanto a Alemanha pagou US$ 239,12 e a Bélgica levou por US$ 229,55.

“Nós pressionamos para aumentar a venda dos torrefadores americanos e eles já se comprometeram com esse aumento em relação ao que compram atualmente”, disse Willy Bett, secretário do Gabinete de Agricultura.

O Quênia foi escolhido como um país retrato na exposição deste ano em Seattle, tornando-se o foco das atividades na Feira Comercial de Café, que teve início no dia 19 de abril. O Simpósio e a Exibição da Associação de Cafés Especiais da América é uma das maiores vias comerciais onde os produtores de café se encontram com compradores e consumidores de café especial.

Apesar da procura para expandir o mercado, o governo queniano está tentando atrair produtores de volta para a produção, após a queda de produtividade de café por cafeeiro ter caído de 10 kg para 2 kg. Essa queda se deu por conta dos produtores estarem descontentes com a má gestão, que está obrigando-os a arrancar o café e plantar outras culturas.

No simpósio, os torrefadores disseram que o café queniano tem uma vantagem comparativa sobre outros países devido à sua singularidade no gosto. Segundo eles, haverá um aumento de volume para atender a demanda crescente de seus clientes.

A maior parte do café do Quênia é exportado como grãos limpos, sendo apenas 5% torrado. Desse modo, perde-se o valor agregado da venda de café torrado e embalado.

As informações são do AllAfrica.com / Traduzido por Juliana Santin 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.