FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Cafeicultores da Índia sofrem perdas por conta da pandemia

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 18/06/2020

1 MIN DE LEITURA

0
0

Os produtores de café em Karnataka, na Índia, registraram perdas de quase 7 bilhões de Rupia Indiana (cerca de US$ 91,85 milhões), já que o bloqueio para combater a covid-19, a partir de 25 de março, interrompeu a última fase da colheita de canéfora (robusta) nas regiões de cultivo dos distritos de Kodagu, Chikkamagaluru e Hassan.

A perda das exportações é estimada em 2,5 bilhões de Rupia Indiana (US$ 32,80 milhões), já que os exportadores não puderam transferir seus produtos para os portos devido à falta de logística. Uma grande quantidade de grãos de café também ficou presa nas plantações e não podia ser movida.

“A indústria do café já estava em grave sofrimento e crise financeira devido às fortes chuvas, inundações e deslizamentos de terra nas safras 2018/2019 e 2019/2020. Com isso, a produção caiu mais de 35% em 2018/2019 e 50% em 2019/2020. Este ano, o bloqueio imposto para combater a covid-19 aumentou os problemas dos cafeicultores, pois eles não podiam concluir a colheita em muitas propriedades”, afirmou Shirish Vijayendra, presidente da Associação de Plantadores de Karnataka (KPA). Segundo ele, o prejuízo foi de cerca de 4,41 bilhões de Rupia Indiana (US$ 57,86 milhões) com queda na colheita do arábica e canéfora e baixa de estoque.

A KPA abordou o Ministério das Finanças com uma demanda por extensão da moratória do pagamento de empréstimos por um ano e empréstimos a prazo especiais a taxas de juros subsidiadas para financiar as operações do próximo ano.

“Os produtores precisam sobreviver antes de iniciar as operações no próximo ano. Precisamos de um pacote para a sobrevivência a longo prazo e capital de giro. Estimamos as perdas conforme sugerido pela Junta do Café”, afirmou Vijayendra.

Em sua carta ao ministro das Finanças, Nirmala Sitharaman, a KPA solicitou ao governo a reestruturação dos juros principais e não pagos dos empréstimos de curto prazo e agrícolas, consolidando-os em uma única conta de empréstimo e fornecendo parcelas anuais fáceis, como no SCTL Package anunciado em abril de 2002 com taxas de juros concessionais.

As informações são do https://www.deccanherald.com / Tradução Juliana Santin

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint