FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Equilíbrio entre sistema radicular e parte aérea indica qualidade de mudas de café

POR JOSÉ BRAZ MATIELLO

FOLHA PROCAFÉ

EM 20/03/2020

2 MIN DE LEITURA

1
1

Na formação de mudas de café em viveiros próprios, ou na sua aquisição em viveiros comerciais, deve ser observado um conjunto de características que indica a qualidade dessas mudas. Uma dessas características importantes, que é pouco verificada, é a proporção entre o sistema radicular e a parte aérea das mudas. Nesse aspecto, é adequado haver, pelo menos, um peso de raízes equivalente a cerca de 25% a 30% em relação ao peso da parte aérea.

Mudas com desenvolvimento forçado por excesso em adubações nitrogenadas crescem muito no caule e na folhagem, e pouco nas suas raízes. Ficam grandes e bonitas, porém sem a qualidade desejada, já que um bom sistema radicular, equilibrado, vai ser essencial no pegamento e desenvolvimento das plantas no pós-plantio. Quando isso acontece, pode-se aplicar um tratamento hormonal que visa frear o desenvolvimento aéreo e forçar a formação de raízes nas mudas. O que é comprovadamente eficiente é o uso em rega no substrato das sacolinhas das mudas após o 3º ou 4º par de folhas, de fungicidas triazóis, como os à base de triadimenol, ciproconazole e flutriafol.

Mudas mais novas normalmente possuem maior proporção do seu sistema radicular em relação à parte aérea, por isso tendem a ter melhor pegamento. Por outro lado, mudas clonadas por estaquia possuem poucas raízes, especialmente as finas. Quanto às variedades, em um estudo feito com mudas de quatro pares de folhas, de catuaí e mundo novo, verificou-se que no catuaí (e provavelmente em outras variedades de porte baixo) a proporção de raízes foi maior em relação à parte aérea das mudas.

Aproveitando o tema de qualidade de mudas de café, são aqui incluídas, em seguida, as principais características a serem observadas:

1- Cultivar: deve-se comprovar, mediante origem das sementes e observação do aspecto da muda, a identificação correta da cultivar desejada;

2- Recipiente: deve ser adequado ao tipo de muda, no tamanho e no substrato utilizado;

3- Tamanho: o tamanho ideal das mudas é aquele onde elas se encontram no estágio de 4 a 6 pares de folhas;

4- Aspecto da folhagem: as folhas das mudas devem ter tamanho normal, nem grandes demais ou pequenas. Devem se mostrar firmes, coriáceas e ter coloração verde-claro, indicando que estão aclimatadas ao sol, não devendo estar com cor verde muito escuro e nem tenras;

5- Tronco: o tronco das mudas deve ser grosso e com internódios de tamanho normal, nem muito curtos nem muito longos;

6- Pragas e doenças: as mudas devem estar livres do ataque de pragas e doenças, em sua parte aérea e no sistema radicular, como nematoides, bicho-mineiro, cercospora, Phoma e Pseudomonas.

7- Sistema radicular: deve ser composto de pião único e ter bom volume de raízes finas, com boa proporção em relação à parte aérea, conforme já indicado.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

IVO DEFANTI PUPPIM

MIMOSO DO SUL - ESPÍRITO SANTO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 23/03/2020

Concordo plenamente Matiello, querendo ou não errando na adubação de produção, o produtor acaba perdendo um ano.

Porém errando na muda a ser plantada, perdemos a lavoura.

Att
CaféPoint AgriPoint