FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Em 2030 consumo de café mundial deverá atingir 196 milhões de sacas

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 17/07/2019

0
1

Relatório mensal junho 2019, do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), disponível na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café, aponta que a demanda de café em nível mundial no ano-cafeeiro de 2018 foi calculada em 164,64 milhões de sacas, das quais 114,38 milhões foram consumidas pelos países importadores e 50,26 milhões pelos países exportadores.

Com base nesse parâmetro global, se for estimado um aumento da demanda aplicando a taxa de crescimento de 1,5% ao ano, o consumo atingirá 196,84 milhões de sacas até 2030. Mas, se aplicada uma taxa de crescimento um pouco maior, de 2% ao ano, para esse mesmo período, a demanda poderá ser de 208,80 milhões de sacas. E, num terceiro cenário, com a demanda se expandindo em torno de 2,5% ao ano, o consumo mundial de café em 2030 poderá ser de até 221,42 milhões de sacas de 60kg ao ano.

Uma retrospectiva dos dados e números dos últimos 20 anos aponta que, no ano 2000, a demanda de consumo foi de 105,50 milhões de sacas, em que os Cafés do Brasil participaram com 31,1% disso. Em 2004, quando a demanda global cresceu e atingiu a marca de 120 milhões de sacas, o café brasileiro participou com 35,7% do consumo dos cinco continentes.

Na sequência, em 2008, cujo consumo registrado no planeta foi de 132,96 milhões de sacas, a participação do Brasil no fornecimento do produto foi 37%. Em 2012, ano em que o consumo global atingiu 145,37 milhões de sacas, os Cafés do Brasil tiveram uma participação de 35,2% do mercado. E, por fim, em 2018, o consumo foi de 164,64 milhões de sacas, a participação brasileira no suprimento do consumo global subiu para 37,7%.

Conforme consta no Relatório, o Brasil exportou 41,1 milhões de sacas de café no ano safra 2018/2019, período que compreende os meses de julho de 2018 a junho de 2019. Esse desempenho representa um recorde das exportações brasileiras, cujo volume físico equivalente a sacas de 60 kg, com um incremento de 35% em comparação com o mesmo período anterior, no qual foram exportadas 30,5 milhões de sacas de café. Tais dados consideram a soma das exportações de café verde, solúvel e torrado & moído.

Com base nisso, constata-se que o café arábica representou 81,7% das exportações, com a venda de 33,6 milhões de sacas para o exterior; o solúvel, com 9,5% (3,9 milhões de sacas); e o robusta, com 8,8% (3,6 milhões de sacas). Na comparação com o ano anterior, os Cafés do Brasil exportaram 27,9% a mais de café arábica, 11,3% a mais de café solúvel e 429,1% a mais de café robusta. A receita cambial foi de US$ 5,3 bilhões (equivalente a R$ 20,8 bilhões), representando também um aumento de 9,8% em relação ao mesmo período anterior. O preço médio do produto exportado foi de US$ 131,14, valor que representa uma queda de 18,7% em relação à safra anterior.

O relatório completo está no site da Embrapa. 

As informações são da Embrapa Café.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.