ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

A procura de um bom pretexto

ESPAÇO ABERTO

EM 29/03/2021

4 MIN DE LEITURA

0
0

Por Marcelo Fraga Moreira*

Apesar do mercado ter trabalhado no setembro/2021 com uma amplitude de 525 pontos (mínima/máxima @ 129,25/134,50 centavos de dólar por libra peso) o contrato terminou praticamente igual ao fechamento da sexta-feira anterior (19/03) a 132,45 x 132,95 centavos de dólar por libra peso.

Mesmo assim a semana foi agitada. O mercado chegou a assustar os produtores (tentando romper e fechar abaixo do importante suporte da média móvel dos 72 dias a 130,10) e, do outro lado, chegou a alegrar os produtores (quando se recuperava tentando romper e fechar acima das importantes resistências das médias móveis dos 50/17/9 dias respectivamente 133,20/133,80/134,70 centavos de dólar por libra-peso). 

O Real continuou pressionado e fechou a semana em 5.7570 R$/US$ (desvalorizando -4,73%). A Argentina declarou novamente que não tem como honrar seus acordos com o FMI; os juros americanos de longo prazo continuaram negociando entre 1,60%-1,75%. Na quinta-feira (25/03), o Senado brasileiro aprovou o novo orçamento 2021 incluindo “novos ajustes” na ordem dos 26 bilhões de reais. Mais uma vez o risco do aumento do déficit fiscal e a insegurança jurídica brasileira assustaram o mercado. E, na sexta-feira (26/03) não teve jeito. O Real desvalorizou -1,88% apenas nesse dia.

A desvalorização do Real, no curto prazo, contribuiu para dar sustentação aos negócios no físico para entrega imediata com os preços voltando a negociar entre 680-800 R$/saca (a qualidade “cereja descascado” chegou a negociar a 820 R$/saca). Por outro lado, a inflação continua fora de controle com os insumos agrícolas, fertilizantes, combustíveis subindo como que se não houvesse amanhã. Para a venda com entrega futura para setembro/2022 algumas cooperativas/tradings chegaram a oferecer preços acima dos 850 R$/saca. Mas os produtores seguem reticentes para realizar novas vendas para a próxima safra 2021/2022 e 2022/2023.

A colheita da safra 2021/2022 começa oficialmente na próxima segunda-feira (05/04). Muitos produtores/grupos de whatsapp continuam “batendo o pé” que a safra quebrou e que o mercado ainda vai se surpreender com os resultados. Os números estimados para a safra continuam entre 43-57 milhões de sacas. Até agora a pior estimativa é o da Conab e o melhor do Rabobank. Façam suas apostas.

Para contribuir com o cenário altista de curto prazo tivemos 3 notícias “positivas” no início da semana: avanço da vacinação nos Estados Unidos e Europa; novo lockdown na França e Alemanha (na Alemanha foi cancelado no dia seguinte pois o governo alegou não ter tido tempo hábil para a implementação das regras); e finalmente a interrupção do fluxo de mercadorias com o fechamento do Canal de Suez na quarta-feira (24/03). As 2 primeiras notícias animaram o mercado pois gerou a expectativa com o aumento da demanda pelo café em função da reabertura dos restaurantes/cafés, circulação da população.

Os produtores brasileiros seguem procurando novos pretextos para o mercado seguir subindo. Motivos? Vários: As 2 últimas semanas foram muito secas, sem chuvas nas principais regiões produtoras; houve esqueletamento em várias fazendas e o reflexo será sentido na próxima safra; alguns poucos produtores decidiram trocar café pelo plantio de soja/milho; o consumo mundial deverá retomar no segundo semestre. E, como falamos na semana passada, a colheita da safra 2021/2022 mal começou e já tem “terrorista” prevendo que a próxima safra 2022/2023 será ainda menor e que a demanda continuará crescendo (mesmo com toda essa crise mundial com a pandemia. Será?).

O sonho para muitos produtores continua sendo o café negociar acima dos 1.500 R$/saca. Será possível? No curto prazo acreditamos que não. Salvo se houver geadas entre os próximos meses, entre maio e agosto, e uma nova estiagem entre setembro e dezembro. Nesse pior cenário muitos produtores vão quebrar, pois muitos já se comprometeram com vendas para entrega futura para a próxima safra. A “alegria” de alguns será o desastre para muitos! Caso não houver geadas e na próxima primavera voltar a chover, acreditamos que a próxima safra 2022/2023 irá se recuperar e a produção será novamente acima das 70 milhões de sacas e os preços entre 90-110 centavos de dólar por libra-peso. Como já vimos, nos mercados agrícolas, de commodities, tudo é possível! Ano passado já vimos o petróleo negociar a -40 usd/barril. A “lei da oferta e demanda” segue valendo e se ajustando diariamente!

Seguimos recomendando a compra de proteção para a safra 2021/2022 com a compra de “Call” ou “Call-Spread” contra o setembro/2021. Como já tem muito produtor vendido (novamente, se vier uma geada forte nos próximos meses), o mercado poderá explodir no curto prazo. Invistam 20-40 R$/saca para poder dormir tranquilo e atravessar o próximo período de inverno que se aproxima rapidamente sem stress.

Como sempre, sejam prudentes. Cuidado com os acumuladores, as estruturas que “aparecem/desaparecem/dobram”. Não coloquem riscos desnecessários nos seus livros.

Uma ótima semana a todos!

*Marcelo Fraga Moreira escreve este relatório sobre café semanalmente como colaborador da Archer Consulting.

_____

** “Call” = opção de Compra

** “Put” = opção de Venda

** “Compra Call-Spread” = compra e venda simultânea de 2 Opções de Compra comprando a Opção com preço de exercício mais baixo vendendo a Opção com preço de exercício mais alto);

** “Venda Call-Spread” = venda e compra simultânea 2 Opções de Compra vendendo a Opção com preço de exercício mais alto e comprando a Opção com preço de exercício mais baixo);

** “Compra Put-Spread” = compra e venda simultânea 2 Opções de Venda comprando a Opção com preço de exercício mais alto e vendendo a Opção com preço de exercício mais baixo);

** “Venda Put-Spread” = venda e compra simultânea 2 Opções de Venda vendendo a Opção com preço de exercício mais alto e comprando a Opção com preço de exercício mais baixo);

** “CFTC” = Commodity Futures Trading Commission – agência independente do governo dos Estados Unidos que regula os mercados de futuros e opções das commodities;

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe CaféPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CaféPoint AgriPoint