FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Chuva pode atingir regiões produtoras nos próximos dias

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 04/06/2020

2 MIN DE LEITURA

0
0

A Somar Meteorologia aponta que a onda de frio perde força, o que diminui o risco de geadas para as áreas produtoras de café. Nos próximos cinco dias, deve chover em decorrência da formação de uma frente fria e um ciclone extratropical, no norte do Paraná e em boa parte de São Paulo, porém, com acumulados inferiores a 50 milímetros na soma total. Isso deve paralisar momentaneamente as atividades de colheita na região.

Nessas áreas, a chuva ganha mais força entre 10 e 14 de junho, com acumulados podendo ultrapassar 70 milímetros no norte do Paraná. A partir do dia 15, o tempo seco deve permanecer, o que favorece as atividades em campo.

No sul de Minas Gerais, Espírito Santo e Rondônia, há previsão de pouca chuva nos próximos 15 dias, sendo que as pancadas devem ocorrer de forma isolada, sem prejudicar as atividades de colheita do café. O ar polar vai predominar novamente ao longo dos próximos dias, mas dessa vez com menos intensidade, sendo os próximos 15 dias menos frios do que foi a última semana de maio, sem riscos para geadas nas lavouras.

Os últimos dias foram marcados pela passagem de uma frente fria que trouxe novas pancadas de chuva para o Paraná e para boa parte de São Paulo nos dias 1º e 2 de junho, mas sem volumes significativos. No sul de Minas Gerais e Espírito Santo, a presença de um sistema de alta pressão favoreceu o tempo mais seco nos últimos 7 dias, colaborando com as atividades em campo. Em Rondônia, a situação não foi muito diferente, com o predomínio de tempo seco na metade sul do estado e poucas precipitações sendo registradas na metade norte. De modo geral, sem a presença de chuva volumosa e persistente, as atividades de colheita nas áreas produtoras de café foram favorecidas pelas condições de tempo.

Andamento da colheita

A colheita da safra 2020/2021, que já passou dos 13%, ainda apresenta atraso em relação ao ano passado, em que os produtores já haviam colhido 16%. As restrições à circulação de pessoas devido às medidas de isolamento impactaram os trabalhos de campo, sobretudo no Espírito Santo.

A colheita inicial em Minas Gerais, maior produtor de café arábica do Brasil, também passa por atrasos pelas restrições de locomoção e ao número menor de trabalhadores nas lavouras.

De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), a colheita de café arábica 2020/2021 do Brasil passou a ganhar maior ritmo só no fim de maio, com grande parte dos cafeicultores iniciando de forma efetiva os trabalhos.

As informações são do Canal Rural (Por Pryscilla Paiva).

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.