FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Boletim Carvalhaes: Brasil já embarcou mais de 34 milhões de sacas neste ano-safra

POR EQUIPE CAFÉPOINT

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 13/05/2019

1
0

Boletim semanal Escritório Carvalhaes - ano 86- n° 19
Se quiser consultar boletins anteriores, clique aqui e confira o histórico no site*
Santos, sexta-feira, 10 de maio de 2019

As exportações brasileiras de café, divulgadas hoje pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), totalizaram 2.976.057 sacas de 60 kgs, 25% a mais que em abril de 2018. O valor médio por saca exportada foi de US$ 124,47, recuando 19,1% em relação ao valor médio registrado em março de 2018, que foi de US$ 153,89 por saca. A receita cambial em abril de 2019 foi de US$ 370,431 milhões, contra US$ 367,635 milhões no mesmo mês de 2018. Portanto exportamos um volume 25% maior para conseguir ampliar nossa receita cambial em 0,8%.

Dentro do atual ano-safra 2018/2019 (de julho de 2018 a junho de 2019), faltando ainda as exportações de maio e junho, o Brasil já embarcou 34.085.420 sacas. Esse número é 12% superior às 30.451.709 sacas embarcadas no ano-safra anterior, 2017/2018. Com as exportações de maio e junho deste ano deveremos estabelecer um novo recorde histórico em volume de café exportado em um ano-safra. O atual recorde, 36.603.370 sacas, foi alcançado no ano-safra 2014/2015 (julho de 2014 a junho de 2015).

As cotações dos contratos de café na ICE Futures US em Nova Iorque oscilaram forte esta semana, mas fecham hoje praticamente no mesmo patamar da última sexta-feira. Os contratos com vencimento em julho próximo fecharam sexta-feira passada a US$ 0,9060 por libra peso. Na terça-feira, dia 7, caíram 215 pontos. Ontem, dia 9, subiram 230 pontos. Fecharam a semana hoje valendo US$ 0,9080 por libra peso. Alta de 20 pontos no período. Para comparação, em reais por saca, esses contratos fecharam sexta-feira passada a R$ 472,07 e hoje a R$ 473,83. Não houve um fato novo, apenas o jogo de sobe e desce que interessa aos fundos e aos especuladores sempre atrás de resultados em curto prazo.

O mercado físico brasileiro continuou difícil, com ofertas bem abaixo do pretendido pelos produtores. Há boa procura por lotes da safra atual, principalmente para os arábicas de boa qualidade a finos. Os preços impedem um volume maior de negócios. Já acontecem alguns negócios com arábicas da nova safra 2019/2020. Nosso consumo interno, o segundo maior do mundo e o maior cliente dos cafés brasileiros, continua ativo e comprador. Os preços praticados para os arábicas nesse mercado estão próximos das bases oferecidas para os cafés destinados à exportação.

O forte calor do último verão e as várias floradas que tivemos no segundo semestre de 2018 e início de 2019, adiantaram o início dos trabalhos de colheita da nova safra 2019/2020. As chuvas continuam caindo em diversas regiões produtoras. Em abril foram duzentos milímetros na região de Guaxupé, e a qualidade dos primeiros cafés da nova safra pode ser prejudicada. Levará ainda algum tempo para termos um panorama mais claro da qualidade média da safra 2019/2020.

O Cecafé informou que no último mês de abril foram embarcadas 2.976.057 sacas de 60 kg, aproximadamente 25% (587.181 sacas) a mais do que no mesmo mês de 2018 e aproximadamente 4% (108.956 sacas) a menos do que no último mês de março. Foram 2.520.070 sacas de café arábica e 197.122 sacas de café conilon, totalizando 2.717.192 sacas de café verde, que somadas a 257.625 sacas de solúvel e 1.240 sacas de torrado, totalizaram 2.976.057 sacas de café embarcadas.

Até dia 10, os embarques de maio estavam em 196.436 sacas de café arábica, mais 4.677 sacas de café solúvel, totalizando 201.113 sacas embarcadas, contra 230.284 sacas no mesmo dia de março. Até o mesmo dia 10, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em maio totalizavam 668.388 sacas, contra 607.269 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque (ICE) do fechamento do dia 3, sexta-feira, até o fechamento de hoje, dia 10, subiu nos contratos para entrega em julho próximo 20 pontos ou US$ 0,26 (R$ 1,03) por saca. Em reais, as cotações para entrega em julho próximo na ICE fecharam no dia 3 a R$ 472,07 por saca, e hoje, dia 10, a R$ 473,83. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em julho, a bolsa de Nova Iorque fechou com baixa de 5 pontos. No mercado calmo de hoje são as seguintes cotações nominais por saca para os cafés verdes do tipo 6 para melhor, safra 2018/2019, condição porta de armazém:

R$380/390,00 - CEREJA DESCASCADO – (CD), BEM PREPARADO.
R$370/380,00 - FINOS A EXTRA FINOS – MOGIANA E MINAS.
R$360/370,00 - BOA QUALIDADE – DUROS, BEM PREPARADOS.
R$340/350,00 - DUROS COM XÍCARAS MAIS FRACAS.
R$330/340,00 - RIADOS.
R$320/330,00 - RIO.
R$340/350,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: DURA.
R$330/340,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: RIADAS.

DÓLAR COMERCIAL DE SEXTA-FEIRA: R$ 3,9450 PARA COMPRA.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CARLOS RODRIGUES

EM 14/05/2019

Neste momento os produtores devem andar a sofrer esta bobagem de querer aumentar produção para encher os bolsos de meia dúzia...