FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Confira o resultado da Pesquisa Cafeeira Safra 2019/2020

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 17/02/2020

0
0

Durante a Semana Internacional do Café de 2019 realizamos, ao lado da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a Pesquisa Cafeeira Safra 2019/2020. O objetivo era avaliarmos as dificuldades e facilidades na produção da safra analisada.

A pesquisa aconteceu no estande do CaféPoint e, através de um totem, produtores puderam selecionar suas respostas sobre região, produção, qualidade, pragas, colheita e pós-colheita. Ao todo, obtivemos 296 respostas, em que 86% dos entrevistados afirmaram possuir propriedades com tamanho inferior a cinquenta hectares, dado similar ao levantado pelo Censo Agropecuário 2017, que apontou 88% dos estabelecimentos para o mesmo tamanho de área.

“A pesquisa já acontece há anos e tem servido para orientar as ações da Comissão Nacional de Café da CNA. O objetivo é ampliar a assertividade das ações”, afirmou Maciel Silva, coordenador de Produção Agrícola da Confederação.

A pesquisa aponta que 69% das participações são de Minas Gerais, o que confirma a representatividade do estado como maior produtor nacional de café. A maioria destacou, ainda, que a qualidade da bebida foi inferior quando comparada à safra de 2018/2019, principalmente por conta do clima e floradas irregulares.

Em relação à colheita e pós-colheita, os métodos manuais de colheita foram responsáveis por 75% das respostas, resultado condizente com as condições topográficas e fundiárias da maioria das regiões produtoras de café no Brasil, que inviabilizam a mecanização. Quanto à tecnologia de pós-colheita, o método natural foi predominante entre os produtores, presente em 85% das propriedades, confirmando o domínio e cultura brasileira na produção de cafés naturais.

Sobre a comercialização, a pesquisa questionou a realização ou não da venda futura da produção. 60% dos entrevistados não realizam venda futura de nenhuma natureza. Apesar da ampliação em relação aos anos anteriores, a Confederação avalia que as ferramentas de hedge (estratégia de proteção para os riscos de um investimento) precisam ser mais exploradas pelos cafeicultores.

“O Sistema CNA já vem trabalhando para estimular a utilização de ferramentas de gestão de risco na cafeicultura. Porém, ampliar o número de cafeicultores que operam à venda futura é um desfio e necessita de uma forte conscientização dos produtores, bem como da elucidação das ferramentas, que é um processo gradual”, ressaltou Maciel.

Para saber o resultado completo da Pesquisa, clique aqui.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.