FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Não queime a palha de café, mas se queimar aproveite as cinzas na lavoura

POR JOSÉ BRAZ MATIELLO

FOLHA PROCAFÉ

EM 15/12/2020

3 MIN DE LEITURA

0
0

A casca ou palha de café é um subproduto da própria lavoura, sendo oriunda do beneficiamento dos frutos, resultando em grande quantidade, equivalente a cerca de 50%, em peso, do café colhido. Ultimamente a palha tem sido muito usada para queima, como fonte de calor, nas fornalhas de secadores. No entanto, seu uso como adubo orgânico, com seu retorno para a lavoura, deve ser prioritário.

Dependendo do processamento do pós-colheita, a palha pode ser de três tipos. Aquela da casca do café despolpado, a do café seco em coco (a mais comum) e a resultante do beneficiamento do pergaminho do café despolpado. À exceção da palha do pergaminho, as demais apresentam bom conteúdo nutricional. Além do fornecimento de nutrientes, com liberação gradual e bom aproveitamento, a palha ajuda a melhorar as condições físicas e biológicas do solo. A composição em NPK dos três tipos de palha, em comparação com a fonte esterco de curral, está apresentada na tabela 1.

Tabela 1 - Composição de NPK em tipos de palha de café, em comparação com o esterco de curral

O retorno da palha de café para a lavoura pode representar economia significativa, pois complementa e melhora o efeito da adubação química, sem custos de aquisição por ser um resíduo da própria lavoura, só com despesas na sua aplicação, hoje facilitada de forma mecanizada. Na tabela 2 podem ser observados resultados dessa combinação.

Tabela 2 - Produtividade em cafeeiros sob efeito de adubação orgânica com palha de café, associada à adubação mineral reduzida proporcionalmente aos nutrientes NPKS contidos na palha – Araxá (MG), 2014

Além disso, pode-se, nas fazendas, ter alternativas melhores para uso como fonte de calor, por exemplo, a lenha de eucaliptos. O custo de implantação e manejo de 1 ha de eucalipto fica em cerca de R$ 10 mil, em 7 anos, e rende cerca de 300 m3 de lenha ou o equivalente a cerca de 43 m3 por ano, ou cerca de 28 t de madeira/ano. Enquanto isso, para uma produtividade de 30 sacas de café/ha, a palha produzida corresponde a 1,8 t /ano e as despesas por ha são de cerca de R$ 12-14 mil/ano, portanto, produzir palha, como fonte de calor, é pouquíssimo competitivo.

Caso, por qualquer razão, o cafeicultor decida queimar a palha de café como fonte de calor em secadores, a cinza resultante, obtida nas fornalhas, também deve ser aproveitada na lavoura. Em estudo realizado na Fazenda Experimental da Fundação Procafé, em Varginha (MG), foi tomado 1 kg de palha de café seca (cerca de 10% de umidade), oriunda do beneficiamento de café em coco, depois de queimada, o 1º resíduo, uma forma de carvão, resultou em 0,62 kg, e, prosseguindo na queima, até tudo virar cinza, chegou-se a apenas 40 gramas. Como a palha de café, em peso seco, tem, em média, para NPK, 1,5%, 0,15% e 3,0%, respectivamente, e sabendo-se que os nutrientes voláteis, ou seja, aqueles que se perdem com a queima, são apenas o nitrogênio e o enxofre, pode-se verificar que a cinza não vai conter estes dois nutrientes, os demais seriam concentrados em cerca de 22 vezes, ou seja, a cinza da queima da palha teria 3,3% de P, 66% de K etc, ou 7,2% de P2O5, 72 % de K2O etc.

Apesar dessa boa riqueza nutricional das cinzas, a maioria dos produtores não as utilizam adequadamente. É comum o seu descarte incorreto, acarretando contaminação do ambiente (solo, plantas e água) e desperdício dos nutrientes disponíveis, principalmente do potássio, exigido em grande quantidade pelos cafeeiros e que possui alto custo.

A palha do café ou suas cinzas devem ser armazenadas em local seco e protegido da chuva, e aplicadas nas lavouras, em cobertura, em dosagem adequada, observando a disponibilidade do solo e demanda das plantas, principalmente em relação ao K, para evitar desequilíbrios.


Palha de café ao natural (esq.), resíduo inicial da queima, uma espécie de carvão (centro) e produto da queima total da palha nas fornalhas, a cinza (dir.)

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint