ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Catucai-apa (catucaí amarelo porte alto): Nova cultivar de cafeeiros muito produtiva

POR JOSÉ BRAZ MATIELLO

FOLHA PROCAFÉ

EM 28/10/2021

3 MIN DE LEITURA

0
0

Uma nova cultivar de cafeeiros do material genético de catucaí foi testada e aprovada para plantio comercial. Tatando-se de plantas muito produtivas, de frutos amarelos e de porte alto, deu-se o nome de Catucai-apa.

Os cafeeiros do grupo catucaí tiveram origem em seleções realizadas sobre material híbrido natural, entre icatu vermelho e catuaí. Foram derivadas várias gerações, através de longos anos de pesquisas desenvolvidas inicialmente no ex-IBC, depois na Fundação Procafé. Dessas seleções, surgiram várias cultivares, de frutos vermelhos e amarelos, devidamente registradas no MAPA e que já se encontram com plantios em larga escala, tendo boa aceitação em muitas regiões cafeeiras.

As plantas de café das cultivares catucaí apresentam bom vigor e produtividade semelhante ou superior ao padrão catuaí. A resistência à ferrugem, de início muito boa, com o aparecimento de novas raças do fungo, permaneceu adequada em algumas seleções e as demais apresentam tolerância, tendo o controle químico facilitado. Ultimamente foi liberada uma seleção com boa resistência.

Desde o início, as seleções de catucaí apresentavam plantas segregando para os dois tipos de porte (alto e baixo) e foi dada prioridade para a obtenção de cultivares de porte baixo, mais adequado ao manejo dos tratos. No entanto, ao longo dos anos, dentro de lavouras com plantas de porte baixo, têm sido observadas plantas de porte alto, com boas características produtivas, que foram selecionadas para sua testagem. Assim, as plantas altas selecionadas, que deram origem a cultivar catucai-apa, foram oriundas em sementes da cultivar catucaí amarelo 2SL, obtidas da FEX Varginha. Apenas para lembrar, a característica de porte alto é definida por um fator recessivo (ctct). Portanto, plantas de porte alto, com auto-fecundação, como ocorre em cafeeiros arábica, só dão origem a esse tipo de porte.

A testagem do material de catucai-apa foi feita através de um ensaio conduzido na região da Alta Mogiana, em S. José da Bela Vista, próximo a Franca (SP). A comparação foi efetuada com outros 17 materiais, incluindo padrões de porte alto e baixo, como três cultivares de mundo novo e três de catuaí, mais alguns materiais com resistência à ferrugem. O ensaio foi conduzido em blocos ao acaso, com quatro repetições e parcelas de 10 plantas e sob duas condições, de sequeiro e irrigado. Todos os materiais receberam o controle completo contra ferrugem. Na tabela 1, aqui incluída, são resumidos os resultados de produtividade, na média de cinco safras, para alguns dos itens testados. Foi avaliado, também, o percentual de peneira alta e realizadas, ainda, observações sobre outras características, como porte e vigor das plantas e tamanho e maturação dos frutos.

Os resultados na média das cinco safras mostram a maior produtividade do material de catucai-apa, seja na condição irrigado ou de sequeiro, sendo, na média das duas condições, 24% mais produtivo em relação aos MN e 29% a mais do que os catuais. Houve significativo destaque, também, para o tamanho dos grãos (peneira) colhidos no catucai-apa, com elevado percentual de grãos de peneiras altas. Outras características observadas foram o bom vigor das plantas e a maturação dos frutos com boa precocidade e de forma uniforme. As plantas possuem folhas novas de coloração predominantemente bronze e apresentam tolerância à ferrugem. A altura das plantas é semelhante àquelas de MN.

Assim, os produtores que preferem o plantio de variedades de café de porte alto podem contar, agora, com nova alternativa, com boa produtividade, com frutos de maturação uniforme e de grãos graúdos, além da maior facilidade de controle da ferrugem, vantagens adicionais em relação ao padrão atual, o mundo novo.


Tabela 1- Produtividade (na média de cinco safras) e tamanho dos grãos (média de três safras) em cafeeiros de diferentes materiais genéticos testados em ensaio na Fda Glória, em S. J. da Bela Vista, região de Franca (SP), 2021


Pode-se ver a parcela de cafeeiros da cultivar catucai-apa, sendo, da esquerda para direita, em maio de 2019 (safra de 135 scs/há), em abril de 2020 (safra de 9 scs) e em maio de 2021 (safra de 106 scs/há)


Recuperação das plantas após safra alta, foto aos 135 dias pós-colheita. Da esquerda para a direita – catuaí amarelo 62, mundo novo 379/19 e catucai-apa


Plantas da nova geração de catucai-apa, oriunda de sementes colhidas no ensaio, aos 8 meses de idade, apresentando uniformidade no porte e excelente vigor inicial. Pode-se observar a brotação bronze 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint